Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Leão segue no comando e Palmeiras despista torcida


Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

24/04/2006 | 08:14


O Palmeiras se escondeu após o vexame dos 6 a 1 sofrido no sábado, diante do Figueirense. A delegação voltou para São Paulo de avião, mas o ônibus foi buscar os jogadores na pista do aeroporto de Congonhas, depois de os dirigentes informarem, ainda em Santa Catarina, que a equipe retornaria de ônibus. Foi uma tentativa de despistar os torcedores. E, no meio de todo o clima de tensão, a diretoria confirma a permanência de Emerson Leão no comando do alviverde pelo menos até o final da participação do time na Copa Libertadores. Mas uma nova reunião acontece nesta segunda-feira.

Após uma reunião que contou com a presença do presidente Affonso Della Monica, do vice José Cyrillo, do gerente de Futebol, Ilton José da Costa, e do diretor de Futebol Salvador Hugo Palaia, o técnico palmeirense foi mantido no cargo. “O Leão é nosso técnico. E ele não joga, apenas orienta. Estou tranqüilo, envergonhado, na verdade, ainda por se tratar do Figueirense. E o Palmeiras não tem jogadores tão inexpressivos assim para sofrer uma derrota dessa”, afirmou Palaia, que poderia perder seu cargo junto com o treinador alviverde.

Para Cyrillo, no entanto, ninguém está garantido no cargo depois dos jogos com o São Paulo pela Libertadores. “Até mesmo eu posso pôr o cargo à disposição. Só temos 20 jogadores para enfrentar o São Paulo, então as medidas não são imediatas”.

Puxão de orelha – O ex-presidente Mustafá Contursi cobrou de Affonso Della Monica, o atual mandatário, uma reformulação no clube. “O Palmeiras injetou muito dinheiro no período de um ano. O departamento de Futebol gastou US$ 30 milhões. Não é qualquer clube no Brasil que tem esse orçamento, por isso é preciso mostrar resultado. Em clube grande como o Palmeiras é preciso mostrar trabalho. Esse tipo de coisa (goleada) não pode acontecer”, disse Mustafá. (Com Agências)


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Leão segue no comando e Palmeiras despista torcida

Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

24/04/2006 | 08:14


O Palmeiras se escondeu após o vexame dos 6 a 1 sofrido no sábado, diante do Figueirense. A delegação voltou para São Paulo de avião, mas o ônibus foi buscar os jogadores na pista do aeroporto de Congonhas, depois de os dirigentes informarem, ainda em Santa Catarina, que a equipe retornaria de ônibus. Foi uma tentativa de despistar os torcedores. E, no meio de todo o clima de tensão, a diretoria confirma a permanência de Emerson Leão no comando do alviverde pelo menos até o final da participação do time na Copa Libertadores. Mas uma nova reunião acontece nesta segunda-feira.

Após uma reunião que contou com a presença do presidente Affonso Della Monica, do vice José Cyrillo, do gerente de Futebol, Ilton José da Costa, e do diretor de Futebol Salvador Hugo Palaia, o técnico palmeirense foi mantido no cargo. “O Leão é nosso técnico. E ele não joga, apenas orienta. Estou tranqüilo, envergonhado, na verdade, ainda por se tratar do Figueirense. E o Palmeiras não tem jogadores tão inexpressivos assim para sofrer uma derrota dessa”, afirmou Palaia, que poderia perder seu cargo junto com o treinador alviverde.

Para Cyrillo, no entanto, ninguém está garantido no cargo depois dos jogos com o São Paulo pela Libertadores. “Até mesmo eu posso pôr o cargo à disposição. Só temos 20 jogadores para enfrentar o São Paulo, então as medidas não são imediatas”.

Puxão de orelha – O ex-presidente Mustafá Contursi cobrou de Affonso Della Monica, o atual mandatário, uma reformulação no clube. “O Palmeiras injetou muito dinheiro no período de um ano. O departamento de Futebol gastou US$ 30 milhões. Não é qualquer clube no Brasil que tem esse orçamento, por isso é preciso mostrar resultado. Em clube grande como o Palmeiras é preciso mostrar trabalho. Esse tipo de coisa (goleada) não pode acontecer”, disse Mustafá. (Com Agências)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;