Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Escolas particulares dão desconto médio de 10% para o segundo aluno

Ricardo trida /DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Marcelo de Paula
Do Diário do Grande ABC

02/06/2008 | 07:14


A maioria das escolas particulares do Grande ABC tem como política dar descontos nas mensalidades para quem matricula o segundo filho na mesma instituição de ensino. Em média, a redução é 10% no valor da mensalidade do segundo filho matriculado e, do terceiro em diante, o percentual varia conforme a política da escola.

As escolas não admitem que a prática esteja relacionada com a forte concorrência do setor. Hoje, somente na região, há cerca de 430 estabelecimentos de ensino privados, segundo informações da Aesp (Associação das Escolas Particulares do Grande ABC).

O argumento das instituições é que os descontos fazem parte da política pedagógica dos estabelecimentos de ensino, pois permitem aos pais adotar a mesma linha de educação para todos os filhos.

Mantenedora e diretora pedagógica do Colégio Piaget, de São Bernardo, Valdinéia Tereza Bastos Cavalaro, explica que seu estabelecimento oferece 10% de desconto para o segundo filho, mantendo o índice para o terceiro em diante. " Este desconto é praxe no Brasil. Temos de fazer isso porque não é fácil para os pais. Mas não usamos isso como forma de captação de alunos", afirmou.

O diretor administrativo do Colégio Bandeiras Anglo, de Ribeirão Pires, Luiz Gustavo Volpi, também não vê a prática como uma forma de concorrência. Lá, os descontos são maiores: 10% para o primeiro, 15% para o segundo, 20% para o terceiro e, do quarto em diante, só é cobrado material didático. "É uma política sadia, porque segue critérios, por faixa de idade", comenta.

Forma de fidelização e não concorrência. É assim que a diretora do Instituto Educacional Alegria e Companhia, de Diadema, enxerga a prática. "De qualquer forma, acho que não adotar política de descontos hoje em dia é inviável. A escola perde alunos", comenta, frisando que em seu estabelecimento, a partir do segundo filho o desconto é de 10%.

O Colégio ABC, de Mauá, também trabalha com percentual de 10% para o segundo filho, mas o índice cai para 7%, no caso de matrícula de um terceiro, e a 5% para o quarto filho.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Escolas particulares dão desconto médio de 10% para o segundo aluno

Marcelo de Paula
Do Diário do Grande ABC

02/06/2008 | 07:14


A maioria das escolas particulares do Grande ABC tem como política dar descontos nas mensalidades para quem matricula o segundo filho na mesma instituição de ensino. Em média, a redução é 10% no valor da mensalidade do segundo filho matriculado e, do terceiro em diante, o percentual varia conforme a política da escola.

As escolas não admitem que a prática esteja relacionada com a forte concorrência do setor. Hoje, somente na região, há cerca de 430 estabelecimentos de ensino privados, segundo informações da Aesp (Associação das Escolas Particulares do Grande ABC).

O argumento das instituições é que os descontos fazem parte da política pedagógica dos estabelecimentos de ensino, pois permitem aos pais adotar a mesma linha de educação para todos os filhos.

Mantenedora e diretora pedagógica do Colégio Piaget, de São Bernardo, Valdinéia Tereza Bastos Cavalaro, explica que seu estabelecimento oferece 10% de desconto para o segundo filho, mantendo o índice para o terceiro em diante. " Este desconto é praxe no Brasil. Temos de fazer isso porque não é fácil para os pais. Mas não usamos isso como forma de captação de alunos", afirmou.

O diretor administrativo do Colégio Bandeiras Anglo, de Ribeirão Pires, Luiz Gustavo Volpi, também não vê a prática como uma forma de concorrência. Lá, os descontos são maiores: 10% para o primeiro, 15% para o segundo, 20% para o terceiro e, do quarto em diante, só é cobrado material didático. "É uma política sadia, porque segue critérios, por faixa de idade", comenta.

Forma de fidelização e não concorrência. É assim que a diretora do Instituto Educacional Alegria e Companhia, de Diadema, enxerga a prática. "De qualquer forma, acho que não adotar política de descontos hoje em dia é inviável. A escola perde alunos", comenta, frisando que em seu estabelecimento, a partir do segundo filho o desconto é de 10%.

O Colégio ABC, de Mauá, também trabalha com percentual de 10% para o segundo filho, mas o índice cai para 7%, no caso de matrícula de um terceiro, e a 5% para o quarto filho.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;