Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Aposentados do INSS elevam a busca pelos consignados


Fernando Bortolin
Do Diário do Grande ABC

11/04/2006 | 08:32


Em fevereiro deste ano, aposentados e pensionistas do Estado de São Paulo pegaram emprestados junto aos bancos credenciados ao INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social) um total de R$ 1,112 bilhão através do crédito consignado. Isso representou um aumento de 31,71% em relação aos R$ 844,7 milhões sacados em janeiro.

O Estado conta com 1,94 milhão de beneficiários do INSS, mas aparecem nas estatísticas da Previdência Social a soma de 1,95 milhão de contratos consignados, cujos empréstimos somam R$ 3,468 bilhões. Desse montante, 302 mil empréstimos já foram encerrados (R$ 81,6 milhões), 43,9 mil já estão com as operações liquidadas (R$ 110 milhões) e outros 43,9 mil foram simplesmente cancelados, equivalendo a R$ 63,7 milhões).

Raio X – Segundo a Previdência Social, a maior parte dos beneficiários que tem recorrido aos empréstimos consignados neste ano ganham até um salário mínimo. Em fevereiro último, 51,34% dos créditos repassados pelos bancos classificou-se nesta faixa de rendimentos, ante 50,82% em janeiro.

Nas demais faixas de beneficiários, a participação cai. Por exemplo, entre aqueles que recebem de um a dois salários mínimos, o percentual cedeu de 14,67% em janeiro para 14,55% em fevereiro. Considerando os que recebem entre dois e três mínimos, a participação sobre os empréstimos concretizados em fevereiro cedeu para 10,51%, ante os 10,63% de janeiro último.

Parcelamento – Aposentados e pensionistas preferem quitar os empréstimos em folha de pagamento com prazos mais longos: 56,45% do total de contratos abertos junto aos bancos têm prazo de pagamento entre 31 e 36 meses. Outros 11,41% concentram-se em prazos que vão de 19 a 24 meses. Os financiamentos feitos em até seis meses de prazo, ideais para esse tipo de crédito, participam com 14,77% do total.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aposentados do INSS elevam a busca pelos consignados

Fernando Bortolin
Do Diário do Grande ABC

11/04/2006 | 08:32


Em fevereiro deste ano, aposentados e pensionistas do Estado de São Paulo pegaram emprestados junto aos bancos credenciados ao INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social) um total de R$ 1,112 bilhão através do crédito consignado. Isso representou um aumento de 31,71% em relação aos R$ 844,7 milhões sacados em janeiro.

O Estado conta com 1,94 milhão de beneficiários do INSS, mas aparecem nas estatísticas da Previdência Social a soma de 1,95 milhão de contratos consignados, cujos empréstimos somam R$ 3,468 bilhões. Desse montante, 302 mil empréstimos já foram encerrados (R$ 81,6 milhões), 43,9 mil já estão com as operações liquidadas (R$ 110 milhões) e outros 43,9 mil foram simplesmente cancelados, equivalendo a R$ 63,7 milhões).

Raio X – Segundo a Previdência Social, a maior parte dos beneficiários que tem recorrido aos empréstimos consignados neste ano ganham até um salário mínimo. Em fevereiro último, 51,34% dos créditos repassados pelos bancos classificou-se nesta faixa de rendimentos, ante 50,82% em janeiro.

Nas demais faixas de beneficiários, a participação cai. Por exemplo, entre aqueles que recebem de um a dois salários mínimos, o percentual cedeu de 14,67% em janeiro para 14,55% em fevereiro. Considerando os que recebem entre dois e três mínimos, a participação sobre os empréstimos concretizados em fevereiro cedeu para 10,51%, ante os 10,63% de janeiro último.

Parcelamento – Aposentados e pensionistas preferem quitar os empréstimos em folha de pagamento com prazos mais longos: 56,45% do total de contratos abertos junto aos bancos têm prazo de pagamento entre 31 e 36 meses. Outros 11,41% concentram-se em prazos que vão de 19 a 24 meses. Os financiamentos feitos em até seis meses de prazo, ideais para esse tipo de crédito, participam com 14,77% do total.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;