Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Vereador intervém e evita reintegração no Casa Grande

Mandado era para retirada de família que está em área desde 2013


Matheus Angioleto
Especial para o Diário

17/03/2017 | 07:00


A GCM (Guarda Civil Municipal) de Diadema não conseguiu efetivar ontem a reintegração de posse de imóvel localizado em área pública, na Rua Nara Leão, no bairro Casa Grande. A residência é ocupada desde 2013 por família composta por dois adultos e três crianças, que invadiu a construção após não conseguir cadastro no programa federal Minha Casa, Minha Vida.

Rodrigo Lopes Ferreira, 30, conta que os guardas municipais chegaram à residência com funcionários da Secretaria de Habitação e da Defesa Civil e um caminhão. “Iam deixar a gente na rua”, desabafou Ferreira. “Se eles (Prefeitura) fossem dar bolsa aluguel ou permitir cadastro para a gente conseguir um lugar para morar, tudo bem. Mas querem simplesmente nos tirar e jogar no meio da rua.” Ele ressalta que a ação só não ocorreu em razão da intervenção do vereador Ronaldo Lacerda (PT).

A família segue na casa até ao menos segunda-feira, quando haverá reunião com a Secretaria de Habitação.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vereador intervém e evita reintegração no Casa Grande

Mandado era para retirada de família que está em área desde 2013

Matheus Angioleto
Especial para o Diário

17/03/2017 | 07:00


A GCM (Guarda Civil Municipal) de Diadema não conseguiu efetivar ontem a reintegração de posse de imóvel localizado em área pública, na Rua Nara Leão, no bairro Casa Grande. A residência é ocupada desde 2013 por família composta por dois adultos e três crianças, que invadiu a construção após não conseguir cadastro no programa federal Minha Casa, Minha Vida.

Rodrigo Lopes Ferreira, 30, conta que os guardas municipais chegaram à residência com funcionários da Secretaria de Habitação e da Defesa Civil e um caminhão. “Iam deixar a gente na rua”, desabafou Ferreira. “Se eles (Prefeitura) fossem dar bolsa aluguel ou permitir cadastro para a gente conseguir um lugar para morar, tudo bem. Mas querem simplesmente nos tirar e jogar no meio da rua.” Ele ressalta que a ação só não ocorreu em razão da intervenção do vereador Ronaldo Lacerda (PT).

A família segue na casa até ao menos segunda-feira, quando haverá reunião com a Secretaria de Habitação.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;