Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Quênia: equipes de resgate encontram sobrevivente de ataque à universidade

Rafael Levi/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Cynthia Charotich, 19 anos, foi achada dois dias
após um grupo de extremistas islâmicos matar 148



04/04/2015 | 08:35


Uma sobrevivente do ataque na Universidade Garissa foi encontrada neste sábado, dois dias após um grupo de extremistas islâmicos matar 148 pessoas.

Cynthia Charotich, de 19 anos, afirmou no hospital que ela se escondeu em um grande armário e cobriu-se com roupas, recusando-se a sair, mesmo quando alguns de seus colegas de classe saíram dos esconderijos diante dos pedidos dos pistoleiros do grupo Al-Shabab.

Ela disse que não acreditou que os socorristas que pediram para ela sair de seu esconderijo estavam lá para ajudar, suspeitando a princípio que eles eram militantes. "Charotich saiu do esconderijo, só depois de as forças de segurança do Quênia pedirem a um de seus professores para falar com ela.

Os extremistas do Al-Shabab alertaram que mais ataques no Quênia, como o realizado contra a Universidade Garissa, podem ocorrer. De acordo com o grupo de monitoramento de inteligência SITE, o grupo militante islâmico divulgou um comunicado neste sábado, afirmando que o ataque na universidade foi uma retaliação devido a assassinatos realizados por tropas quenianas, que lutam contra os rebeldes na Somália. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Quênia: equipes de resgate encontram sobrevivente de ataque à universidade

Cynthia Charotich, 19 anos, foi achada dois dias
após um grupo de extremistas islâmicos matar 148


04/04/2015 | 08:35


Uma sobrevivente do ataque na Universidade Garissa foi encontrada neste sábado, dois dias após um grupo de extremistas islâmicos matar 148 pessoas.

Cynthia Charotich, de 19 anos, afirmou no hospital que ela se escondeu em um grande armário e cobriu-se com roupas, recusando-se a sair, mesmo quando alguns de seus colegas de classe saíram dos esconderijos diante dos pedidos dos pistoleiros do grupo Al-Shabab.

Ela disse que não acreditou que os socorristas que pediram para ela sair de seu esconderijo estavam lá para ajudar, suspeitando a princípio que eles eram militantes. "Charotich saiu do esconderijo, só depois de as forças de segurança do Quênia pedirem a um de seus professores para falar com ela.

Os extremistas do Al-Shabab alertaram que mais ataques no Quênia, como o realizado contra a Universidade Garissa, podem ocorrer. De acordo com o grupo de monitoramento de inteligência SITE, o grupo militante islâmico divulgou um comunicado neste sábado, afirmando que o ataque na universidade foi uma retaliação devido a assassinatos realizados por tropas quenianas, que lutam contra os rebeldes na Somália. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;