Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Segunda chacina do ano deixa 3 mortos em SP


Do Diário do Grande ABC

08/01/2000 | 15:42


Uma mulher e dois adolescentes - um menino e uma garota - foram encontrados, às 20 horas desta sexta-feira, mortos por espancamento e facadas na residência da Rua Joviniano de Oliveira, 111, no Jardim Carumbé, zona norte de Sao Paulo. Foi a segunda chacina deste ano. No ano passado, foram 88 casos - um só a menos que em 1998 -, que somaram 302 vítimas.

Na casa, com vários ferimentos, estava também Luciano Rodrigues, 24 anos, que foi considerado pelos policiais do 74º Distrito Policial, em Parada de Taipas, vítima de tentativa de homicídio. Mas para a delegada da Equipe G/Sul do Departamento de Homicídios e Proteçao à Pessoa (DHPP), apesar dos ferimentos, ele é suspeito do crime.

Os vizinhos dizem que nao ouviram barulhos suspeitos, nem gritos, nem qualquer movimentaçao diferente na residência, nos últimos dias. O odor, porém, vindo da casa fechada, chamou a atençao e os levou a avisar a polícia. Policiais militares tentavam abrir a janela trancada, quando a porta foi aberta por Rodrigues.

Com muitos ferimentos, ensangüentado e enrolado em um lençol, ele dizia encontrar-se completamente atordoado, sem entender o que estava acontecendo. Afirmava ter sido acordado pelas vozes e batidas na porta e na janela. Os policiais encontraram as vítimas mortas no quarto.

Helena Cardoso Saraiva, 37 anos, e seu filho André de Jesus, 11, estavam caídos ao lado da cama. Tinham marcas de espancamento pelo corpo e cortes de faca no pescoço. Ela estava sem peças íntimas, com o vestido levantado até o peito. Debaixo da cama foi encontrada Rosineide Maria da Conceiçao, 16 anos. Estava praticamente nua - tinha apenas um sutia cor-de-rosa.

Depois de medicado no Hospital Geral de Taipas, Rodrigues foi encaminhado ao 74º DP. Em depoimento, disse que na noite de terça-feira foi à casa de Helena e, mais tarde, chegou um homem cujo nome desconhece, mas sabe residir no Jardim Damasceno.

Ambos embriagaram-se e ele afirmou que ficou conversando na sala com o menino André, enquanto o homem entrava no quarto com as mulheres. Disse que, depois, dormiu e só acordou com a chegada da polícia, passados três dias.

Unhas - Na casa, toda revirada, denotando ter ocorrido luta, foram encontrados três pedaços de porretes e a faca usada no crime. A delegada da equipe especializada suspeita de Rodrigues, nao só pela incoerência de sua versao, mas também porque ele têm marcas no peito e na face que parecem ser ferimentos feitos por unhas, possivelmente das vítimas.

Além de solicitar que sejam feitos exames para constatar se as mulheres foram estupradas, a delegada pediu exames de dosagem alcoólica e toxicológica em Rodrigues, que ficou detido no DHPP.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Segunda chacina do ano deixa 3 mortos em SP

Do Diário do Grande ABC

08/01/2000 | 15:42


Uma mulher e dois adolescentes - um menino e uma garota - foram encontrados, às 20 horas desta sexta-feira, mortos por espancamento e facadas na residência da Rua Joviniano de Oliveira, 111, no Jardim Carumbé, zona norte de Sao Paulo. Foi a segunda chacina deste ano. No ano passado, foram 88 casos - um só a menos que em 1998 -, que somaram 302 vítimas.

Na casa, com vários ferimentos, estava também Luciano Rodrigues, 24 anos, que foi considerado pelos policiais do 74º Distrito Policial, em Parada de Taipas, vítima de tentativa de homicídio. Mas para a delegada da Equipe G/Sul do Departamento de Homicídios e Proteçao à Pessoa (DHPP), apesar dos ferimentos, ele é suspeito do crime.

Os vizinhos dizem que nao ouviram barulhos suspeitos, nem gritos, nem qualquer movimentaçao diferente na residência, nos últimos dias. O odor, porém, vindo da casa fechada, chamou a atençao e os levou a avisar a polícia. Policiais militares tentavam abrir a janela trancada, quando a porta foi aberta por Rodrigues.

Com muitos ferimentos, ensangüentado e enrolado em um lençol, ele dizia encontrar-se completamente atordoado, sem entender o que estava acontecendo. Afirmava ter sido acordado pelas vozes e batidas na porta e na janela. Os policiais encontraram as vítimas mortas no quarto.

Helena Cardoso Saraiva, 37 anos, e seu filho André de Jesus, 11, estavam caídos ao lado da cama. Tinham marcas de espancamento pelo corpo e cortes de faca no pescoço. Ela estava sem peças íntimas, com o vestido levantado até o peito. Debaixo da cama foi encontrada Rosineide Maria da Conceiçao, 16 anos. Estava praticamente nua - tinha apenas um sutia cor-de-rosa.

Depois de medicado no Hospital Geral de Taipas, Rodrigues foi encaminhado ao 74º DP. Em depoimento, disse que na noite de terça-feira foi à casa de Helena e, mais tarde, chegou um homem cujo nome desconhece, mas sabe residir no Jardim Damasceno.

Ambos embriagaram-se e ele afirmou que ficou conversando na sala com o menino André, enquanto o homem entrava no quarto com as mulheres. Disse que, depois, dormiu e só acordou com a chegada da polícia, passados três dias.

Unhas - Na casa, toda revirada, denotando ter ocorrido luta, foram encontrados três pedaços de porretes e a faca usada no crime. A delegada da equipe especializada suspeita de Rodrigues, nao só pela incoerência de sua versao, mas também porque ele têm marcas no peito e na face que parecem ser ferimentos feitos por unhas, possivelmente das vítimas.

Além de solicitar que sejam feitos exames para constatar se as mulheres foram estupradas, a delegada pediu exames de dosagem alcoólica e toxicológica em Rodrigues, que ficou detido no DHPP.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;