Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Para bancos, jovem é 'gente grande


Leandro Cervantes
Do Diário do Grande ABC

09/04/2006 | 08:37


Já foi o tempo em que conta corrente e cartão de crédito eram privilégio somente de adultos. De olho na ampliação de suas bases de clientes, bancos e operadoras de cartões têm, cada vez mais, apostado em produtos e serviços destinados ao público jovem ou universitário. Basta ver o número de anúncios e propagandas do segmento veiculados ultimamente. Em meio a tantas promoções - que oferecem as mais diversas vantagens - é preciso estar atento na hora de contratar algum desses serviços.

Estudo realizado pela Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) sobre produtos financeiros para jovens, comparando 19 contas correntes destinadas a jovens e universitários e oito cartões de crédito, aponta diferenças consideráveis entre os produtos, tanto em termos de custo da tarifa de manutenção mensal, quanto ao pacote de serviços oferecido (ver quadro ao lado). Os artigos pesquisados pela entidade foram encontrados em nove dos 20 maiores bancos do país, mais a operadora de cartões Credicard.

As tarifas de manutenção mensais das contas para jovens, por exemplo, variam da isenção (Nossa Caixa e Banco do Brasil) a R$ 6,30 (Itaú). No caso do segmento universitário, a tarifa mensal também parte do valor mensal zero (Nossa Caixa) e chega a custar até R$ 9,50 (Banco Real), passando por isenções temporárias de três a 12 meses (Bradesco e HSBC).
  
Vantagem - O estudo conclui que, no caso das contas correntes, é vantajoso para o cliente que se enquadra no perfil optar por uma conta jovem ou universitária. "Para esse produto vale a pena, pois realmente há redução de tarifas em comparação a contas tradicionais. Mas é preciso estar atento para os serviços oferecidos", alerta a economista da Pro Teste, Hessia Costilla, coordenadora da pesquisa.

Assim como os valores da manutenção mensal, os pacotes de serviço também variam bastante. Curiosamente, no entanto, bancos de menor custo podem oferecer mais opções que outros de tarifas mais altas, conforme aponta o levantamento. Os depósitos em dinheiro ou cheque, por exemplo, são cobrados à parte na Caixa Econômica Federal, enquanto no HSBC e na Nossa Caixa o serviço é ilimitado.

Segundo o estudo, o banco estatal de São Paulo é o único que não impõe limites ao uso de DOC (Documento de Operação de Crédito) e TED (Transferência Eletrônica Disponível), além de permitir transferência entre contas. A Pro Teste aponta a Nossa Caixa como a instituição que oferece as melhores cestas de contas correntes, tanto para jovens quanto para universitários.

Desvantagens - Se há vantagens nas tarifas e pacotes de serviços, o mesmo não
ocorre com os juros do cheque especial. Nesse caso, as taxas praticadas para as contas jovens e universitárias que oferecem esse tipo de crédito são igualmente altas às aplicadas nas contas convencionais. Já o limite disponibilizado varia de R$ 50 a R$ 5 mil, ambos no Banco do Brasil (acima de R$ 800,00 exige comprovação de renda) para a Conta Especial Universitária - modalidade 20.
  
Orientação - A economista da Pro Teste aconselha aos interessados em abrir uma conta nesses segmentos a elaborarem uma lista dos serviços que realmente necessitam, como talão de cheque, quantidade de extratos, etc, e só depois irem ao banco. "Se o cliente procurar a instituição já sabendo o que precisa terá menos risco de adquirir um produto inadequado. Nesse sentido, os bancos têm se mostrado flexíveis em tentar atender às necessidades do cliente.", diz Costilla.

As exigências para abertura de conta para jovens são as mesmas de contas convencionais. É preciso documento de identidade, CPF (Cadastro de Pessoa Física) e comprovante de residência. Para as contas universitárias é necessária a apresentação do comprovante de matrícula na faculdade. Já os menores de 16 anos devem juntar também a documentação dos pais ou responsáveis.

Apesar de alguns bancos oferecerem serviços bancários para clientes a partir de 12 anos, a Pro Teste considera tal oferta inadequada. A entidade alega que, segundo o Código Civil Brasileiro, a assinatura de menores de 16 anos em cheques e cartões não é reconhecida e toda responsabilidade legal sobre a conta fica a cargo de seus responsáveis.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Para bancos, jovem é 'gente grande

Leandro Cervantes
Do Diário do Grande ABC

09/04/2006 | 08:37


Já foi o tempo em que conta corrente e cartão de crédito eram privilégio somente de adultos. De olho na ampliação de suas bases de clientes, bancos e operadoras de cartões têm, cada vez mais, apostado em produtos e serviços destinados ao público jovem ou universitário. Basta ver o número de anúncios e propagandas do segmento veiculados ultimamente. Em meio a tantas promoções - que oferecem as mais diversas vantagens - é preciso estar atento na hora de contratar algum desses serviços.

Estudo realizado pela Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) sobre produtos financeiros para jovens, comparando 19 contas correntes destinadas a jovens e universitários e oito cartões de crédito, aponta diferenças consideráveis entre os produtos, tanto em termos de custo da tarifa de manutenção mensal, quanto ao pacote de serviços oferecido (ver quadro ao lado). Os artigos pesquisados pela entidade foram encontrados em nove dos 20 maiores bancos do país, mais a operadora de cartões Credicard.

As tarifas de manutenção mensais das contas para jovens, por exemplo, variam da isenção (Nossa Caixa e Banco do Brasil) a R$ 6,30 (Itaú). No caso do segmento universitário, a tarifa mensal também parte do valor mensal zero (Nossa Caixa) e chega a custar até R$ 9,50 (Banco Real), passando por isenções temporárias de três a 12 meses (Bradesco e HSBC).
  
Vantagem - O estudo conclui que, no caso das contas correntes, é vantajoso para o cliente que se enquadra no perfil optar por uma conta jovem ou universitária. "Para esse produto vale a pena, pois realmente há redução de tarifas em comparação a contas tradicionais. Mas é preciso estar atento para os serviços oferecidos", alerta a economista da Pro Teste, Hessia Costilla, coordenadora da pesquisa.

Assim como os valores da manutenção mensal, os pacotes de serviço também variam bastante. Curiosamente, no entanto, bancos de menor custo podem oferecer mais opções que outros de tarifas mais altas, conforme aponta o levantamento. Os depósitos em dinheiro ou cheque, por exemplo, são cobrados à parte na Caixa Econômica Federal, enquanto no HSBC e na Nossa Caixa o serviço é ilimitado.

Segundo o estudo, o banco estatal de São Paulo é o único que não impõe limites ao uso de DOC (Documento de Operação de Crédito) e TED (Transferência Eletrônica Disponível), além de permitir transferência entre contas. A Pro Teste aponta a Nossa Caixa como a instituição que oferece as melhores cestas de contas correntes, tanto para jovens quanto para universitários.

Desvantagens - Se há vantagens nas tarifas e pacotes de serviços, o mesmo não
ocorre com os juros do cheque especial. Nesse caso, as taxas praticadas para as contas jovens e universitárias que oferecem esse tipo de crédito são igualmente altas às aplicadas nas contas convencionais. Já o limite disponibilizado varia de R$ 50 a R$ 5 mil, ambos no Banco do Brasil (acima de R$ 800,00 exige comprovação de renda) para a Conta Especial Universitária - modalidade 20.
  
Orientação - A economista da Pro Teste aconselha aos interessados em abrir uma conta nesses segmentos a elaborarem uma lista dos serviços que realmente necessitam, como talão de cheque, quantidade de extratos, etc, e só depois irem ao banco. "Se o cliente procurar a instituição já sabendo o que precisa terá menos risco de adquirir um produto inadequado. Nesse sentido, os bancos têm se mostrado flexíveis em tentar atender às necessidades do cliente.", diz Costilla.

As exigências para abertura de conta para jovens são as mesmas de contas convencionais. É preciso documento de identidade, CPF (Cadastro de Pessoa Física) e comprovante de residência. Para as contas universitárias é necessária a apresentação do comprovante de matrícula na faculdade. Já os menores de 16 anos devem juntar também a documentação dos pais ou responsáveis.

Apesar de alguns bancos oferecerem serviços bancários para clientes a partir de 12 anos, a Pro Teste considera tal oferta inadequada. A entidade alega que, segundo o Código Civil Brasileiro, a assinatura de menores de 16 anos em cheques e cartões não é reconhecida e toda responsabilidade legal sobre a conta fica a cargo de seus responsáveis.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;