Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Seis policiais e 41 talibãs morrem em confronto no Afeganistão


Da AFP

15/04/2006 | 14:13


O confronto de sexta-feira na zona sudoeste de Kandahar, sul do Afeganistão, antigo reduto do líder do regime talibã, mulá Omar, resultou na morte de 41 talibãs e seis policiais afegãos, em um dos combates mais sangrentos dos últimos meses no país.

"Quarenta e um talibãs morreram e um grande número de rebeldes ficou ferido, ao mesmo tempo que seis policiais faleceram e nove sofreram ferimentos", afirmou o governador da província de Kandahar, Assadula Khalid.

No entanto, os talibãs admitiram apenas a morte de dois membros e afirmaram que as outras vítimas são civis. Os confrontos prosseguiram neste sábado entre os rebeldes e as tropas afegãs, apoiadas pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

O chefe de polícia do distrito faleceu e o administrador distrital ficou ferido, acrescentou o governador. O balanço é um dos mais sangrentos dos choques registrados nos últimos meses entre talibãs e as tropas militares.

Três civis também ficaram feridos, segundo o governador. Depois do início do confronto, nos arredores de Singesar, 40 km ao sudoeste de Kandahar, os habitantes da região fugiram em desespero. Treze talibãs foram presos durante a operação na cidade, onde viveu por muitos anos o líder dos talibãs, o mulá Omar.

Omar fugiu a após a queda do regime em 2001, provocada pela intervenção militar da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos. Yusuf Ahmadi, porta-voz dos talibãs, reivindicou a morte do chefe de polícia e de outros 12 oficiais, ao mesmo tempo que admitiu somente a morte de dois milicianos, além de três feridos.

A batalha envolveu dezenas de talibãs e centenas de membros das forças oficiais afegãs, apoiados por helicópteros da coalizão liderada pelos Estados Unidos, que dispararam vários foguetes. "Quando as forças da coalizão começaram a bombardear a zona, os civis já haviam abandonado a localidade", disse o governador Khalid.

"Nós pretendíamos fazer um piquenique quando começou a batalha", afirmou à AFP Zahir Shah, que disse ter visto entre 200 e 250 talibãs na região do combate. Outra operação, executada por 2,5 mil americanos e afegãos na província oriental de Kunar, não deu resultados concretos até o momento.

Um comunicado oficial da coalizão afirma que não foram estabelecidos contatos importantes com os rebeldes. As autoridades afegãs informaram que dois rebeldes morreram na sexta-feira na operação.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Seis policiais e 41 talibãs morrem em confronto no Afeganistão

Da AFP

15/04/2006 | 14:13


O confronto de sexta-feira na zona sudoeste de Kandahar, sul do Afeganistão, antigo reduto do líder do regime talibã, mulá Omar, resultou na morte de 41 talibãs e seis policiais afegãos, em um dos combates mais sangrentos dos últimos meses no país.

"Quarenta e um talibãs morreram e um grande número de rebeldes ficou ferido, ao mesmo tempo que seis policiais faleceram e nove sofreram ferimentos", afirmou o governador da província de Kandahar, Assadula Khalid.

No entanto, os talibãs admitiram apenas a morte de dois membros e afirmaram que as outras vítimas são civis. Os confrontos prosseguiram neste sábado entre os rebeldes e as tropas afegãs, apoiadas pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

O chefe de polícia do distrito faleceu e o administrador distrital ficou ferido, acrescentou o governador. O balanço é um dos mais sangrentos dos choques registrados nos últimos meses entre talibãs e as tropas militares.

Três civis também ficaram feridos, segundo o governador. Depois do início do confronto, nos arredores de Singesar, 40 km ao sudoeste de Kandahar, os habitantes da região fugiram em desespero. Treze talibãs foram presos durante a operação na cidade, onde viveu por muitos anos o líder dos talibãs, o mulá Omar.

Omar fugiu a após a queda do regime em 2001, provocada pela intervenção militar da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos. Yusuf Ahmadi, porta-voz dos talibãs, reivindicou a morte do chefe de polícia e de outros 12 oficiais, ao mesmo tempo que admitiu somente a morte de dois milicianos, além de três feridos.

A batalha envolveu dezenas de talibãs e centenas de membros das forças oficiais afegãs, apoiados por helicópteros da coalizão liderada pelos Estados Unidos, que dispararam vários foguetes. "Quando as forças da coalizão começaram a bombardear a zona, os civis já haviam abandonado a localidade", disse o governador Khalid.

"Nós pretendíamos fazer um piquenique quando começou a batalha", afirmou à AFP Zahir Shah, que disse ter visto entre 200 e 250 talibãs na região do combate. Outra operação, executada por 2,5 mil americanos e afegãos na província oriental de Kunar, não deu resultados concretos até o momento.

Um comunicado oficial da coalizão afirma que não foram estabelecidos contatos importantes com os rebeldes. As autoridades afegãs informaram que dois rebeldes morreram na sexta-feira na operação.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;