Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Suggar e Suzano lançam lavadora antibactéria


Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

28/04/2007 | 07:11


Uma tecnologia revolucionária desenvolvida pelo centro de pesquisas da Suzano Petroquímica, em Mauá, começa a trazer benefícios às donas de casa. A fabricante de eletrodomésticos Suggar, em conjunto com a companhia da região, acaba de lançar a primeira linha de máquina de lavar fabricada no Brasil com o uso de nanotecnologia na matéria-prima de seus componentes.

Considerada por especialistas a base de uma nova Revolução Industrial, a nanotecnologia é um ramo da ciência que permite às empresas o manuseio de partículas de tamanho nanométrico (um bilionésimo de um metro) para alterações na composição atômica do material, de forma a oferecer a estes características diferenciadas (como resistência bem maior à temperatura e à tração).

No caso específico da parceria com a Suggar, a resina polipropileno (matéria-prima utilizada para a fabricação de peças de plástico) modificada com nanoestrutura utiliza prata e, quando aplicada à cuba da máquina de lavar, conferiu um poder bactericida ao recipiente.

Dessa forma, após a lavagem, mesmo que haja acúmulo de água, a máquina está apta a receber novas peças de roupas sem a possibilidade de contaminação por bactérias. Segundo o diretor industrial da Suggar, Marcelo Emrich Soares, será possível a eliminação de 99,9% das bactérias que se desenvolvem na cuba das lavadoras. A linha escolhida para receber o novo material foi a de lavadoras semi-automáticas.

Pesquisa - A novidade surge depois de 18 meses de pesquisa e desenvolvimento. O gerente de desenvolvimento de novos produtos da Suzano, Cláudio Marcondes, conta que depois do desenvolvimento do material e dos testes que comprovaram que realmente tinha eficácia, o item foi oferecido a alguns clientes e a Suggar mostrou interesse.

A produção inicial foi de 100 toneladas da resina com nanopartículas de prata. Ainda não há metas estabelecidas de volume de fabricação para atender a produtora de eletrodomésticos. “Agora é mercado. Se for bem, deveremos fazer novos investimentos na fábrica de Mauá”, disse Marcondes.

No entanto, as perspectivas são promissoras e as duas empresas já têm planos de ampliar a linha de eletrodomésticos com a nanotecnologia aplicada.

A Suggar fabrica atualmente 55 mil lavadoras por mês e a expectativa é crescer 40% nesse segmento em 2007. A empresa, de Belo Horizonte, conta com um leque amplo (são 60 itens) em mais de 3 mil pontos de venda. Faturou ao todo mais de R$ 200 milhões em 2006 e projeta chegar aos R$ 250 milhões neste ano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Suggar e Suzano lançam lavadora antibactéria

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

28/04/2007 | 07:11


Uma tecnologia revolucionária desenvolvida pelo centro de pesquisas da Suzano Petroquímica, em Mauá, começa a trazer benefícios às donas de casa. A fabricante de eletrodomésticos Suggar, em conjunto com a companhia da região, acaba de lançar a primeira linha de máquina de lavar fabricada no Brasil com o uso de nanotecnologia na matéria-prima de seus componentes.

Considerada por especialistas a base de uma nova Revolução Industrial, a nanotecnologia é um ramo da ciência que permite às empresas o manuseio de partículas de tamanho nanométrico (um bilionésimo de um metro) para alterações na composição atômica do material, de forma a oferecer a estes características diferenciadas (como resistência bem maior à temperatura e à tração).

No caso específico da parceria com a Suggar, a resina polipropileno (matéria-prima utilizada para a fabricação de peças de plástico) modificada com nanoestrutura utiliza prata e, quando aplicada à cuba da máquina de lavar, conferiu um poder bactericida ao recipiente.

Dessa forma, após a lavagem, mesmo que haja acúmulo de água, a máquina está apta a receber novas peças de roupas sem a possibilidade de contaminação por bactérias. Segundo o diretor industrial da Suggar, Marcelo Emrich Soares, será possível a eliminação de 99,9% das bactérias que se desenvolvem na cuba das lavadoras. A linha escolhida para receber o novo material foi a de lavadoras semi-automáticas.

Pesquisa - A novidade surge depois de 18 meses de pesquisa e desenvolvimento. O gerente de desenvolvimento de novos produtos da Suzano, Cláudio Marcondes, conta que depois do desenvolvimento do material e dos testes que comprovaram que realmente tinha eficácia, o item foi oferecido a alguns clientes e a Suggar mostrou interesse.

A produção inicial foi de 100 toneladas da resina com nanopartículas de prata. Ainda não há metas estabelecidas de volume de fabricação para atender a produtora de eletrodomésticos. “Agora é mercado. Se for bem, deveremos fazer novos investimentos na fábrica de Mauá”, disse Marcondes.

No entanto, as perspectivas são promissoras e as duas empresas já têm planos de ampliar a linha de eletrodomésticos com a nanotecnologia aplicada.

A Suggar fabrica atualmente 55 mil lavadoras por mês e a expectativa é crescer 40% nesse segmento em 2007. A empresa, de Belo Horizonte, conta com um leque amplo (são 60 itens) em mais de 3 mil pontos de venda. Faturou ao todo mais de R$ 200 milhões em 2006 e projeta chegar aos R$ 250 milhões neste ano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;