Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 27 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

'Eloá já esperava pelo pior', disse Nayara


André Vieira
Especial para o Diário

21/10/2008 | 07:04


Avó materna de Nayara Rodrigues da Silva, 15 anos, a dona-de-casa Neusa Rodrigues, 55, contou, ontem, como a neta reagiu ao saber que a amiga havia morrido. "A princípio ela chorou, mas depois se acalmou e falou que a menina (Eloa) já tinha se preparado e já esperava por isso".

Pesarosa, com a voz embargada e conversando em breves pausas, Neusa falou sobre como nem toda exposição do caso foi suficiente para evitar que a família perdesse, às vezes, a consciência exata de tudo que se passou.

"Parece que não é com a gente. Acho que não caiu a ficha ainda. É uma coisa que a gente nunca imagina, então, parece que não aconteceu. É difícil de aceitar."

Pai de Nayara, o metalúrgico Luciano Vieira, 37 anos, visitou ontem a filha e comentou a melhora no quadro de saúde. "Ela está se recuperando e falando um pouco mais. Está tudo bem, graças a Deus".
Apesar de se comunicar com mais facilidade, a família ainda não lhe faz perguntas sobre os momentos que passou no mais longo cárcere privado da história do Estado.

"A gente conversa com ela coisas normais. Nada referente ao acontecido. Vamos aguardar ela sair do hospital para poder prestar mais alguns esclarecimentos porque a gente não perguntou nada ainda a respeito. Estamos deixando ela falar quando quiser, não estamos pressionando".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;