Fechar
Publicidade

Sábado, 19 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Trenó vira e deixa um ‘banana’ ferido na Itália


Kati Dias
Do Diário do Grande ABC

26/02/2006 | 08:44


Mais um acidente na perigosa pista de Cesana Pariol encerrou a aventura da equipe brasileira de bobsled nos Jogos Olímpicos de Turim. O trenó virou na terceira descida, na fatídica curva 14, a mesma que ocasionou o incidente de sexta-feira. Com isso, os bananas congeladas terminaram sua participação na Itália na 25ª e última colocação. Ricardo Raschini, Márcio Silva e Edson Bindilatti não se feriram. O velocista Claudinei Quirino machucou o braço sem gravidade. O Brasil, que participa pela segunda vez da competição de bobsled nas Olimpíadas de Inverno, não se classificou à quarta e última série, que reúne as 20 melhores equipes.

Depois de tombar lateralmente para a esquerda, o veículo ficou de cabeça para baixo e se arrastou até cruzar a linha de chegada com o tempo de 1min00s12. O piloto Ricardo Raschini se responsabilizou pelo acidente. “Eu estava com a pista toda memorizada, mas a única dificuldade que tive foi na curva 14, que é uma descida muito forte. Eu assumo a responsabilidade porque o Claudinei saiu machucado. Estou mal, mas o bobsled é um esporte de risco”, disse Raschini, que apesar dos acidentes e da eliminação garantiu que vai treinar para disputar os Jogos de Inverno de 2010, em Vancouver (Canadá).

No entanto, os quatro se levantaram rapidamente, aparentemente ilesos, sob os aplausos do público. Tratava-se do segundo acidente em dois dias de competição para os bananas congeladas, o terceiro incluindo o que ocorreu durante os treinos, no início desta semana. “Sempre nos levantamos com tranqüilidade, sem maiores problemas, fora algumas escoriações”, afirmou Raschini.

Lesão – O velocista Claudinei Quirino, prata no revezamento 4x100 na Olimpíada de Sydney (2000), não foi o único a se lesionar na temida pista de Cesana Pariol. Outro brasileiro, Renato Mizoguchi, também sofreu um grave acidente em janeiro de 2005. O atleta, que havia conquistado a vaga olímpica no luge, sofreu traumatismo craniano e ficou em coma por dez dias. (Com Agências)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;