Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Luiz Silvério prega diálogo e evita criticar Brás Marinho

Integrante da mesma corrente interna do irmão do prefeito Luiz Marinho diz ter postura diferente


Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

01/09/2013 | 07:00


Candidato à presidência do PT de São Bernardo, o professor universitário Luiz Silvério afirma que pretende resgatar a participação popular nas decisões do partido e evita criticar a candidatura de Brás Marinho, irmão do prefeito Luiz Marinho e favorito no pleito.

Silvério é ligado à corrente CNB (Construindo um Novo Brasil), a mesma de Brás Marinho. Ele, no entanto, destaca que segue outra linha de pensamento. “Isso é natural dentro de uma corrente que agrega inúmeras forças. Não há problema nisso”, diz.

Considerando-se independente, o professor universitário destaca que, se for escolhido em 10 de novembro no PED (Processo de Eleição Direta) para comandar o diretório local do petismo, vai fazer do diálogo sua principal ferramenta. “Temos de conversar com todos os militantes. Ouvir as pessoas é fundamental”, considera.

Silvério vai disputar o comando do diretório de São Bernardo com Brás Marinho, Juliana Rocha (do segmento Articulação de Esquerda) e Antonio Luiz, o Robozão (que se intitula o candidato da militância).

O aspirante ao comando petista opina que a união é fundamental para os rumos do PT de São Bernardo em 2014, quando a sigla trabalhará pela reeleição da presidente Dilma Rousseff e para desbancar o PSDB no comando do Palácio dos Bandeirantes.

As inscrições para o PED vão até 11 de setembro. Para votar na eleição interna, a única exigência é que os filiados até outubro de 2012 paguem a contribuição partidária mensal, de R$ 10.

Articulações nos bastidores visam unificar algumas chapas da eleição interna para diminuir o número de candidatos à presidência do PT, mas nenhum dos quatro concorrentes manifesta desejo de abrir mão da candidatura em prol de um outro projeto para o diretório petista local, que desde 2007 está sob o comando de Wanderley Salatiel.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Luiz Silvério prega diálogo e evita criticar Brás Marinho

Integrante da mesma corrente interna do irmão do prefeito Luiz Marinho diz ter postura diferente

Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

01/09/2013 | 07:00


Candidato à presidência do PT de São Bernardo, o professor universitário Luiz Silvério afirma que pretende resgatar a participação popular nas decisões do partido e evita criticar a candidatura de Brás Marinho, irmão do prefeito Luiz Marinho e favorito no pleito.

Silvério é ligado à corrente CNB (Construindo um Novo Brasil), a mesma de Brás Marinho. Ele, no entanto, destaca que segue outra linha de pensamento. “Isso é natural dentro de uma corrente que agrega inúmeras forças. Não há problema nisso”, diz.

Considerando-se independente, o professor universitário destaca que, se for escolhido em 10 de novembro no PED (Processo de Eleição Direta) para comandar o diretório local do petismo, vai fazer do diálogo sua principal ferramenta. “Temos de conversar com todos os militantes. Ouvir as pessoas é fundamental”, considera.

Silvério vai disputar o comando do diretório de São Bernardo com Brás Marinho, Juliana Rocha (do segmento Articulação de Esquerda) e Antonio Luiz, o Robozão (que se intitula o candidato da militância).

O aspirante ao comando petista opina que a união é fundamental para os rumos do PT de São Bernardo em 2014, quando a sigla trabalhará pela reeleição da presidente Dilma Rousseff e para desbancar o PSDB no comando do Palácio dos Bandeirantes.

As inscrições para o PED vão até 11 de setembro. Para votar na eleição interna, a única exigência é que os filiados até outubro de 2012 paguem a contribuição partidária mensal, de R$ 10.

Articulações nos bastidores visam unificar algumas chapas da eleição interna para diminuir o número de candidatos à presidência do PT, mas nenhum dos quatro concorrentes manifesta desejo de abrir mão da candidatura em prol de um outro projeto para o diretório petista local, que desde 2007 está sob o comando de Wanderley Salatiel.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;