Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Construção gera 588 vagas no Grande ABC


Mariana Oliveira
Do Diário do Grande ABC

15/03/2006 | 08:04


O emprego na construção civil do Grande ABC apresentou o terceiro melhor desempenho do Estado de São Paulo em janeiro. Considerando as sete cidades da região, houve geração de 588 novas vagas naquele mês, alta de 2,87% ante dezembro. As outras regiões com melhores resultados foram São José do Rio Preto (4,72%) e Ribeirão Preto (3,06%).

Os dados foram divulgados nesta terça pelo Sinduscon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e fazem parte de levantamento feito pela GV Consult – consultoria ligada à Fundação Getúlio Vargas –, com base em pesquisa do Ministério do Trabalho.

Em todo o Estado de São Paulo, a alta no emprego do setor foi de 1,47%. Um dos resultados mais expressivos do Estado e o que mais influenciou para o desempenho do Grande ABC foi verificado em Diadema, que teve elevação de 10,91% no número de empregados em janeiro. A cidade foi responsável por 58% dos postos de trabalho criados na região, ou seja, empregou 341 pessoas a mais do que no mês anterior.

Indústria – Para a diretora do Sinduscon no Grande ABC, Rosana Carnevalli, o desempenho do Grande ABC é mais expressivo do que no restante do Estado em razão do bom momento vivido pelas indústrias locais. “Com resultados positivos, as empresas investem em ampliações ou novas instalações. Tudo isso passa pela construção civil.” De acordo com Rosana, São Bernardo e Diadema foram as cidades que mais apresentaram obras industriais.

No município de Santo André, no qual o emprego ficou praticamente estável – 0,26% e 12 vagas criadas –, a diretora avalia que muitos lançamentos ainda não tiveram as obras iniciadas. “A cidade está com muitos empreendimentos residenciais para serem iniciados. A perspectiva é de que nos próximos meses o nível de emprego na cidade suba consideravelmente.” Já em São Caetano, a queda do nível de emprego (-1,51%) se deve à falta de espaço para novas obras. “A cidade é pequena e tem pouquíssimos terrenos vagos. A tendência é de queda gradual no estoque de empregados.”

Campanha salarial – Os trabalhadores na construção civil do Grande ABC darão início à campanha salarial deste ano no próximo dia 17, após assembléia entre os empregados filiados aos sindicatos de Santo André – que inclui os trabalhadores de Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra – e de São Bernardo – que inclui os empregados de Diadema –, ambos ligados à CUT.

A reivindicação será por aumento real (além da reposição da inflação) de 12% mais garantia do cumprimento da convenção coletiva de trabalho, que vale até 1º de maio de 2007. Entre outras normas, a convenção estipula que os empregadores sirvam um copo de leite e dois pães diariamente no café da manhã de seus trabalhadores.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil, Moveleira e Cerâmica de São Bernardo e Diadema, Cladeonor Neves da Silva, caso não haja acordo até a data-base da categoria, em 1º de maio, pode haver greve.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Construção gera 588 vagas no Grande ABC

Mariana Oliveira
Do Diário do Grande ABC

15/03/2006 | 08:04


O emprego na construção civil do Grande ABC apresentou o terceiro melhor desempenho do Estado de São Paulo em janeiro. Considerando as sete cidades da região, houve geração de 588 novas vagas naquele mês, alta de 2,87% ante dezembro. As outras regiões com melhores resultados foram São José do Rio Preto (4,72%) e Ribeirão Preto (3,06%).

Os dados foram divulgados nesta terça pelo Sinduscon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) e fazem parte de levantamento feito pela GV Consult – consultoria ligada à Fundação Getúlio Vargas –, com base em pesquisa do Ministério do Trabalho.

Em todo o Estado de São Paulo, a alta no emprego do setor foi de 1,47%. Um dos resultados mais expressivos do Estado e o que mais influenciou para o desempenho do Grande ABC foi verificado em Diadema, que teve elevação de 10,91% no número de empregados em janeiro. A cidade foi responsável por 58% dos postos de trabalho criados na região, ou seja, empregou 341 pessoas a mais do que no mês anterior.

Indústria – Para a diretora do Sinduscon no Grande ABC, Rosana Carnevalli, o desempenho do Grande ABC é mais expressivo do que no restante do Estado em razão do bom momento vivido pelas indústrias locais. “Com resultados positivos, as empresas investem em ampliações ou novas instalações. Tudo isso passa pela construção civil.” De acordo com Rosana, São Bernardo e Diadema foram as cidades que mais apresentaram obras industriais.

No município de Santo André, no qual o emprego ficou praticamente estável – 0,26% e 12 vagas criadas –, a diretora avalia que muitos lançamentos ainda não tiveram as obras iniciadas. “A cidade está com muitos empreendimentos residenciais para serem iniciados. A perspectiva é de que nos próximos meses o nível de emprego na cidade suba consideravelmente.” Já em São Caetano, a queda do nível de emprego (-1,51%) se deve à falta de espaço para novas obras. “A cidade é pequena e tem pouquíssimos terrenos vagos. A tendência é de queda gradual no estoque de empregados.”

Campanha salarial – Os trabalhadores na construção civil do Grande ABC darão início à campanha salarial deste ano no próximo dia 17, após assembléia entre os empregados filiados aos sindicatos de Santo André – que inclui os trabalhadores de Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra – e de São Bernardo – que inclui os empregados de Diadema –, ambos ligados à CUT.

A reivindicação será por aumento real (além da reposição da inflação) de 12% mais garantia do cumprimento da convenção coletiva de trabalho, que vale até 1º de maio de 2007. Entre outras normas, a convenção estipula que os empregadores sirvam um copo de leite e dois pães diariamente no café da manhã de seus trabalhadores.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil, Moveleira e Cerâmica de São Bernardo e Diadema, Cladeonor Neves da Silva, caso não haja acordo até a data-base da categoria, em 1º de maio, pode haver greve.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;