Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Superliga tem duelo familiar no Grande ABC


Marta Teixeira
Do Diário do Grande ABC

14/01/2010 | 07:00


A rodada de hoje da Superliga Masculina de Vôlei será especialmente difícil para Neusa Buiatti. Lógico que ela não estará em quadra, mas seus filhos Renan e Tarcísio sim e cada um por um time. O Brasil Vôlei/São Bernardo, de Renan, recebe o Soya/Blumenau/Furb/Barão, às 20h, no Ginásio Poliesportivo, e D. Neusa e o marido Tarcísio vêm especialmente de Uberlândia ‘sofrer' na torcida.

Aos 20 anos, o meio-de-rede Renan é o caçula, mas com seus 2,16 m (dois centímetros a mais que o gigante Gustavão da seleção adulta) não se intimida com o irmão dois anos mais velho, de 2,05 m. "Minha mãe é que vai sofrer", brinca Miúdo, como é chamado pelo ‘adversário'.

Os dois começaram no vôlei juntos, em 2001, na Politécnica-UTC, em Minas Gerais. Aos 11 e 13 anos, respectivamente, com 1,70m e 1,87m foram descobertos por um amigo da família, que levou o técnico da equipe para conhecer a dupla.

"Eu nem sabia o que era vôlei. Nem assistia jogo", confessa Renan que, assim como o irmão, não demorou a tomar gosto pela modalidade. Os dois seguiram caminhos diferentes em 2005, quando o meio-de-rede veio para São Bernardo e Tarcísio seguiu para o Pinheiros. Eles ainda voltaram a se reunir no time da região, mas pouco tempo depois Tarcísio foi para o Sul.

Do convívio diário ficam as lembranças das discussões pelo aprimoramento. "Quando aquecíamos juntos era só briga. Um mandava o outro levantar direito", lembra Renan, que elogia o irmão. "Sempre foi muito esforçado."

Dedicação também não tem faltado ao meia do São Bernardo. O jogador enfrentou as finais dos Campeonatos Paulista infanto-juvenil e adulto lidando com uma inflamação no ombro esquerdo, que o forçou a ficar dois meses parado. Retornando aos treinos há uma semana, Renan pode até ser poupado pelo técnico Rubinho, mas garante não ter do que reclamar. Incorporado ao time adulto no final de 2009, foi vice-campeão paulista nas duas categorias e ajudou a seleção brasileira juvenil a ser tetracampeã mundial. "Tirando a lesão, foi o melhor ano da minha vida, espero que este seja ainda melhor."

O Poliesportivo recebe rodada dupla esta noite. Na preliminar, às 18h, as meninas do São Bernardo enfrentam o Mackenzie/Newton Paiva pela Superliga feminina.

A rodada do masculino tem ainda as outras duas equipes da região em quadra. Às 18h30, o Santo André enfrenta o atual campeão paulista Sesi-SP, no ginásio dos adversários.

A Ulbra/São Caetano também tem compromisso fora de casa, às 20h30, contra o Pinheiros/Sky.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Superliga tem duelo familiar no Grande ABC

Marta Teixeira
Do Diário do Grande ABC

14/01/2010 | 07:00


A rodada de hoje da Superliga Masculina de Vôlei será especialmente difícil para Neusa Buiatti. Lógico que ela não estará em quadra, mas seus filhos Renan e Tarcísio sim e cada um por um time. O Brasil Vôlei/São Bernardo, de Renan, recebe o Soya/Blumenau/Furb/Barão, às 20h, no Ginásio Poliesportivo, e D. Neusa e o marido Tarcísio vêm especialmente de Uberlândia ‘sofrer' na torcida.

Aos 20 anos, o meio-de-rede Renan é o caçula, mas com seus 2,16 m (dois centímetros a mais que o gigante Gustavão da seleção adulta) não se intimida com o irmão dois anos mais velho, de 2,05 m. "Minha mãe é que vai sofrer", brinca Miúdo, como é chamado pelo ‘adversário'.

Os dois começaram no vôlei juntos, em 2001, na Politécnica-UTC, em Minas Gerais. Aos 11 e 13 anos, respectivamente, com 1,70m e 1,87m foram descobertos por um amigo da família, que levou o técnico da equipe para conhecer a dupla.

"Eu nem sabia o que era vôlei. Nem assistia jogo", confessa Renan que, assim como o irmão, não demorou a tomar gosto pela modalidade. Os dois seguiram caminhos diferentes em 2005, quando o meio-de-rede veio para São Bernardo e Tarcísio seguiu para o Pinheiros. Eles ainda voltaram a se reunir no time da região, mas pouco tempo depois Tarcísio foi para o Sul.

Do convívio diário ficam as lembranças das discussões pelo aprimoramento. "Quando aquecíamos juntos era só briga. Um mandava o outro levantar direito", lembra Renan, que elogia o irmão. "Sempre foi muito esforçado."

Dedicação também não tem faltado ao meia do São Bernardo. O jogador enfrentou as finais dos Campeonatos Paulista infanto-juvenil e adulto lidando com uma inflamação no ombro esquerdo, que o forçou a ficar dois meses parado. Retornando aos treinos há uma semana, Renan pode até ser poupado pelo técnico Rubinho, mas garante não ter do que reclamar. Incorporado ao time adulto no final de 2009, foi vice-campeão paulista nas duas categorias e ajudou a seleção brasileira juvenil a ser tetracampeã mundial. "Tirando a lesão, foi o melhor ano da minha vida, espero que este seja ainda melhor."

O Poliesportivo recebe rodada dupla esta noite. Na preliminar, às 18h, as meninas do São Bernardo enfrentam o Mackenzie/Newton Paiva pela Superliga feminina.

A rodada do masculino tem ainda as outras duas equipes da região em quadra. Às 18h30, o Santo André enfrenta o atual campeão paulista Sesi-SP, no ginásio dos adversários.

A Ulbra/São Caetano também tem compromisso fora de casa, às 20h30, contra o Pinheiros/Sky.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;