Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Riscos de empreender variam de acordo com a idade

Entusiasmo, falta de foco e desestabilidade financeira são vilões de todo negócio


Tauana Marin

05/11/2012 | 07:00


Abrir o próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros. Mas, é preciso ter muita cautela nesse momento. Seja qual for a idade, há sempre pontos positivos e negativos para os jovens e maduros empreendedores. Falta de planejamento, de estudo/análise de mercado, de capital ou de profissionais qualificados podem ser os causadores de uma falência inesperada. Para se ter ideia, 58% das empresas (micro e pequenas) fecham nos primeiros cinco anos e 27% nos primeiros 24 meses. "A concorrência no mercado é muito alta. Por essa razão, tudo precisa ser muito bem planejado", avalia o economista e consultor do Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo), Pedro João Gonçalves.

Apesar dos riscos, alguns preferem sair da universidade e empreenderem. Outros, por sua vez, optam por estar estabilizados no mercado que atuam para, só depois, se aventurarem no setor. Para Batista Gigliotti, presidente da Fran Systems, consultoria em desenvolvimento de negócios e de franquias, dos 20 aos 30 anos as pessoas vivem um momento de empolgação, energia. "Jovens empreendedores são impulsionados, muitas vezes, pela conclusão da universidade. Querem tentar ter o próprio negócio. Nesse sentido, caso a empresa não dê certo, o tempo para o profissional se recolocar no mercado é maior. Além disso, estão numa fase que não estão comprometidos com dívidas familiares, podendo arriscar mais."

Mesmo assim, Gigliotti enfatiza que a falta de experiência em projetos anteriores pode acentuar os riscos de insucesso do negócio. "Tudo precisa ser ponderado, o entusiasmo exagerado também pode prejudicar o empreendedor, que, na hora da empolgação, acaba por não avaliar corretamente o cenário".

Os empreendedores que estão na faixa etária dos 30 aos 40 anos já vivem um momento mais cauteloso. Nesta faixa etária, o profissional traz, muitas vezes, o espírito empreendedor, uma reserva financeira que permitirá arriscar e entrar em mercados que já possui vivência e conhecimento. "Por outro lado, muitos optam por constituir família nesta etapa da vida. Filhos, casamento, possíveis separações, ou viagens, podem prejudicar o foco do empreendedor", analisa.

Os profissionais com idade superior aos 40 anos possuem muita maturidade, experiência e, na maioria das vezes, já conhecem a fundo o mercado que irão atuar. Mas é também nessa fase da vida que qualquer erro ou planejamento mal elaborado pode representar grande risco, caso o profissional não esteja estabilizado financeiramente. "Voltar ao mercado de trabalho, se a tentativa não obtiver êxito, pode ser uma difícil missão", conta o especialista. Em qualquer idade a ordem é possuir espírito empreendedor. "É muito importante ter foco, saber o que seu cliente espera, afinal de contas, ele é seu patrão", conclui.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Riscos de empreender variam de acordo com a idade

Entusiasmo, falta de foco e desestabilidade financeira são vilões de todo negócio

Tauana Marin

05/11/2012 | 07:00


Abrir o próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros. Mas, é preciso ter muita cautela nesse momento. Seja qual for a idade, há sempre pontos positivos e negativos para os jovens e maduros empreendedores. Falta de planejamento, de estudo/análise de mercado, de capital ou de profissionais qualificados podem ser os causadores de uma falência inesperada. Para se ter ideia, 58% das empresas (micro e pequenas) fecham nos primeiros cinco anos e 27% nos primeiros 24 meses. "A concorrência no mercado é muito alta. Por essa razão, tudo precisa ser muito bem planejado", avalia o economista e consultor do Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo), Pedro João Gonçalves.

Apesar dos riscos, alguns preferem sair da universidade e empreenderem. Outros, por sua vez, optam por estar estabilizados no mercado que atuam para, só depois, se aventurarem no setor. Para Batista Gigliotti, presidente da Fran Systems, consultoria em desenvolvimento de negócios e de franquias, dos 20 aos 30 anos as pessoas vivem um momento de empolgação, energia. "Jovens empreendedores são impulsionados, muitas vezes, pela conclusão da universidade. Querem tentar ter o próprio negócio. Nesse sentido, caso a empresa não dê certo, o tempo para o profissional se recolocar no mercado é maior. Além disso, estão numa fase que não estão comprometidos com dívidas familiares, podendo arriscar mais."

Mesmo assim, Gigliotti enfatiza que a falta de experiência em projetos anteriores pode acentuar os riscos de insucesso do negócio. "Tudo precisa ser ponderado, o entusiasmo exagerado também pode prejudicar o empreendedor, que, na hora da empolgação, acaba por não avaliar corretamente o cenário".

Os empreendedores que estão na faixa etária dos 30 aos 40 anos já vivem um momento mais cauteloso. Nesta faixa etária, o profissional traz, muitas vezes, o espírito empreendedor, uma reserva financeira que permitirá arriscar e entrar em mercados que já possui vivência e conhecimento. "Por outro lado, muitos optam por constituir família nesta etapa da vida. Filhos, casamento, possíveis separações, ou viagens, podem prejudicar o foco do empreendedor", analisa.

Os profissionais com idade superior aos 40 anos possuem muita maturidade, experiência e, na maioria das vezes, já conhecem a fundo o mercado que irão atuar. Mas é também nessa fase da vida que qualquer erro ou planejamento mal elaborado pode representar grande risco, caso o profissional não esteja estabilizado financeiramente. "Voltar ao mercado de trabalho, se a tentativa não obtiver êxito, pode ser uma difícil missão", conta o especialista. Em qualquer idade a ordem é possuir espírito empreendedor. "É muito importante ter foco, saber o que seu cliente espera, afinal de contas, ele é seu patrão", conclui.

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;