Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Globalização na América Latina vê 'fim da festa', diz jornal


Da AFP

21/05/2003 | 10:07


O diretor do Le Monde Diplomatique, Ignacio Ramonet, afirmou que "a festa está acabando" para os partidários da globalização na América Latina, em um artigo publicado neste mês em um número especial do jornal dedicado à "efervescência" que predomina atualmente no subcontinente.

Ramonet afirmou que foi aberto um "novo ciclo" na América Latina, "o dos cidadãos e das sociedades", com a chegada ao poder, no dia 1º de janeiro passado, do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, "muito crítico com a globalização liberal".

Na opinião de Ramonet, a população latino-americana expressou de duas formas "o repúdio e a insatisfação" acumulados durante o ciclo anterior (1983-2002), marcado "pela experiência sistemática de políticas econômicas neoliberais".

"Votaram contra os partidos que preconizaram estas políticas ou se rebelaram antes das eleições", disse Ramonet, dando como exemplo a vitória de Hugo Chávez, em 1998, na Venezuela e as manifestações que lhe permitiram voltar ao poder, depois do golpe de 11 de abril do ano passado.

Ramonet também citou a vitória de Lucio Gutiérrez no Equador, no final do ano passado, sem esquecer a de Lula no Brasil e a fuga para o Japão do peruano Alberto Fujimori. "Todos estes sinais políticos indicam claramente que a festa está acabando para os partidários da globalização na América Latina", afirmou.

O número especial do jornal Le Monde Diplomatique, intitulado "América Latina em efervescência", contém vários artigos sobre México, Chile, Equador, Colômbia e Venezuela, um deles assinado pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez e dedicado a Chávez.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Globalização na América Latina vê 'fim da festa', diz jornal

Da AFP

21/05/2003 | 10:07


O diretor do Le Monde Diplomatique, Ignacio Ramonet, afirmou que "a festa está acabando" para os partidários da globalização na América Latina, em um artigo publicado neste mês em um número especial do jornal dedicado à "efervescência" que predomina atualmente no subcontinente.

Ramonet afirmou que foi aberto um "novo ciclo" na América Latina, "o dos cidadãos e das sociedades", com a chegada ao poder, no dia 1º de janeiro passado, do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, "muito crítico com a globalização liberal".

Na opinião de Ramonet, a população latino-americana expressou de duas formas "o repúdio e a insatisfação" acumulados durante o ciclo anterior (1983-2002), marcado "pela experiência sistemática de políticas econômicas neoliberais".

"Votaram contra os partidos que preconizaram estas políticas ou se rebelaram antes das eleições", disse Ramonet, dando como exemplo a vitória de Hugo Chávez, em 1998, na Venezuela e as manifestações que lhe permitiram voltar ao poder, depois do golpe de 11 de abril do ano passado.

Ramonet também citou a vitória de Lucio Gutiérrez no Equador, no final do ano passado, sem esquecer a de Lula no Brasil e a fuga para o Japão do peruano Alberto Fujimori. "Todos estes sinais políticos indicam claramente que a festa está acabando para os partidários da globalização na América Latina", afirmou.

O número especial do jornal Le Monde Diplomatique, intitulado "América Latina em efervescência", contém vários artigos sobre México, Chile, Equador, Colômbia e Venezuela, um deles assinado pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez e dedicado a Chávez.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;