Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Produção de veículos despenca em fevereiro e liga sinal de alerta

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Leo Alves
Do Garagem360

10/03/2021 | 20:18


Na última sexta-feira (5), a Anfavea divulgou seu balanço mensal sobre a indústria automobilística do Brasil. E o resultado não foi nada animador, já que a produção de veículos sofreu uma forte queda em fevereiro.

Somando todos os setores, a queda foi de 3,5% em relação a fevereiro de 2020. Foram fabricados 197 mil veículos durante os 28 dias do segundo mês de 2021. Este é o pior fevereiro desde 2016, o que liga o sinal de alerta para o setor.

Produção de veículos despenca

Segundo o presidente da Anfavea Luiz Carlos Moraes, o principal desafio das fabricantes brasileiras tem sido em retomar o ritmo normal de produção. “Muitas das nossas montadoras trabalharam até durante o Carnaval para tentar recompor os baixos estoques e compensar alguns atrasos e paradas por falta de insumos, mas ainda há muita dificuldade de retomar o ritmo normal de funcionamento das fábricas”, explica.

LEIA MAIS: Porsche Taycan Cross Turismo é revelada e virá ao Brasil

Suzuki Jimny 2022 recebe novidades e custa mais de R$ 100 mil

Para Luiz, o resultado negativo nos dois primeiros meses do ano ainda não significa que 2021 será um ano de baixas para o setor automobilístico, mas a situação é preocupante. “Temos duas crises se agravando. A sanitária é a que mais preocupa, pois vem ceifando cada vez mais vidas de brasileiros. A crise conjuntural, consequência da primeira, vem desorganizando toda a cadeia global de fornecimento e provocando gargalos e paradas cada vez maiores nas fábricas. A tudo isso se soma a fragilidade estrutural do ambiente de negócios no Brasil, que reduz nossa competitividade em nível internacional, e que não vem sendo devidamente atacada pelas várias esferas do poder público. Tudo isso gera um horizonte absolutamente nebuloso para o planejamento estratégico das empresas, e isso vale para todos os setores da economia”

Caminhões em alta

Se a média da indústria foi negativa, ao menos o setor de caminhões tem motivo para celebrar. Em fevereiro, foram produzidos 11,8 mil unidades, número 37,9% maior que em janeiro e 29,3% superior a fevereiro de 2020.

Neste primeiro bimestre, o setor de caminhões teve alta de 24,9% na produção, 11,8% nas vendas e 85,9% nas exportações, em relação aos números de janeiro e fevereiro do ano passado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Produção de veículos despenca em fevereiro e liga sinal de alerta

Leo Alves
Do Garagem360

10/03/2021 | 20:18


Na última sexta-feira (5), a Anfavea divulgou seu balanço mensal sobre a indústria automobilística do Brasil. E o resultado não foi nada animador, já que a produção de veículos sofreu uma forte queda em fevereiro.

Somando todos os setores, a queda foi de 3,5% em relação a fevereiro de 2020. Foram fabricados 197 mil veículos durante os 28 dias do segundo mês de 2021. Este é o pior fevereiro desde 2016, o que liga o sinal de alerta para o setor.

Produção de veículos despenca

Segundo o presidente da Anfavea Luiz Carlos Moraes, o principal desafio das fabricantes brasileiras tem sido em retomar o ritmo normal de produção. “Muitas das nossas montadoras trabalharam até durante o Carnaval para tentar recompor os baixos estoques e compensar alguns atrasos e paradas por falta de insumos, mas ainda há muita dificuldade de retomar o ritmo normal de funcionamento das fábricas”, explica.

LEIA MAIS: Porsche Taycan Cross Turismo é revelada e virá ao Brasil

Suzuki Jimny 2022 recebe novidades e custa mais de R$ 100 mil

Para Luiz, o resultado negativo nos dois primeiros meses do ano ainda não significa que 2021 será um ano de baixas para o setor automobilístico, mas a situação é preocupante. “Temos duas crises se agravando. A sanitária é a que mais preocupa, pois vem ceifando cada vez mais vidas de brasileiros. A crise conjuntural, consequência da primeira, vem desorganizando toda a cadeia global de fornecimento e provocando gargalos e paradas cada vez maiores nas fábricas. A tudo isso se soma a fragilidade estrutural do ambiente de negócios no Brasil, que reduz nossa competitividade em nível internacional, e que não vem sendo devidamente atacada pelas várias esferas do poder público. Tudo isso gera um horizonte absolutamente nebuloso para o planejamento estratégico das empresas, e isso vale para todos os setores da economia”

Caminhões em alta

Se a média da indústria foi negativa, ao menos o setor de caminhões tem motivo para celebrar. Em fevereiro, foram produzidos 11,8 mil unidades, número 37,9% maior que em janeiro e 29,3% superior a fevereiro de 2020.

Neste primeiro bimestre, o setor de caminhões teve alta de 24,9% na produção, 11,8% nas vendas e 85,9% nas exportações, em relação aos números de janeiro e fevereiro do ano passado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;