Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Moradores de mananciais pressionam por obras em S.Bernardo


Leonardo Fuhrmann
Do Diário do Grande ABC

30/08/2007 | 09:38


A pressão na Câmara de São Bernardo de algumas dezenas de moradores de áreas de mananciais fez com que a Prefeitura concordasse em marcar duas audiências para recebê-los na Secretaria do Meio Ambiente. As reuniões estão marcadas para depois do encontro do Executivo Municipal e da Sabesp com a Promotoria do Meio Ambiente da cidade, para discutir as ocupações em áreas ambientalmente protegidas.

Com cartazes e fazendo muito barulho durante a sessão, os moradores dos bairros Jardim Las Palmas e João de Barros protestaram contra a falta de obras de saneamento, iluminação e asfalto nas regiões em que moram. Alguns deles repetiram diversas vezes que, apesar de terem ocupado os terrenos em que moram, pagam impostos.

A promotora Rosângela Staurenghi afirma que já existe um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para a realização de obras de saneamento no João de Barros. “O MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) pediu um diagnóstico sócio-ambiental, a readequação urbanística e uma política de redução de danos e compensação ambiental. Por isso, houve um atraso. Agora, eles alegam falta de recursos”, explica.

Rosângela diz que a Promotoria defende as obras e, inclusive, as cobra da Sabesp. “Quando a Prefeitura concedeu o serviço de águas e esgoto para a empresa estadual existia uma exigência mínima de investimentos e o MP está cobrando que isso seja cumprido”, diz. A reunião com a Sabesp será uma apresentação das soluções. “Vou entregar a proposta aos técnicos da Promotoria, que vão analisá-la”, afirma.

Ela explica que as obras de infra-estrutura na região do Alvarenga, onde se localizam esses loteamentos, já estão previstas desde o plano de obras emergenciais de infra-estrutura apresentadas em um decreto estadual de 1998.

O vereador Ary de Oliveira (PR) falou pela administração municipal e inicialmente disse que qualquer solução dependeria do que será discutido com o MP-SP no próximo dia 13.

Como os manifestantes não ficaram satisfeitos e permaneceram na sede do Legislativo, Oliveira cedeu e anunciou que duas comissões de moradores serão recebidas no próximo dia 17, na Secretaria de Meio Ambiente.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Moradores de mananciais pressionam por obras em S.Bernardo

Leonardo Fuhrmann
Do Diário do Grande ABC

30/08/2007 | 09:38


A pressão na Câmara de São Bernardo de algumas dezenas de moradores de áreas de mananciais fez com que a Prefeitura concordasse em marcar duas audiências para recebê-los na Secretaria do Meio Ambiente. As reuniões estão marcadas para depois do encontro do Executivo Municipal e da Sabesp com a Promotoria do Meio Ambiente da cidade, para discutir as ocupações em áreas ambientalmente protegidas.

Com cartazes e fazendo muito barulho durante a sessão, os moradores dos bairros Jardim Las Palmas e João de Barros protestaram contra a falta de obras de saneamento, iluminação e asfalto nas regiões em que moram. Alguns deles repetiram diversas vezes que, apesar de terem ocupado os terrenos em que moram, pagam impostos.

A promotora Rosângela Staurenghi afirma que já existe um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para a realização de obras de saneamento no João de Barros. “O MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) pediu um diagnóstico sócio-ambiental, a readequação urbanística e uma política de redução de danos e compensação ambiental. Por isso, houve um atraso. Agora, eles alegam falta de recursos”, explica.

Rosângela diz que a Promotoria defende as obras e, inclusive, as cobra da Sabesp. “Quando a Prefeitura concedeu o serviço de águas e esgoto para a empresa estadual existia uma exigência mínima de investimentos e o MP está cobrando que isso seja cumprido”, diz. A reunião com a Sabesp será uma apresentação das soluções. “Vou entregar a proposta aos técnicos da Promotoria, que vão analisá-la”, afirma.

Ela explica que as obras de infra-estrutura na região do Alvarenga, onde se localizam esses loteamentos, já estão previstas desde o plano de obras emergenciais de infra-estrutura apresentadas em um decreto estadual de 1998.

O vereador Ary de Oliveira (PR) falou pela administração municipal e inicialmente disse que qualquer solução dependeria do que será discutido com o MP-SP no próximo dia 13.

Como os manifestantes não ficaram satisfeitos e permaneceram na sede do Legislativo, Oliveira cedeu e anunciou que duas comissões de moradores serão recebidas no próximo dia 17, na Secretaria de Meio Ambiente.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;