Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 28 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PSOL promete mais dinheiro do fundo eleitoral para mulheres, negros e LGBTs



08/08/2020 | 22:09


O PSOL aprovou, neste sábado, 8, novas regras para a distribuição do Fundo Eleitoral. Agora, o partido passa a adotar cálculo maior para mulheres, negros, indígenas, quilombolas, LGBTs e pessoas com deficiência.

Mulheres receberão 30% a mais; negros e negras, 50%; indígenas, quilombolas e LGBT, 15%; e pessoas com deficiência-PCD, 10%. Os porcentuais são ainda acumulativos, ou seja, uma candidata a vereadora negra poderá receber 80% a mais que um candidato homem. A porcentagem dos recursos para vereadores será calculada de acordo com a candidatura de um homem branco na mesma "faixa de prioridade". Esta é uma classificação adotada pela legenda para candidatos com maior potencial eleitoral e visibilidade, por exemplo.

A sigla receberá, neste ano, R$ 40 milhões para o fundo de campanhas. A distribuição foi definida em reunião do Diretório Nacional neste sábado.

"Pretendemos não só incentivar as candidaturas de mulheres, indo muito além do que determina o TSE, mas também de outros grupos que historicamente estão em desvantagem na política brasileira", disse Juliano Medeiros, presidente do PSOL.

Até então, valiam na legenda as normas estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE): reserva de 30% do total de recursos para mulheres.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PSOL promete mais dinheiro do fundo eleitoral para mulheres, negros e LGBTs


08/08/2020 | 22:09


O PSOL aprovou, neste sábado, 8, novas regras para a distribuição do Fundo Eleitoral. Agora, o partido passa a adotar cálculo maior para mulheres, negros, indígenas, quilombolas, LGBTs e pessoas com deficiência.

Mulheres receberão 30% a mais; negros e negras, 50%; indígenas, quilombolas e LGBT, 15%; e pessoas com deficiência-PCD, 10%. Os porcentuais são ainda acumulativos, ou seja, uma candidata a vereadora negra poderá receber 80% a mais que um candidato homem. A porcentagem dos recursos para vereadores será calculada de acordo com a candidatura de um homem branco na mesma "faixa de prioridade". Esta é uma classificação adotada pela legenda para candidatos com maior potencial eleitoral e visibilidade, por exemplo.

A sigla receberá, neste ano, R$ 40 milhões para o fundo de campanhas. A distribuição foi definida em reunião do Diretório Nacional neste sábado.

"Pretendemos não só incentivar as candidaturas de mulheres, indo muito além do que determina o TSE, mas também de outros grupos que historicamente estão em desvantagem na política brasileira", disse Juliano Medeiros, presidente do PSOL.

Até então, valiam na legenda as normas estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE): reserva de 30% do total de recursos para mulheres.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;