Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Cingapura devolve duas araras azuis ao Brasil


Das Agências

20/03/2001 | 13:29


O governo de Cingapura devolverá ao Brasil duas araras azuis, espécie rara e protegida pelo governo brasileiro, que foram roubadas e cujo valor no mercado negro pode superar US$ 50 mil.

A brilhante arara azul, alvo da cobiça de colecionadores de aves exóticas, é uma das espécies mais protegidas do mundo e existe em número de apenas 130 exemplares, todos eles nascidos no estado da Bahia.

As duas aves foram encontradas em 1996, em Cingapura, na residência de Lawrence Kuah Kok Choon, descrito pelo juiz do Tribunal Supremo, Yong Pung How, como "contrabandista internacional de pássaros de espécies protegidas".

Kuah, teve a casa revistada depois de ter sido preso no aeroporto de Paris com outro par de araras azuis, foi condenado em janeiro passado a um ano de prisão e a pagar uma multa de US$ 5,6 mil.

As aves serão trazidas para o Brasil sob custódia de um representante do governo brasileiro. A arara azul faz parte do patrimônio nacional brasileiro e proibiu exportação da ave em 1967.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cingapura devolve duas araras azuis ao Brasil

Das Agências

20/03/2001 | 13:29


O governo de Cingapura devolverá ao Brasil duas araras azuis, espécie rara e protegida pelo governo brasileiro, que foram roubadas e cujo valor no mercado negro pode superar US$ 50 mil.

A brilhante arara azul, alvo da cobiça de colecionadores de aves exóticas, é uma das espécies mais protegidas do mundo e existe em número de apenas 130 exemplares, todos eles nascidos no estado da Bahia.

As duas aves foram encontradas em 1996, em Cingapura, na residência de Lawrence Kuah Kok Choon, descrito pelo juiz do Tribunal Supremo, Yong Pung How, como "contrabandista internacional de pássaros de espécies protegidas".

Kuah, teve a casa revistada depois de ter sido preso no aeroporto de Paris com outro par de araras azuis, foi condenado em janeiro passado a um ano de prisão e a pagar uma multa de US$ 5,6 mil.

As aves serão trazidas para o Brasil sob custódia de um representante do governo brasileiro. A arara azul faz parte do patrimônio nacional brasileiro e proibiu exportação da ave em 1967.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;