Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Peça tem 'aperitivo' grátis



20/06/2009 | 07:00


A escritora e dramaturga Maria Adelaide Amaral costuma dizer que o texto de Lygia Fagundes Telles agarra o público pela emoção. Foi o que a direcionou na versão que escreveu para o teatro do romance "As Meninas", recentemente reeditado pela Companhia das Letras. "Os eventos podem ser antigos, a ação dramática não, o que torna o texto atemporal", comenta. "Valeu na época e continua valendo hoje."

Com direção de Yara de Novaes, a peça ainda está no início do processo. Mas um aperitivo pode ser conferido hoje, às 15h, com a leitura do texto adaptado, no Teatro Eva Herz (Livraria Cultura do Conjunto Nacional), em São Paulo, com entrada franca.

Lançado em 1973, As Meninas traz a história de três universitárias, que se revezam como narradoras da obra durante uma greve estudantil: Lorena, fruto de educação esmerada, vive remoendo o passado; Lia, conhecida como Lião, ativista de esquerda dedicada à ação política clandestina; e Ana Clara, estudante de psicologia com sérios problemas existenciais.

"Além da elegância do estilo, Lygia tem um sentido de dramaticidade espantoso", atesta Maria Adelaide. "Cada romance ou conto seu contém uma peça de teatro." A leitura de amanhã será feita pelos atores Bárbara Paz, Clarissa Rockenbach, Silvia Lourenço, José Roberto Jardim, Luciano Andrey, Clarisse Abujamra e Tuna Dwek.

As Meninas - Leitura dramática. No Teatro Eva Herz (166 lug.) - Avenida Paulista, 2.073, Conjunto Nacional, Tel.: 3170-4059. Hoje, às 15h. Grátis.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Peça tem 'aperitivo' grátis


20/06/2009 | 07:00


A escritora e dramaturga Maria Adelaide Amaral costuma dizer que o texto de Lygia Fagundes Telles agarra o público pela emoção. Foi o que a direcionou na versão que escreveu para o teatro do romance "As Meninas", recentemente reeditado pela Companhia das Letras. "Os eventos podem ser antigos, a ação dramática não, o que torna o texto atemporal", comenta. "Valeu na época e continua valendo hoje."

Com direção de Yara de Novaes, a peça ainda está no início do processo. Mas um aperitivo pode ser conferido hoje, às 15h, com a leitura do texto adaptado, no Teatro Eva Herz (Livraria Cultura do Conjunto Nacional), em São Paulo, com entrada franca.

Lançado em 1973, As Meninas traz a história de três universitárias, que se revezam como narradoras da obra durante uma greve estudantil: Lorena, fruto de educação esmerada, vive remoendo o passado; Lia, conhecida como Lião, ativista de esquerda dedicada à ação política clandestina; e Ana Clara, estudante de psicologia com sérios problemas existenciais.

"Além da elegância do estilo, Lygia tem um sentido de dramaticidade espantoso", atesta Maria Adelaide. "Cada romance ou conto seu contém uma peça de teatro." A leitura de amanhã será feita pelos atores Bárbara Paz, Clarissa Rockenbach, Silvia Lourenço, José Roberto Jardim, Luciano Andrey, Clarisse Abujamra e Tuna Dwek.

As Meninas - Leitura dramática. No Teatro Eva Herz (166 lug.) - Avenida Paulista, 2.073, Conjunto Nacional, Tel.: 3170-4059. Hoje, às 15h. Grátis.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;