Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Imasf de S.Bernardo tem troca de superintendente

Luiz Carlos Gonçalves da Silva dá lugar a Pedro Pinheiro; gestão admite mais trocas


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

17/02/2019 | 07:00


 Superintendente do Imasf (Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo) de São Bernardo desde o começo de 2017, Luiz Carlos Gonçalves da Silva foi exonerado do cargo na sexta-feira. Em seu lugar foi transferido, ainda que interinamente, o secretário de Administração, Pedro Pinheiro, que ficará responsável por gerir a autarquia que cuida do plano de saúde de servidores e dependentes.

Segundo o governo Orlando Morando (PSDB), “modificações administrativas são normais dentro da administração”, lembrando que também ontem foi promovida mudança no comando da GCM (Guarda Civil Municipal): saiu Flavio Leão, entrou Claudia Aparecida Coelho.

A gestão tucana admitiu também que “outras mudanças podem ocorrer no primeiro escalão”. A saída de Luiz Carlos foi a primeira neste ano, a despeito de nomes de confiança de Morando terem sido sondados para compor equipe no governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e na administração do governador paulista João Doria (PSDB).

Luiz Carlos foi responsável pela confecção de plano com objetivo de equacionar as contas do Imasf, em conjunto com Morando. Ele pegou a autarquia com deficit mensal de R$ 1 milhão e com dívidas herdadas do governo do ex-prefeito Luiz Marinho (PT). Solicitou mudanças estruturais, como melhoria no aporte que a Prefeitura deposita nas contas do Imasf, e alterações nos valores de contribuição de algumas faixas, com reinclusão de unidades da Rede D’Or – Hospital Brasil (Santo André), Hospital Assunção (São Bernardo) e Hospital São Luiz (São Caetano) – para determinadas categorias de plano de saúde.

A proposta de resolução do buraco financeiro do Imasf foi aprovada pela Câmara no fim do ano passado, sancionada por Morando e já está em vigor.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Imasf de S.Bernardo tem troca de superintendente

Luiz Carlos Gonçalves da Silva dá lugar a Pedro Pinheiro; gestão admite mais trocas

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

17/02/2019 | 07:00


 Superintendente do Imasf (Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo) de São Bernardo desde o começo de 2017, Luiz Carlos Gonçalves da Silva foi exonerado do cargo na sexta-feira. Em seu lugar foi transferido, ainda que interinamente, o secretário de Administração, Pedro Pinheiro, que ficará responsável por gerir a autarquia que cuida do plano de saúde de servidores e dependentes.

Segundo o governo Orlando Morando (PSDB), “modificações administrativas são normais dentro da administração”, lembrando que também ontem foi promovida mudança no comando da GCM (Guarda Civil Municipal): saiu Flavio Leão, entrou Claudia Aparecida Coelho.

A gestão tucana admitiu também que “outras mudanças podem ocorrer no primeiro escalão”. A saída de Luiz Carlos foi a primeira neste ano, a despeito de nomes de confiança de Morando terem sido sondados para compor equipe no governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e na administração do governador paulista João Doria (PSDB).

Luiz Carlos foi responsável pela confecção de plano com objetivo de equacionar as contas do Imasf, em conjunto com Morando. Ele pegou a autarquia com deficit mensal de R$ 1 milhão e com dívidas herdadas do governo do ex-prefeito Luiz Marinho (PT). Solicitou mudanças estruturais, como melhoria no aporte que a Prefeitura deposita nas contas do Imasf, e alterações nos valores de contribuição de algumas faixas, com reinclusão de unidades da Rede D’Or – Hospital Brasil (Santo André), Hospital Assunção (São Bernardo) e Hospital São Luiz (São Caetano) – para determinadas categorias de plano de saúde.

A proposta de resolução do buraco financeiro do Imasf foi aprovada pela Câmara no fim do ano passado, sancionada por Morando e já está em vigor.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;