Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ramalhão prevê dificuldades contra Macaca


Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

16/04/2005 | 11:59


Dificuldade. Esta é a palavra que ninguém tira da cabeça no Santo André. O técnico Sérgio Soares e o elenco do Ramalhão sabem que a Ponte Preta vai dificultar ao máximo o jogo de domingo, no Moisés Lucarelli, principalmente porque a Macaca ainda corre risco, mesmo que remoto, de rebaixamento. O treinador, que passou a semana em Porto Feliz, prefere não adiantar se vai utilizar o time titular ou mesclar a equipe, já que na terça-feira enfrenta o Palmeiras pela Copa Libertadores.

“Estamos analisando isso direitinho. Vamos fazer uma reunião com a comissão técnica e chegar a uma conclusão. Tenho certeza de que será uma preparação final muito boa para encarar o Palmeiras”, disse Sérgio Soares, que não se preocupa com possíveis contusões. “Quem não corre risco, não vence”.

O técnico do Ramalhão sabe que jogar no Moisés Lucarelli nunca é uma tarefa fácil. “Enfrentar a Ponte sempre é difícil, ainda mais nesta situação, com eles correndo o risco de cair. Vai ter um monte de situações estranhas, uma guerrinha. Mas poderia ser pior”, afirmou Sérgio Soares, que está satisfeito com o rendimento do seu time. “Contra o Ituano (vitória de 2 a 0), a equipe me agradou. Não está 100%, mas desempenhou bem aquilo que programamos”.

O goleiro Júlio César espera a definição da comissão técnica para saber se entra em campo. Independentemente da decisão, sabe que a Ponte vai ser um adversário indigesto. “Eles vão entrar duro. Então, não adianta a gente ser meia-boca, tem de entrar duro também. Se tiver de jogar todos os titulares, vamos lutar da mesma maneira. Lá eles criam uma pressão muito grande. Claro que a vitória (da Ponte) contra o São Paulo amenizou a situação”, disse o goleiro, prevendo as dificuldades. “Vão soltar bomba no vestiário, não deixar aquecer em campo. Mas temos de deixar o desespero para eles”.

O atacante Leandrinho não tem uma opinião diferente do seu companheiro. Ele enfrentou o time de Campinas no Moisés Lucarelli apenas em um amistoso, quando jogava pelo Corinthians, e já sentiu a pressão. “A equipe deles é muito chata. Se tiver de jogar, vou para cima dos zagueiros sem medo”, promete.

Caravana – A Tuda vai acompanhar o jogo em Campinas. Os interessados devem estar às 12h45 de domingo, em frente ao estádio Bruno Daniel. Serão cobrados R$ 5 de passagem e o embarque será por ordem de chegada. O presidente Ovídio Simpionato pede que os torcedores compareçam com camisa do Santo André ou uma outra qualquer de cor azul.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;