Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Prefeituras fazem mudanças viárias para tentar dar fluidez ao trânsito

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Alterações de sentido e aberturas de vias estão entre as ações executadas em três cidades


Bia Moço

25/05/2018 | 07:00


As prefeituras da região investem em mudanças viárias para tentar acabar com os transtornos causados pelo tráfego intenso de veículos, principalmente em horários de pico. Alterações no sentido de vias e semafóricas e aberturas de ruas têm sido as apostas. Entretanto, especialista alerta para os riscos de se redesenhar o viário já consolidado sem que ele passe por adaptação a novos modais, como é o caso de ciclovias.

Embora as ações sejam destinadas à melhora da qualidade de vida da população, as alterações costumam dividir opinião.Em Santo André, por exemplo, a abertura de acesso na Rua Bartolomeu de Gusmão para a Avenida dos Estados, no bairro Santa Teresinha, foi aprovada por usuários e comerciantes. A mudança, conforme motoristas ouvidos pela equipe do Diário, colaborou para a diminuição do trânsito. 

Proprietário de estacionamento ao lado do Santuário Santa Teresinha diz que o acesso foi bem-vindo. “Os carros têm opção a mais, um trajeto alternativo. Nunca mais tivemos tanto problema com congestionamento por aqui”, relata Roberto da Silva, 54 anos.

Já na Vila Gilda, no mesmo município, as ruas Filinto de Almeida e Pires do Rio passarão a ter sentido único de circulação a partir do dia 29. A farmacêutica Marina Azevedo, 29, que não gostou da alteração. “Acho que vai atrapalhar o trânsito. É uma entrada a menos. Quem for para a (Avenida) Higienópolis terá somente uma opção.” Nilton da Silva, 38, pensa o contrário. “Vai melhorar a fluidez, porque diminui o caos de carros em duplo sentido e auxiliará a passagem dos pedestres.”

Segundo o gestor do curso de Arquitetura e Urbanismo da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Ênio Moro Junior, as prefeituras tentam adaptar as malhas urbanas modestas a modais complexos de transporte. “Isso não dá certo. Na realidade, deve-se pensar em projetos maiores e que possibilitem, por meio de alteração do desenho das cidades, novas possibilidades de intervenção. Enquanto pensarmos questões de mobilidade sem mudar o desenho da cidade, não há melhora.”

REGIÃO

Em São Bernardo houve mudanças em 18 ruas desde janeiro, sendo em sua maioria alterações de mão dupla para mão única, além de abertura de vias que estavam fechadas por obras. Há projetos para mudanças em mais cinco vias. 

São Caetano tem trecho das ruas Rio de Janeiro e Aparecida em experiência de alteração. Já no município mauaense existem projetos, no entanto, em fase de estudo, não foram detalhados. Em Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra não houve mudança viária. Diadema não retornou até o fechamento desta edição.

Sto.André realiza operação específica

Para diminuir o trânsito em vias de grande circulação, a Prefeitura de Santo André criou projeto que visa abrir caminhos alternativos no horário de rush. A Operação Fluidez, feita pelos agentes do DET (Departamento de Engenharia de Tráfego) funcionada das 16h30 às 19h30 em diversos pontos da cidade.

Um dos acessos é o da Rua das Figueiras com a Rua Catequese, onde motoristas podem circular nos dois sentidos da via apenas neste horário. Desde que o programa começou a funcionar, o município registrou queda de 10% no número de ligações para a CMT (Central de Monitoramento de Trânsito), com queixas sobre congestionamentos no município.

A equipe do Diário ouviu motoristas que trafegavam pelo trecho da Rua das Monções na tarde de ontem. A maior parte deles – oito usuários – aprovou a medida e disse que economiza de 15 a 20 minutos de trânsito.

Durante a realização da operação, são montados reforços de sinalização horizontal com cones para organizar e direcionar o fluxo de veículos. Os agentes de trânsito permanecem estrategicamente posicionados orientando os motoristas e também com o auxílio de motocicletas, para realizar deslocamentos rápidos em casos de ocorrências e reduzir o tempo de resposta de atendimento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prefeituras fazem mudanças viárias para tentar dar fluidez ao trânsito

Alterações de sentido e aberturas de vias estão entre as ações executadas em três cidades

Bia Moço

25/05/2018 | 07:00


As prefeituras da região investem em mudanças viárias para tentar acabar com os transtornos causados pelo tráfego intenso de veículos, principalmente em horários de pico. Alterações no sentido de vias e semafóricas e aberturas de ruas têm sido as apostas. Entretanto, especialista alerta para os riscos de se redesenhar o viário já consolidado sem que ele passe por adaptação a novos modais, como é o caso de ciclovias.

Embora as ações sejam destinadas à melhora da qualidade de vida da população, as alterações costumam dividir opinião.Em Santo André, por exemplo, a abertura de acesso na Rua Bartolomeu de Gusmão para a Avenida dos Estados, no bairro Santa Teresinha, foi aprovada por usuários e comerciantes. A mudança, conforme motoristas ouvidos pela equipe do Diário, colaborou para a diminuição do trânsito. 

Proprietário de estacionamento ao lado do Santuário Santa Teresinha diz que o acesso foi bem-vindo. “Os carros têm opção a mais, um trajeto alternativo. Nunca mais tivemos tanto problema com congestionamento por aqui”, relata Roberto da Silva, 54 anos.

Já na Vila Gilda, no mesmo município, as ruas Filinto de Almeida e Pires do Rio passarão a ter sentido único de circulação a partir do dia 29. A farmacêutica Marina Azevedo, 29, que não gostou da alteração. “Acho que vai atrapalhar o trânsito. É uma entrada a menos. Quem for para a (Avenida) Higienópolis terá somente uma opção.” Nilton da Silva, 38, pensa o contrário. “Vai melhorar a fluidez, porque diminui o caos de carros em duplo sentido e auxiliará a passagem dos pedestres.”

Segundo o gestor do curso de Arquitetura e Urbanismo da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Ênio Moro Junior, as prefeituras tentam adaptar as malhas urbanas modestas a modais complexos de transporte. “Isso não dá certo. Na realidade, deve-se pensar em projetos maiores e que possibilitem, por meio de alteração do desenho das cidades, novas possibilidades de intervenção. Enquanto pensarmos questões de mobilidade sem mudar o desenho da cidade, não há melhora.”

REGIÃO

Em São Bernardo houve mudanças em 18 ruas desde janeiro, sendo em sua maioria alterações de mão dupla para mão única, além de abertura de vias que estavam fechadas por obras. Há projetos para mudanças em mais cinco vias. 

São Caetano tem trecho das ruas Rio de Janeiro e Aparecida em experiência de alteração. Já no município mauaense existem projetos, no entanto, em fase de estudo, não foram detalhados. Em Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra não houve mudança viária. Diadema não retornou até o fechamento desta edição.

Sto.André realiza operação específica

Para diminuir o trânsito em vias de grande circulação, a Prefeitura de Santo André criou projeto que visa abrir caminhos alternativos no horário de rush. A Operação Fluidez, feita pelos agentes do DET (Departamento de Engenharia de Tráfego) funcionada das 16h30 às 19h30 em diversos pontos da cidade.

Um dos acessos é o da Rua das Figueiras com a Rua Catequese, onde motoristas podem circular nos dois sentidos da via apenas neste horário. Desde que o programa começou a funcionar, o município registrou queda de 10% no número de ligações para a CMT (Central de Monitoramento de Trânsito), com queixas sobre congestionamentos no município.

A equipe do Diário ouviu motoristas que trafegavam pelo trecho da Rua das Monções na tarde de ontem. A maior parte deles – oito usuários – aprovou a medida e disse que economiza de 15 a 20 minutos de trânsito.

Durante a realização da operação, são montados reforços de sinalização horizontal com cones para organizar e direcionar o fluxo de veículos. Os agentes de trânsito permanecem estrategicamente posicionados orientando os motoristas e também com o auxílio de motocicletas, para realizar deslocamentos rápidos em casos de ocorrências e reduzir o tempo de resposta de atendimento.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;