Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

SP: auxiliar de limpeza é morto por policiais militares na Zona Leste


Do Diário OnLine
Com Agências

13/04/2006 | 14:09


A corregedoria da polícia vai investigar o assassinato do auxiliar de limpeza Rogério dos Santos Dias, 33 anos, morto por policiais militares em Itaquera, Zona Leste de São Paulo, nesta quarta-feira. O auxiliar de limpeza foi assassinado quando chegava a casa de sua sogra

Dias foi atingido por disparos feitos por policiais, que perseguiam um carro com três suspeitos. Durante a fuga, o carro bateu em um muro e os ocupantes do veículo fugiram à pé. Segundo familiares, os policiais militares chegaram ao local atirando. A polícia alega, entretanto, que a vítima estava armada e trocou tiros com os agentes.

Os parentes negam que o auxiliar de limpeza, que trabalhava no Hospital Samaritano, andava armado e afirmam que ele foi morto por engano. As armas dos PM e a suposta pistola apreendida serão submetidas à perícia.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

SP: auxiliar de limpeza é morto por policiais militares na Zona Leste

Do Diário OnLine
Com Agências

13/04/2006 | 14:09


A corregedoria da polícia vai investigar o assassinato do auxiliar de limpeza Rogério dos Santos Dias, 33 anos, morto por policiais militares em Itaquera, Zona Leste de São Paulo, nesta quarta-feira. O auxiliar de limpeza foi assassinado quando chegava a casa de sua sogra

Dias foi atingido por disparos feitos por policiais, que perseguiam um carro com três suspeitos. Durante a fuga, o carro bateu em um muro e os ocupantes do veículo fugiram à pé. Segundo familiares, os policiais militares chegaram ao local atirando. A polícia alega, entretanto, que a vítima estava armada e trocou tiros com os agentes.

Os parentes negam que o auxiliar de limpeza, que trabalhava no Hospital Samaritano, andava armado e afirmam que ele foi morto por engano. As armas dos PM e a suposta pistola apreendida serão submetidas à perícia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;