Fechar
Publicidade

Sábado, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Al Caberno, em Santo André, tem no atendimento o ponto forte


Daniel Gutierrez
Especial para o Diário

15/04/2006 | 13:56


A cantina italiana e pizzaria Al Caberno, em Santo André (r. dr. Eduardo Monteiro, 875. Tel:4427-3615) oferece cardápio extenso e variado com massas de fabricação própria, pizzas, carnes, peixes e frango. Abre para almoço nos fins de semana, e sábado é dia da tradicional feijoada.

O ambiente é aconchegante e familiar com cadeiras e mesas de madeira rústica. A iluminação baixa ajuda a dar o toque intimista e aconchegante na parte interna, onde fica o bar e a copa. Em noites quentes, a dica é ficar na varanda.

Nas terças e quartas o cliente pode optar pelo rodízio de pizzas (R$ 10,90) e às quintas saborear o festival do gnocchi (R$ 10), sucesso na casa. Tortelloni, spaghetti, gnocchi, fusilli, linguini, fettuccine, ravióli, cappelletti, penne e a massa da lasanha, como já dito, são feitos na casa, por isso, o prato não sai rápido, mas compensa quando chega à mesa numa porção bem servida e gostosa.

A reportagem do Diário provou o tortelloni de ricota com nozes ao molho napolitano (R$ 21) e como entrada, sugestão do garçom, foi servido o trio (R$ 7,50): berinjela temperada, abobrinha e gorgonzola acompanhados de pães quentinhos, que poderiam ser mais frescos. Para os bons de garfo as porções são suficientes e podem servir duas pessoas. No inverno, uma boa pedida são as sopas servidas no pão italiano (ervilha, palmito, camarão, caldo verde, cappelletti e quatro queijos).

A casa oferece refrigerantes, cervejas e sucos (naturais apenas limão, laranja e melancia). A carta de vinhos da casa é simples. O mais caro é um Bordeaux (R$ 90), e os mais baratos são nacionais, como o Miolo, Marcus James e Almadén (de R$ 22 a R$ 28). Caipirinhas podem ser pedidas com rum, vodca e cachaça.

Diversão e boa comida para a família, amigos, namorados e comemorações em geral estão garantidos no Al Caberno. O ponto alto do lugar é o atendimento, simpático e competente. (Supervisão de Melina Dias)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Al Caberno, em Santo André, tem no atendimento o ponto forte

Daniel Gutierrez
Especial para o Diário

15/04/2006 | 13:56


A cantina italiana e pizzaria Al Caberno, em Santo André (r. dr. Eduardo Monteiro, 875. Tel:4427-3615) oferece cardápio extenso e variado com massas de fabricação própria, pizzas, carnes, peixes e frango. Abre para almoço nos fins de semana, e sábado é dia da tradicional feijoada.

O ambiente é aconchegante e familiar com cadeiras e mesas de madeira rústica. A iluminação baixa ajuda a dar o toque intimista e aconchegante na parte interna, onde fica o bar e a copa. Em noites quentes, a dica é ficar na varanda.

Nas terças e quartas o cliente pode optar pelo rodízio de pizzas (R$ 10,90) e às quintas saborear o festival do gnocchi (R$ 10), sucesso na casa. Tortelloni, spaghetti, gnocchi, fusilli, linguini, fettuccine, ravióli, cappelletti, penne e a massa da lasanha, como já dito, são feitos na casa, por isso, o prato não sai rápido, mas compensa quando chega à mesa numa porção bem servida e gostosa.

A reportagem do Diário provou o tortelloni de ricota com nozes ao molho napolitano (R$ 21) e como entrada, sugestão do garçom, foi servido o trio (R$ 7,50): berinjela temperada, abobrinha e gorgonzola acompanhados de pães quentinhos, que poderiam ser mais frescos. Para os bons de garfo as porções são suficientes e podem servir duas pessoas. No inverno, uma boa pedida são as sopas servidas no pão italiano (ervilha, palmito, camarão, caldo verde, cappelletti e quatro queijos).

A casa oferece refrigerantes, cervejas e sucos (naturais apenas limão, laranja e melancia). A carta de vinhos da casa é simples. O mais caro é um Bordeaux (R$ 90), e os mais baratos são nacionais, como o Miolo, Marcus James e Almadén (de R$ 22 a R$ 28). Caipirinhas podem ser pedidas com rum, vodca e cachaça.

Diversão e boa comida para a família, amigos, namorados e comemorações em geral estão garantidos no Al Caberno. O ponto alto do lugar é o atendimento, simpático e competente. (Supervisão de Melina Dias)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;