Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sentimentos se misturam no vestiário do São Bernardo

Jogadores, comissão técnica e diretoria lamentavam a perda do título, mas comemoravam acesso à Série A2


Dérek Bittencourt
Especial para o Diário

16/06/2008 | 07:05


No vestiário do estádio Antonio Soares de Oliveira, os sentimentos dos jogadores, da comissão técnica e da diretoria alternavam tristeza pela perda do título e satisfação pela missão cumprida, em relação ao acesso para a Série A-2 do Paulista.

Com a taça de vice-campeão nas mãos o presidente Edgard Montemor Filho explicava o significado do troféu. "Essa taça representa todo o esforço e o trabalho da comissão técnica e dos jogadores, as noites sem dormir da diretoria e todos os problemas superados dentro e fora do campo", disse o dirigente. "É com muito orgulho que seguro este troféu e um dos objetivos foi conquistado, e o principal deles, que foi o acesso", completou.

O técnico Lelo teve um discurso parecido e explicou por que o São Bernardo perdeu o título. "O que atrapalhou foi o baque do jogo contra o Votoraty (goleada sofrida em casa, 5 a 0), que não conseguimos recuperar. Tivemos oportunidades nesses 180 minutos da decisão para sair com o título, mas, infelizmente, não deu", disse o treinador.

Com contrato renovado até o final da Série A-2 do Campeonato Paulista do ano que vem, Lelo ainda se diz orgulhoso pelo trabalho feito antes e durante a A-3. "Me sinto honrado por trabalhar aqui. Os jogadores sempre lutaram por seus objetivos e foi a união de todos que fez o São Bernardo conquistar o acesso", disse.

Edgard Montemor explicou que o Tigre até poderia ter ficado com o título, mas que o equilíbrio e a vantagem do Flamengo foram providenciais. "Eles jogaram com o regulamento, fizeram melhor campanha, puderam decidir em casa e ainda jogavam pelo empate", disse. "Pelo o que foi apresentado pelas duas equipes, era de conhecimento de todos que seria um jogo decidido nos detalhes. E de certa forma foi, porque foram dois gols de bola parada (cobranças de pênalti e falta)", emendou.

Justamente por causa desse equilíbrio entre os times, o técnico Lelo falou que o placar do jogo não teve anormalidade. "Vir aqui, em uma decisão, e empatar com o Flamengo é um resultado normal."

PLANEJAMENTO - Outro aspecto abordado foi o futuro do São Bernardo. "Nos reapresentamos amanhã (hoje) e teremos 15 dias de descanso", disse o ala-esquerdo Renato Peixe. "Eles voltam no dia 30", emendou o presidente.

Após esse período, os jogadores retornam com força total para a disputa da Copa FPF, que dá uma vaga à Copa do Brasil para o campeão. "Vamos montar um time forte para a Copa Federação e torcemos para que no segundo semestre tudo dê tão certo quanto no primeiro", concluiu o técnico Lelo.

Peixe assume responsabilidade no empate do Tigre

O ala-esquerdo Renato Peixe foi um dos grandes personagens do São Bernardo durante o Campeonato Paulista da Série A-3 e na partida final, ontem pela manhã, em Guarulhos, não foi diferente.

O camisa 11 assumiu a responsabilidade de cobrar o pênalti que abriu o placar do jogo e anotou seu 12º gol no torneio, ficando como artilheiro do Tigre na competição. Porém, o tento não foi suficiente para dar a inédita conquista ao clube e à cidade.

"Todo mundo queria muito esse título, mas infelizmente não veio. O nosso primeiro objetivo foi alcançado, que era o acesso, e agora vamos comemorar esse vice-campeonato", disse o jogador.

Segundo Renato Peixe, o principal erro do São Bernardo foi não ter conseguido um resultado além do empate no primeiro jogo, no estádio 1º de Maio. "Deixamos a desejar no jogo em casa. Isso foi decisivo e favoreceu o adversário", explicou. "Mas hoje (ontem) demonstramos vontade e lutamos até o fim para conquistar esse título. Não deu, faz parte do futebol", completou.

Um dos motivos que prejudicaram o rendimento da equipe, segundo Peixe, foi a condição do gramado do estádio Antonio Soares de Oliveira, em Guarulhos. "O campo nos dificultou muito e sabíamos dessa condição."

Outro destaque foi o zagueiro Éder. Feliz com o nascimento de sua filha na última sexta-feira, o jogador mostrava no semblante o abatimento com o resultado. "Pois é, não conseguimos, mas os dois times foram merecedores. A qualidade técnica dos dois é muito equilibrada e isso fica explícito porque nos três jogos nesta A-3 foram três 1 a 1."

Diego Tardelli prestigia irmão, o meia Juninho

O estádio Antonio Soares de Oliveira estava completamente lotado. Os espaços reservados às duas torcidas foram preenchidos e um torcedor em especial foi a Guarulhos apoiar um familiar: o atacante Diego Tardelli, do Flamengo, irmão do meia Juninho, do São Bernardo.

"Sempre torci por ele e aproveitando minha folga vim acompanhar o jogo, como há muito tempo não fazia, e torcer pelo São Bernardo. O time está de parabéns pelo acesso e hoje (ontem) o que complicou foi o gol de empate", comentou o jogador.

Atualmente no Rubro-Negro carioca, o atleta veio torcer contra o homônimo paulista. "Como não é o do Rio, a gente tem o respeito. Mas o que vale nessas horas é torcer pela família", disse Tardelli.

Após um excelente início de carreira pelo São Paulo, o jogador passou pelo Bétis-ESP, São Caetano, PSV-HOL e chegou ao Flamengo. "Graças a Deus estou conseguindo me dar bem e estou feliz porque meu irmão também está", concluiu Diego.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sentimentos se misturam no vestiário do São Bernardo

Jogadores, comissão técnica e diretoria lamentavam a perda do título, mas comemoravam acesso à Série A2

Dérek Bittencourt
Especial para o Diário

16/06/2008 | 07:05


No vestiário do estádio Antonio Soares de Oliveira, os sentimentos dos jogadores, da comissão técnica e da diretoria alternavam tristeza pela perda do título e satisfação pela missão cumprida, em relação ao acesso para a Série A-2 do Paulista.

Com a taça de vice-campeão nas mãos o presidente Edgard Montemor Filho explicava o significado do troféu. "Essa taça representa todo o esforço e o trabalho da comissão técnica e dos jogadores, as noites sem dormir da diretoria e todos os problemas superados dentro e fora do campo", disse o dirigente. "É com muito orgulho que seguro este troféu e um dos objetivos foi conquistado, e o principal deles, que foi o acesso", completou.

O técnico Lelo teve um discurso parecido e explicou por que o São Bernardo perdeu o título. "O que atrapalhou foi o baque do jogo contra o Votoraty (goleada sofrida em casa, 5 a 0), que não conseguimos recuperar. Tivemos oportunidades nesses 180 minutos da decisão para sair com o título, mas, infelizmente, não deu", disse o treinador.

Com contrato renovado até o final da Série A-2 do Campeonato Paulista do ano que vem, Lelo ainda se diz orgulhoso pelo trabalho feito antes e durante a A-3. "Me sinto honrado por trabalhar aqui. Os jogadores sempre lutaram por seus objetivos e foi a união de todos que fez o São Bernardo conquistar o acesso", disse.

Edgard Montemor explicou que o Tigre até poderia ter ficado com o título, mas que o equilíbrio e a vantagem do Flamengo foram providenciais. "Eles jogaram com o regulamento, fizeram melhor campanha, puderam decidir em casa e ainda jogavam pelo empate", disse. "Pelo o que foi apresentado pelas duas equipes, era de conhecimento de todos que seria um jogo decidido nos detalhes. E de certa forma foi, porque foram dois gols de bola parada (cobranças de pênalti e falta)", emendou.

Justamente por causa desse equilíbrio entre os times, o técnico Lelo falou que o placar do jogo não teve anormalidade. "Vir aqui, em uma decisão, e empatar com o Flamengo é um resultado normal."

PLANEJAMENTO - Outro aspecto abordado foi o futuro do São Bernardo. "Nos reapresentamos amanhã (hoje) e teremos 15 dias de descanso", disse o ala-esquerdo Renato Peixe. "Eles voltam no dia 30", emendou o presidente.

Após esse período, os jogadores retornam com força total para a disputa da Copa FPF, que dá uma vaga à Copa do Brasil para o campeão. "Vamos montar um time forte para a Copa Federação e torcemos para que no segundo semestre tudo dê tão certo quanto no primeiro", concluiu o técnico Lelo.

Peixe assume responsabilidade no empate do Tigre

O ala-esquerdo Renato Peixe foi um dos grandes personagens do São Bernardo durante o Campeonato Paulista da Série A-3 e na partida final, ontem pela manhã, em Guarulhos, não foi diferente.

O camisa 11 assumiu a responsabilidade de cobrar o pênalti que abriu o placar do jogo e anotou seu 12º gol no torneio, ficando como artilheiro do Tigre na competição. Porém, o tento não foi suficiente para dar a inédita conquista ao clube e à cidade.

"Todo mundo queria muito esse título, mas infelizmente não veio. O nosso primeiro objetivo foi alcançado, que era o acesso, e agora vamos comemorar esse vice-campeonato", disse o jogador.

Segundo Renato Peixe, o principal erro do São Bernardo foi não ter conseguido um resultado além do empate no primeiro jogo, no estádio 1º de Maio. "Deixamos a desejar no jogo em casa. Isso foi decisivo e favoreceu o adversário", explicou. "Mas hoje (ontem) demonstramos vontade e lutamos até o fim para conquistar esse título. Não deu, faz parte do futebol", completou.

Um dos motivos que prejudicaram o rendimento da equipe, segundo Peixe, foi a condição do gramado do estádio Antonio Soares de Oliveira, em Guarulhos. "O campo nos dificultou muito e sabíamos dessa condição."

Outro destaque foi o zagueiro Éder. Feliz com o nascimento de sua filha na última sexta-feira, o jogador mostrava no semblante o abatimento com o resultado. "Pois é, não conseguimos, mas os dois times foram merecedores. A qualidade técnica dos dois é muito equilibrada e isso fica explícito porque nos três jogos nesta A-3 foram três 1 a 1."

Diego Tardelli prestigia irmão, o meia Juninho

O estádio Antonio Soares de Oliveira estava completamente lotado. Os espaços reservados às duas torcidas foram preenchidos e um torcedor em especial foi a Guarulhos apoiar um familiar: o atacante Diego Tardelli, do Flamengo, irmão do meia Juninho, do São Bernardo.

"Sempre torci por ele e aproveitando minha folga vim acompanhar o jogo, como há muito tempo não fazia, e torcer pelo São Bernardo. O time está de parabéns pelo acesso e hoje (ontem) o que complicou foi o gol de empate", comentou o jogador.

Atualmente no Rubro-Negro carioca, o atleta veio torcer contra o homônimo paulista. "Como não é o do Rio, a gente tem o respeito. Mas o que vale nessas horas é torcer pela família", disse Tardelli.

Após um excelente início de carreira pelo São Paulo, o jogador passou pelo Bétis-ESP, São Caetano, PSV-HOL e chegou ao Flamengo. "Graças a Deus estou conseguindo me dar bem e estou feliz porque meu irmão também está", concluiu Diego.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;