Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Israel faz breve incursão em Gaza; jornalista segue seqüestrado


Da AFP

06/01/2007 | 14:40


Pela primeira vez desde a entrada em vigor de uma trégua, no dia 26 de novembro, o exército israelense fez uma breve incursão na Faixa de Gaza, onde o fotógrafo da AFP Jaime Razuri, seqüestrado há cinco dias, está em cativeiro.

"Vários tanques e um buldôzer entraram sexta-feira numa zona deserta a leste do campo de refugiados de Jabaliya, após disparos de foguetes nesta área", informou uma fonte de segurança palestina. Os veículos blindados ficaram cerca de uma hora no local, mas não houve troca de tiros.

No entanto, um porta-voz do exército israelense desmentiu incursão neste setor.

Segundo o pacto concluído em 26 de novembro, os grupos armados palestinos se comprometeram a não disparar mais foguetes em troca da retirada israelense do norte da Faixa de Gaza. Entretanto, desde então, cerca de 70 foguetes foram disparados contra Israel.

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, havia ordenado semana passada a retomada dos ataques contra os grupos armados palestinos que atiram foguetes artesanais contra Israel, violando o acordo.

Além disso, o fotógrafo da AFP Jaime Razuri completa neste sábado cinco dias de cativeiro na Faixa de Gaza. Por enquanto, nenhum grupo assumiu o seqüestro do jornalista peruano, que aconteceu no dia 1º de janeiro.

Os movimentos de solidariedade e os apelos para sua libertação se multiplicaram no Peru e na França. O CICR (Comitê Internacional da Cruz Vermelha) declarou neste sábado que está disposto a intervir para resgatar Jaime Razuri.

"Estamos, como sempre, prontos a atuar para facilitar os contatos", disse o porta-voz do CICR, Vincent Lusser. Segundo ele, a Cruz Vermelha pode, por exemplo, servir de intermediário com os seqüestrados para enviar medicamentos ou mensagens a Jaime Razuri,  50 anos, a pedido de sua família ou da agência.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Israel faz breve incursão em Gaza; jornalista segue seqüestrado

Da AFP

06/01/2007 | 14:40


Pela primeira vez desde a entrada em vigor de uma trégua, no dia 26 de novembro, o exército israelense fez uma breve incursão na Faixa de Gaza, onde o fotógrafo da AFP Jaime Razuri, seqüestrado há cinco dias, está em cativeiro.

"Vários tanques e um buldôzer entraram sexta-feira numa zona deserta a leste do campo de refugiados de Jabaliya, após disparos de foguetes nesta área", informou uma fonte de segurança palestina. Os veículos blindados ficaram cerca de uma hora no local, mas não houve troca de tiros.

No entanto, um porta-voz do exército israelense desmentiu incursão neste setor.

Segundo o pacto concluído em 26 de novembro, os grupos armados palestinos se comprometeram a não disparar mais foguetes em troca da retirada israelense do norte da Faixa de Gaza. Entretanto, desde então, cerca de 70 foguetes foram disparados contra Israel.

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, havia ordenado semana passada a retomada dos ataques contra os grupos armados palestinos que atiram foguetes artesanais contra Israel, violando o acordo.

Além disso, o fotógrafo da AFP Jaime Razuri completa neste sábado cinco dias de cativeiro na Faixa de Gaza. Por enquanto, nenhum grupo assumiu o seqüestro do jornalista peruano, que aconteceu no dia 1º de janeiro.

Os movimentos de solidariedade e os apelos para sua libertação se multiplicaram no Peru e na França. O CICR (Comitê Internacional da Cruz Vermelha) declarou neste sábado que está disposto a intervir para resgatar Jaime Razuri.

"Estamos, como sempre, prontos a atuar para facilitar os contatos", disse o porta-voz do CICR, Vincent Lusser. Segundo ele, a Cruz Vermelha pode, por exemplo, servir de intermediário com os seqüestrados para enviar medicamentos ou mensagens a Jaime Razuri,  50 anos, a pedido de sua família ou da agência.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;