Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

MP ameaça processar Ribeirão Pires


Marco Borba e
Flávia Braz
Especial para o Diário

25/04/2006 | 08:43


O Ministério Púbico ameaça abrir ação civil pública contra a Prefeitura de Ribeirão Pires por contratar servidores para cargos técnicos sem a realização de concursos públicos, o que fere os incisos II e V do artigo 37 da Constituição Federal, que determina que “a investidura em cargo ou emprego depende de aprovação prévia em concurso público”. As investigações foram iniciadas em junho e, segundo a promotora da Cidadania Maria Cláudia Andreatta Hirt, apesar de o prefeito Clóvis Volpi (PV) ter conhecimento das irregularidades, até o momento não adotou as providências solicitadas pelo MP: realização de concursos e alteração da lei municipal que instituiu as contratações.

O chefe do Executivo afirma que a questão está sendo estudada, garantindo que as solicitações do MP serão atendidas. “Nós nos reunimos com ela (promotora) e assumimos o compromisso de fazer uma reestruturação e vamos fazer. Mas não dá para fazer isso do dia para noite”, justifica-se Volpi.

Maria Cláudia pretende se reunir com o prefeito no próximo mês. “Só nos falamos uma vez, logo após o início das investigações. De lá para cá, tudo só foi por meio de ofícios. A Prefeitura sempre respondeu. Em uma delas informou até que estava realizando um concurso, mas a solução não foi adotada.”

A promotora da Cidadania não estipulou prazos, mas explicou que o Ministério Público tem como norma conceder 30 dias para que situações como esta sejam resolvidas. Para Volpi, o excesso de compromissos somado a complexidade que envolve a reestruturação do segundo escalão do governo são os motivos de tanta demora na resolução do problema. “Não é fácil saber o cargo, qual é comissionado, qual é técnico. Você precisa reorganizar a parte administrativa da Prefeitura. Com tantos problemas que tenho aqui para resolver, isso demanda um mês, três meses de trabalho ininterrupto”, justifica-se.

Segundo dados da Prefeitura, o quadro de funcionários públicos atualmente é de 1.626 concursados e 263 comissionados, com uma folha de pagamento mensal de cerca de R$ 2,19 milhões. Maria Cláudia afirma não saber quantos cargos deveriam ter sido preenchidos por meio de concurso público pela administração. “Não investigo a questão dos gastos com pessoal, até porque a Lei de Responsabilidade Fiscal é muito clara sobre isso. Investigo a natureza do provimento dos cargos”, diz. Pela Constituição Federal, os administradores podem responder por improbidade administrativa caso tenham conhecimento de irregularidades e não tomem providências.

(Supervisão de Lola Nicolás)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

MP ameaça processar Ribeirão Pires

Marco Borba e
Flávia Braz
Especial para o Diário

25/04/2006 | 08:43


O Ministério Púbico ameaça abrir ação civil pública contra a Prefeitura de Ribeirão Pires por contratar servidores para cargos técnicos sem a realização de concursos públicos, o que fere os incisos II e V do artigo 37 da Constituição Federal, que determina que “a investidura em cargo ou emprego depende de aprovação prévia em concurso público”. As investigações foram iniciadas em junho e, segundo a promotora da Cidadania Maria Cláudia Andreatta Hirt, apesar de o prefeito Clóvis Volpi (PV) ter conhecimento das irregularidades, até o momento não adotou as providências solicitadas pelo MP: realização de concursos e alteração da lei municipal que instituiu as contratações.

O chefe do Executivo afirma que a questão está sendo estudada, garantindo que as solicitações do MP serão atendidas. “Nós nos reunimos com ela (promotora) e assumimos o compromisso de fazer uma reestruturação e vamos fazer. Mas não dá para fazer isso do dia para noite”, justifica-se Volpi.

Maria Cláudia pretende se reunir com o prefeito no próximo mês. “Só nos falamos uma vez, logo após o início das investigações. De lá para cá, tudo só foi por meio de ofícios. A Prefeitura sempre respondeu. Em uma delas informou até que estava realizando um concurso, mas a solução não foi adotada.”

A promotora da Cidadania não estipulou prazos, mas explicou que o Ministério Público tem como norma conceder 30 dias para que situações como esta sejam resolvidas. Para Volpi, o excesso de compromissos somado a complexidade que envolve a reestruturação do segundo escalão do governo são os motivos de tanta demora na resolução do problema. “Não é fácil saber o cargo, qual é comissionado, qual é técnico. Você precisa reorganizar a parte administrativa da Prefeitura. Com tantos problemas que tenho aqui para resolver, isso demanda um mês, três meses de trabalho ininterrupto”, justifica-se.

Segundo dados da Prefeitura, o quadro de funcionários públicos atualmente é de 1.626 concursados e 263 comissionados, com uma folha de pagamento mensal de cerca de R$ 2,19 milhões. Maria Cláudia afirma não saber quantos cargos deveriam ter sido preenchidos por meio de concurso público pela administração. “Não investigo a questão dos gastos com pessoal, até porque a Lei de Responsabilidade Fiscal é muito clara sobre isso. Investigo a natureza do provimento dos cargos”, diz. Pela Constituição Federal, os administradores podem responder por improbidade administrativa caso tenham conhecimento de irregularidades e não tomem providências.

(Supervisão de Lola Nicolás)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;