Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santo André estréia em Jundiaí como incógnita da Série B


Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

15/04/2006 | 09:27


Depois de trocar o técnico Luiz Carlos Ferreira pelo atual comandante Ruy Scarpino, o Santo André estréia hoje na Série B do Campeonato Brasileiro como uma das incógnitas da Segundona. A equipe local larga diante dos reservas do Paulista, às 16h, em Jundiaí, coincidentemente no duelo dos mais recentes e inéditos campeões da Copa do Brasil. O rival decidiu priorizar a Libertadores. Os donos da casa comemoraram o título nacional do ano passado. Já os visitantes levantaram o troféu de 2004. Atualmente, o time do Grande ABC fica bem longe daquele que derrubou o Flamengo no Maracanã.

De lá para cá, é verdade que o Santo André ainda concluiu o Estadual em quarto lugar e assegurou uma histórica presença na Copa Libertadores, além de terminar entre os oitos melhores da Série B - disputou o quadrangular final. Em seguida, porém, o clube não conseguiu manter jogadores do nível de Romerito, Fumagalli, Sandro Gaúcho, Rodrigão e Dedimar, entre outros. Não houve o necessário planejamento na hora de repor os personagens que saíram.

O começo da temporada 2006 emitiu um sinal de alerta àqueles que não souberam manter a linha ascendente de quem voou demais desde a conquista da Copinha de Juniores, da Copa Estado de São Paulo e do acesso da Série B, isso em 2003. Em 2006, faltou um pouquinho para o rebaixamento no Paulistão. As últimas rodadas foram salvadoras. De repente, é como se os dirigentes acordassem e resolvessem retocar uma estrutura que poderia, sim, conduzir a uma inevitável decadência.

Ainda persiste uma interrogação quanto às mudanças agora colocadas em prática. Só o tempo dirá se, ao contrário do triste filme apresentado no Estadual, haverá mais acertos do que possíveis erros. Mas, independentemente do que acontecer, Santo André aposta no trabalho de uma comissão experiente.

O técnico Ruy Scarpino (campeão estadual de 2002 pelo Ituano), o assistente Cacau (ex-volante do Santos, Atlético-PR e Vitória) e o preparador físico Júnior Cova, além do treinador de goleiros Robertinho, que permanece, sugerem outros tempos no relacionamento democrático implantado pelo novo chefe da turma. Os dois antecessores - Roberto Fernandes e Luiz Carlos Ferreira - provocaram inúmeros conflitos e muitos estragos no ambiente.

Já vieram três contratações (o goleiro Marcelo Bonan, o zagueiro Júnior Paulista e o volante Bruno), mas, para encarar o Paulista, Scarpino confirmou a base que fechou o Estadual. Na segunda-feira, é provável que o diretor Sérgio do Prado confirme o meia Vander, que seria o quarto reforço procedente do Rio Branco de Americana. Mas, para a seqüência da Série B do Brasileiro, só continuarão aqueles que tiverem a confiança de Scarpino. "Não vou cometer injustiças. Caso contrário, perderia, claro, a confiança dos atletas", avisa.

Enquanto isso, a Tuda e a Fúria oferecem ônibus de graça aos torcedores que quiserem compor a caravana (13h30 em frente do Bruno Daniel) para Jundiaí. O site abcdoesporte.com (link rádio) transmite ao vivo.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André estréia em Jundiaí como incógnita da Série B

Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

15/04/2006 | 09:27


Depois de trocar o técnico Luiz Carlos Ferreira pelo atual comandante Ruy Scarpino, o Santo André estréia hoje na Série B do Campeonato Brasileiro como uma das incógnitas da Segundona. A equipe local larga diante dos reservas do Paulista, às 16h, em Jundiaí, coincidentemente no duelo dos mais recentes e inéditos campeões da Copa do Brasil. O rival decidiu priorizar a Libertadores. Os donos da casa comemoraram o título nacional do ano passado. Já os visitantes levantaram o troféu de 2004. Atualmente, o time do Grande ABC fica bem longe daquele que derrubou o Flamengo no Maracanã.

De lá para cá, é verdade que o Santo André ainda concluiu o Estadual em quarto lugar e assegurou uma histórica presença na Copa Libertadores, além de terminar entre os oitos melhores da Série B - disputou o quadrangular final. Em seguida, porém, o clube não conseguiu manter jogadores do nível de Romerito, Fumagalli, Sandro Gaúcho, Rodrigão e Dedimar, entre outros. Não houve o necessário planejamento na hora de repor os personagens que saíram.

O começo da temporada 2006 emitiu um sinal de alerta àqueles que não souberam manter a linha ascendente de quem voou demais desde a conquista da Copinha de Juniores, da Copa Estado de São Paulo e do acesso da Série B, isso em 2003. Em 2006, faltou um pouquinho para o rebaixamento no Paulistão. As últimas rodadas foram salvadoras. De repente, é como se os dirigentes acordassem e resolvessem retocar uma estrutura que poderia, sim, conduzir a uma inevitável decadência.

Ainda persiste uma interrogação quanto às mudanças agora colocadas em prática. Só o tempo dirá se, ao contrário do triste filme apresentado no Estadual, haverá mais acertos do que possíveis erros. Mas, independentemente do que acontecer, Santo André aposta no trabalho de uma comissão experiente.

O técnico Ruy Scarpino (campeão estadual de 2002 pelo Ituano), o assistente Cacau (ex-volante do Santos, Atlético-PR e Vitória) e o preparador físico Júnior Cova, além do treinador de goleiros Robertinho, que permanece, sugerem outros tempos no relacionamento democrático implantado pelo novo chefe da turma. Os dois antecessores - Roberto Fernandes e Luiz Carlos Ferreira - provocaram inúmeros conflitos e muitos estragos no ambiente.

Já vieram três contratações (o goleiro Marcelo Bonan, o zagueiro Júnior Paulista e o volante Bruno), mas, para encarar o Paulista, Scarpino confirmou a base que fechou o Estadual. Na segunda-feira, é provável que o diretor Sérgio do Prado confirme o meia Vander, que seria o quarto reforço procedente do Rio Branco de Americana. Mas, para a seqüência da Série B do Brasileiro, só continuarão aqueles que tiverem a confiança de Scarpino. "Não vou cometer injustiças. Caso contrário, perderia, claro, a confiança dos atletas", avisa.

Enquanto isso, a Tuda e a Fúria oferecem ônibus de graça aos torcedores que quiserem compor a caravana (13h30 em frente do Bruno Daniel) para Jundiaí. O site abcdoesporte.com (link rádio) transmite ao vivo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;