Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Poesia que vira música

O músico Márcio de Camillo transformou obras do poeta Manoel de Barros em canções


Juliana Ravelli
Do Diário do Grande ABC

30/06/2013 | 07:00


"Eu queria aprender o idioma das árvores. Saber as canções do vento nas folhas da tarde.” O trecho faz parte do poema de Manoel de Barros, 96 anos. Em suas obras, ele fala sobre a natureza e as coisas simples da vida. Guimarães Rosa (1908–1967), outro grande escritor, certa vez comparou a poesia de Manoel a um doce de coco. Deve ser porque ela é realmente saborosa.

Reconhecido no Brasil e no mundo, o poeta nasceu em Mato Grosso e cresceu no Mato Grosso do Sul, onde mora. Por isso, sempre teve como inspiração a paisagem, os bichos e as pessoas do Pantanal.

Para homenagear Manoel e aproximar o público infantil da literatura, o cantor e compositor Márcio de Camillo transformou obras do poeta em música. Assim nasceu o CD Crianceiras. Também criado no Mato Grosso do Sul, Márcio conheceu o escritor nos anos 1980. Desde então, virou fã e amigo.

A ideia de musicar textos de Manoel tem cerca de 20 anos; o compositor passou cinco deles estudando muito as obras. “Foi pedido dele. Falou para eu ter calma para fazer uma coisa interessante.” Depois de pronto, Manoel ouviu o CD e o aprovou. “A bisneta de 2 aninhos dele canta as músicas”, diz Márcio, para quem criar melodias para as poesias foi difícil.

Quinze crianças participaram da gravação do álbum, entre elas Mariah, filha de Márcio, com 14 anos hoje. Crianceiras também virou espetáculo, que viaja por todo o Brasil. Quem sabe, em breve, passa por São Paulo ou pelo Grande ABC para mostrar um pouco da arte e da beleza pantaneira.


Crianceiras (R$ 35) é aquele tipo de CD com músicas gostosas que a gente pode escutar enquanto brinca. Mas talvez a maneira ideal de ouvi-las seja deitado numa rede, rodeado pela natureza e olhando para o céu azul. Se a gente não mora perto da mata, porém, não tem problema. Basta fechar os olhos ao som das canções que dá para imaginar cenário lindo, com rio, árvores, bichos e alegria. O CD tem 10 faixas, e as ilustrações do encarte são de Martha Barros, filha de Manoel de Barros. Pode ser comprado pelo www.crianceiras.com.br.


Novidades literárias


Eu Fico Feliz, Você Fica Feliz (Lorenz Pauli e Kathrin Schärer, Brinque-Book, 28 págs., R$ 29,90) mostra o curioso encontro entre o urso e o arganaz (pequeno roedor que vive em árvores). Eles começam a trocar coisas para ficar contentes até descobrirem que a verdadeira felicidade não está nos objetos, mas na amizade.


Dunas de Água (Javier Sobrino e Alfonso Ruano, Edições SM, 32 págs., R$ 36) tem a menina Zohra como protagonista. Sua família faz parte de um povo nômade (sem residência fixa) que tem uma vida difícil no deserto. O maior sonho dela é conhecer o mar.


Pedro e a Onça (Paulo Valente, Rocco, 44 págs., R$ 34) é aventura sobre o menino que vive no Pantanal com o avô e precisa enfrentar o grande felino brasileiro para salvar os amigos animais, como o pato manco e o pássaro arteiro. É inspirada na obra Pedro e o Lobo.


O Tapete de Pele de Tigre
(Gerald Rose, Caramelo, 32 págs., R$ 38) conta a história do velho felino maltratado que vira peça de decoração da casa do rajá (rei indiano). Ninguém sabe que ele está vivo, mas as mordomias que tem no palácio podem ameaçar o segredo.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Poesia que vira música

O músico Márcio de Camillo transformou obras do poeta Manoel de Barros em canções

Juliana Ravelli
Do Diário do Grande ABC

30/06/2013 | 07:00


"Eu queria aprender o idioma das árvores. Saber as canções do vento nas folhas da tarde.” O trecho faz parte do poema de Manoel de Barros, 96 anos. Em suas obras, ele fala sobre a natureza e as coisas simples da vida. Guimarães Rosa (1908–1967), outro grande escritor, certa vez comparou a poesia de Manoel a um doce de coco. Deve ser porque ela é realmente saborosa.

Reconhecido no Brasil e no mundo, o poeta nasceu em Mato Grosso e cresceu no Mato Grosso do Sul, onde mora. Por isso, sempre teve como inspiração a paisagem, os bichos e as pessoas do Pantanal.

Para homenagear Manoel e aproximar o público infantil da literatura, o cantor e compositor Márcio de Camillo transformou obras do poeta em música. Assim nasceu o CD Crianceiras. Também criado no Mato Grosso do Sul, Márcio conheceu o escritor nos anos 1980. Desde então, virou fã e amigo.

A ideia de musicar textos de Manoel tem cerca de 20 anos; o compositor passou cinco deles estudando muito as obras. “Foi pedido dele. Falou para eu ter calma para fazer uma coisa interessante.” Depois de pronto, Manoel ouviu o CD e o aprovou. “A bisneta de 2 aninhos dele canta as músicas”, diz Márcio, para quem criar melodias para as poesias foi difícil.

Quinze crianças participaram da gravação do álbum, entre elas Mariah, filha de Márcio, com 14 anos hoje. Crianceiras também virou espetáculo, que viaja por todo o Brasil. Quem sabe, em breve, passa por São Paulo ou pelo Grande ABC para mostrar um pouco da arte e da beleza pantaneira.


Crianceiras (R$ 35) é aquele tipo de CD com músicas gostosas que a gente pode escutar enquanto brinca. Mas talvez a maneira ideal de ouvi-las seja deitado numa rede, rodeado pela natureza e olhando para o céu azul. Se a gente não mora perto da mata, porém, não tem problema. Basta fechar os olhos ao som das canções que dá para imaginar cenário lindo, com rio, árvores, bichos e alegria. O CD tem 10 faixas, e as ilustrações do encarte são de Martha Barros, filha de Manoel de Barros. Pode ser comprado pelo www.crianceiras.com.br.


Novidades literárias


Eu Fico Feliz, Você Fica Feliz (Lorenz Pauli e Kathrin Schärer, Brinque-Book, 28 págs., R$ 29,90) mostra o curioso encontro entre o urso e o arganaz (pequeno roedor que vive em árvores). Eles começam a trocar coisas para ficar contentes até descobrirem que a verdadeira felicidade não está nos objetos, mas na amizade.


Dunas de Água (Javier Sobrino e Alfonso Ruano, Edições SM, 32 págs., R$ 36) tem a menina Zohra como protagonista. Sua família faz parte de um povo nômade (sem residência fixa) que tem uma vida difícil no deserto. O maior sonho dela é conhecer o mar.


Pedro e a Onça (Paulo Valente, Rocco, 44 págs., R$ 34) é aventura sobre o menino que vive no Pantanal com o avô e precisa enfrentar o grande felino brasileiro para salvar os amigos animais, como o pato manco e o pássaro arteiro. É inspirada na obra Pedro e o Lobo.


O Tapete de Pele de Tigre
(Gerald Rose, Caramelo, 32 págs., R$ 38) conta a história do velho felino maltratado que vira peça de decoração da casa do rajá (rei indiano). Ninguém sabe que ele está vivo, mas as mordomias que tem no palácio podem ameaçar o segredo.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;