Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Sumiço de Amanda cria lenda urbana


Adriana Ferraz e Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

12/05/2006 | 08:15


O sumiço de Amanda de Oliveira Mendes, 8 anos, no Jardim Santo André, há 13 dias, despertou no bairro uma lenda urbana. Há boatos de supostos desaparecimentos de crianças em toda esquina. De boca em boca, moradores do bairro de Santo André e redondezas dizem saber de um caso de alguma criança que foi levada e violentada. Apesar de nenhuma queixa ter sido registrada na delegacia, fala-se em raptos em série de crianças para o comércio de órgãos. Os comentários são tantos que uma subdiretora de uma escola da região em que Amanda mora entrou em contato com a polícia para verificar a veracidade das informações. Tudo falso. A polícia pede calma à população. “A onda de medo virou um tsunami”, disse o delegado Freitas. Segundo ele, a boataria só atrapalha as investigações para encontrar Amanda.

Para o cobrador de ônibus e membro da Associação de Prédios do Jardim Santo André, Valter Barbosa, o bairro está em pânico. “Todo dia ouvimos falar que outras garotas sumiram. Notícias desse tipo, mesmo sem fundamento, se espalham com muita rapidez por aqui”, afirma.

Segundo pai de Amanda, Clodoaldo Antônio Mendes, a situação é de desespero. O surgimento de qualquer notícia falsa deixa toda a família chateada. “Minha mulher está péssima, não sai de casa para não ouvir nenhum tipo de besteira”, conta.

Quinta-feira à tarde, cerca de 30 pessoas, entre parentes, amigos e vizinhos da família de Amanda fizeram uma passeata. O objetivo era chamar a atenção das autoridades sobre o caso. Liderados pelo próprio pai da garota, os moradores do bairro concentraram-se com faixas e carro de som, às 14h, na estrada do Pedroso, esquina com a rua Dominicanos, e partiram em direção ao Paço Municipal. O trânsito do Centro ficou congestionado até o final da tarde. É a segunda manifestação da população para pressionar as autoridades a agirem.

Retrato falado – Somente quinta-feira, após quase duas semanas, a polícia divulgou o retrato falado do suspeito de ter seqüestrado a menina. O desenho foi feito com base na descrição fornecida por duas testemunhas que dizem ter visto Amanda caminhar com um homem na noite do mesmo domingo em que desapareceu de casa. Segundo as descrições, é um homem branco, de cerca de 1,70 metro, com cabelos lisos pretos e olhos claros.

Uma das linhas de investigação do delegado titular do 6º DP da cidade, Darcy Freitas, é de que o acusado ainda possa estar com a garota, por isso, considera importante a divulgação da foto dos dois. “Se conseguirmos identificar e encontrar o homem que levou a menina, descobriremos o paradeiro dela”, afirmou o delegado.

A polícia informou que continua realizando buscas pela menina nas áreas próximas ao local de desaparecimento, mesmo em regiões de mata fechada. Além disso, dois investigadores monitoram as ocorrências em outras delegacias da região a fim de obter notícias sobre Amanda. A garota sumiu num domingo à tarde. Ela estava sentada sozinha na escada em frente de casa e desapareceu, sem qualquer pessoa tivesse visto.

Se alguém tiver informações sobre o paradeiro de Amanda ou do homem do retrato falado, pode ligar para os seguintes números: 4051-2011 (6º DP de Santo André), 181 (Disque-Denúncia) ou 190 (Polícia Militar). A identidade do informante será mantida em sigilo.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sumiço de Amanda cria lenda urbana

Adriana Ferraz e Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

12/05/2006 | 08:15


O sumiço de Amanda de Oliveira Mendes, 8 anos, no Jardim Santo André, há 13 dias, despertou no bairro uma lenda urbana. Há boatos de supostos desaparecimentos de crianças em toda esquina. De boca em boca, moradores do bairro de Santo André e redondezas dizem saber de um caso de alguma criança que foi levada e violentada. Apesar de nenhuma queixa ter sido registrada na delegacia, fala-se em raptos em série de crianças para o comércio de órgãos. Os comentários são tantos que uma subdiretora de uma escola da região em que Amanda mora entrou em contato com a polícia para verificar a veracidade das informações. Tudo falso. A polícia pede calma à população. “A onda de medo virou um tsunami”, disse o delegado Freitas. Segundo ele, a boataria só atrapalha as investigações para encontrar Amanda.

Para o cobrador de ônibus e membro da Associação de Prédios do Jardim Santo André, Valter Barbosa, o bairro está em pânico. “Todo dia ouvimos falar que outras garotas sumiram. Notícias desse tipo, mesmo sem fundamento, se espalham com muita rapidez por aqui”, afirma.

Segundo pai de Amanda, Clodoaldo Antônio Mendes, a situação é de desespero. O surgimento de qualquer notícia falsa deixa toda a família chateada. “Minha mulher está péssima, não sai de casa para não ouvir nenhum tipo de besteira”, conta.

Quinta-feira à tarde, cerca de 30 pessoas, entre parentes, amigos e vizinhos da família de Amanda fizeram uma passeata. O objetivo era chamar a atenção das autoridades sobre o caso. Liderados pelo próprio pai da garota, os moradores do bairro concentraram-se com faixas e carro de som, às 14h, na estrada do Pedroso, esquina com a rua Dominicanos, e partiram em direção ao Paço Municipal. O trânsito do Centro ficou congestionado até o final da tarde. É a segunda manifestação da população para pressionar as autoridades a agirem.

Retrato falado – Somente quinta-feira, após quase duas semanas, a polícia divulgou o retrato falado do suspeito de ter seqüestrado a menina. O desenho foi feito com base na descrição fornecida por duas testemunhas que dizem ter visto Amanda caminhar com um homem na noite do mesmo domingo em que desapareceu de casa. Segundo as descrições, é um homem branco, de cerca de 1,70 metro, com cabelos lisos pretos e olhos claros.

Uma das linhas de investigação do delegado titular do 6º DP da cidade, Darcy Freitas, é de que o acusado ainda possa estar com a garota, por isso, considera importante a divulgação da foto dos dois. “Se conseguirmos identificar e encontrar o homem que levou a menina, descobriremos o paradeiro dela”, afirmou o delegado.

A polícia informou que continua realizando buscas pela menina nas áreas próximas ao local de desaparecimento, mesmo em regiões de mata fechada. Além disso, dois investigadores monitoram as ocorrências em outras delegacias da região a fim de obter notícias sobre Amanda. A garota sumiu num domingo à tarde. Ela estava sentada sozinha na escada em frente de casa e desapareceu, sem qualquer pessoa tivesse visto.

Se alguém tiver informações sobre o paradeiro de Amanda ou do homem do retrato falado, pode ligar para os seguintes números: 4051-2011 (6º DP de Santo André), 181 (Disque-Denúncia) ou 190 (Polícia Militar). A identidade do informante será mantida em sigilo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;