Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Mastigação

Mastigar mais vezes pode ajudar a reduzir apetite e auxiliar no
emagrecimento, diz pesquisa da Universidade Médica Harbin



06/10/2011 | 00:00


Pode parecer inusitado, mas uma forma de comer menos e emagrecer é mastigar mais e melhor. Isso é o que indica uma pesquisa publicada no American Journal of Clinical Nutrition, realizada na Universidade Médica Harbin, na China. De acordo com o estudo, mastigar cerca de 40 vezes antes de engolir a comida (em vez das tradicionais 15 vezes) pode significar uma ingestão calórica 12% menor. Isso porque a mastigação mais demorada gera níveis diferentes no sangue de hormônios relacionados ao apetite. No caso da mastigação prolongada, os níveis de grelina, hormônio responsável por estimular o apetite, são menores. Em compensação, os índices de colecistocinina, hormônio que, acredita-se, reduz o apetite, são menores. Tal fato estimula então a sensação de saciedade com a refeição e a necessidade de parar de comer. Por Solange Bagdadi



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mastigação

Mastigar mais vezes pode ajudar a reduzir apetite e auxiliar no
emagrecimento, diz pesquisa da Universidade Médica Harbin


06/10/2011 | 00:00


Pode parecer inusitado, mas uma forma de comer menos e emagrecer é mastigar mais e melhor. Isso é o que indica uma pesquisa publicada no American Journal of Clinical Nutrition, realizada na Universidade Médica Harbin, na China. De acordo com o estudo, mastigar cerca de 40 vezes antes de engolir a comida (em vez das tradicionais 15 vezes) pode significar uma ingestão calórica 12% menor. Isso porque a mastigação mais demorada gera níveis diferentes no sangue de hormônios relacionados ao apetite. No caso da mastigação prolongada, os níveis de grelina, hormônio responsável por estimular o apetite, são menores. Em compensação, os índices de colecistocinina, hormônio que, acredita-se, reduz o apetite, são menores. Tal fato estimula então a sensação de saciedade com a refeição e a necessidade de parar de comer. Por Solange Bagdadi

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;