Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Líder sérvio processado por crimes de guerra chega a Haia


Do Diário OnLine
Com AFP

24/02/2003 | 10:24


O líder nacionalista sérvio Vojislav Seselj, processado por crimes de guerra pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), se entregou nesta segunda-feira ao tribunal da Organização das Nações Unidas (ONU), em Haia, para tentar provar sua inocência.

Seselj, 48 anos, chefe do Partido Radical Sérvio (SRS, oposição), é acusado de "perseguições, extermínio, homicídios, tortura, atos desumanos e expulsão de populações não-sérvias da Croácia, Bósnia-Herzegovina e Voivodine” (Sérvia).

O líder partiu do aeroporto de Belgrado, onde se despediu de sua família e recebeu os aplausos de centenas de seguidores. Vários policiais uniformizados estavam presentes. "O mais importante para a Sérvia é que eu seja o último sérvio a se render ao Tribunal Internacional", disse aos jornalistas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Líder sérvio processado por crimes de guerra chega a Haia

Do Diário OnLine
Com AFP

24/02/2003 | 10:24


O líder nacionalista sérvio Vojislav Seselj, processado por crimes de guerra pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), se entregou nesta segunda-feira ao tribunal da Organização das Nações Unidas (ONU), em Haia, para tentar provar sua inocência.

Seselj, 48 anos, chefe do Partido Radical Sérvio (SRS, oposição), é acusado de "perseguições, extermínio, homicídios, tortura, atos desumanos e expulsão de populações não-sérvias da Croácia, Bósnia-Herzegovina e Voivodine” (Sérvia).

O líder partiu do aeroporto de Belgrado, onde se despediu de sua família e recebeu os aplausos de centenas de seguidores. Vários policiais uniformizados estavam presentes. "O mais importante para a Sérvia é que eu seja o último sérvio a se render ao Tribunal Internacional", disse aos jornalistas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;