Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Democratas denunciam que guerra no Iraque já custa US$ 1,6 trilhão


Da AFP

14/11/2007 | 10:10


O custo real da guerra americana no Iraque e no Afeganistão será duas vezes mais alto que os números anunciados pelo governo do republicano George W. Bush, advertiram os democratas.

De acordo com um relatório elaborado pelos democratas de uma comissão econômica do Congresso (JEC), o custo da guerra no Iraque e no Afeganistão chega, incluindo 2008, a US$ 1,6 trilhão, ou seja, duas vezes mais que os US$ 804 bilhões anunciados pelo governo.

Este relatório é publicado num momento em que o Congresso deve estudar esta semana uma demanda de Bush de votar um orçamento de US$ 196 bilhões para as operações militares nestes dois conflitos em 2008. Os democratas já anunciaram que pretendem votar apenas um orçamento para quatro meses, de US$ 50 bilhões.

Segundo o mesmo relatório, intitulado "A guerra a todo custo", o valor real destas duas guerras chegará a US$ 3,5 trilhões até a 2017, uma estimativa muito superior aos números anunciados anteriormente por diversas fontes.

No mês passado, o departamento do orçamento do Congresso, uma instância não partidária, havia anunciado a cifra de US$ 2,4 trilhões.

"Os custos enormes da guerra para as famílias americanas, o orçamento federal e a economia de um modo geral são dificilmente quantificáveis", comentou o senador democrata Chuck Schumer.

"Este relatório mostra claramente que o custo para nosso país em termos de vidas perdidas e de dólares gastos é inaceitável", acrescentou.

"Não podemos simplesmente comprar a vitória no Iraque", afirmou o chefe da maioria democrata no Senado, Harry Reid.

Defesa- A Casa Branca e vários parlamentares republicanos, no entanto, rejeitaram as conclusões da JEC.

"Essa comissão é conhecida por ser partidária. Eles (os democratas) não consultaram ou cooperaram com os republicanos da comissão", declarou a porta-voz da Casa Branca Dana Perino.

"Penso que se trata de uma tentativa para minimizar os resultados positivos registrados no Iraque", acrescentou.

"Claro que a guerra custou caro, mas nos protegemos de um atentado aqui" nos Estados Unidos, considerou o líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnell.

Relatório- O documento aposta numa retirada das tropas americanas do Iraque, mas também prevê que contingentes importantes de soldados ficarão posicionados neste país.

 O relatório inclui o pagamento de juros de empréstimos feitos no exterior para financiar a guerra, e a diminuição da produção de petróleo do Iraque.

Ele também leva em conta o custo da manutenção e da renovação dos equipamentos militares, do aumento dos efetivos militares e as conseqüências para a economia do recurso a soldados reservistas.

           



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Democratas denunciam que guerra no Iraque já custa US$ 1,6 trilhão

Da AFP

14/11/2007 | 10:10


O custo real da guerra americana no Iraque e no Afeganistão será duas vezes mais alto que os números anunciados pelo governo do republicano George W. Bush, advertiram os democratas.

De acordo com um relatório elaborado pelos democratas de uma comissão econômica do Congresso (JEC), o custo da guerra no Iraque e no Afeganistão chega, incluindo 2008, a US$ 1,6 trilhão, ou seja, duas vezes mais que os US$ 804 bilhões anunciados pelo governo.

Este relatório é publicado num momento em que o Congresso deve estudar esta semana uma demanda de Bush de votar um orçamento de US$ 196 bilhões para as operações militares nestes dois conflitos em 2008. Os democratas já anunciaram que pretendem votar apenas um orçamento para quatro meses, de US$ 50 bilhões.

Segundo o mesmo relatório, intitulado "A guerra a todo custo", o valor real destas duas guerras chegará a US$ 3,5 trilhões até a 2017, uma estimativa muito superior aos números anunciados anteriormente por diversas fontes.

No mês passado, o departamento do orçamento do Congresso, uma instância não partidária, havia anunciado a cifra de US$ 2,4 trilhões.

"Os custos enormes da guerra para as famílias americanas, o orçamento federal e a economia de um modo geral são dificilmente quantificáveis", comentou o senador democrata Chuck Schumer.

"Este relatório mostra claramente que o custo para nosso país em termos de vidas perdidas e de dólares gastos é inaceitável", acrescentou.

"Não podemos simplesmente comprar a vitória no Iraque", afirmou o chefe da maioria democrata no Senado, Harry Reid.

Defesa- A Casa Branca e vários parlamentares republicanos, no entanto, rejeitaram as conclusões da JEC.

"Essa comissão é conhecida por ser partidária. Eles (os democratas) não consultaram ou cooperaram com os republicanos da comissão", declarou a porta-voz da Casa Branca Dana Perino.

"Penso que se trata de uma tentativa para minimizar os resultados positivos registrados no Iraque", acrescentou.

"Claro que a guerra custou caro, mas nos protegemos de um atentado aqui" nos Estados Unidos, considerou o líder da minoria republicana no Senado, Mitch McConnell.

Relatório- O documento aposta numa retirada das tropas americanas do Iraque, mas também prevê que contingentes importantes de soldados ficarão posicionados neste país.

 O relatório inclui o pagamento de juros de empréstimos feitos no exterior para financiar a guerra, e a diminuição da produção de petróleo do Iraque.

Ele também leva em conta o custo da manutenção e da renovação dos equipamentos militares, do aumento dos efetivos militares e as conseqüências para a economia do recurso a soldados reservistas.

           

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;