Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Avião cai no Rio e mata 19 pessoas



02/04/2006 | 08:44


Dezenove pessoas morreram no acidente com o avião turboélice LAT-410 da Team Empresa Aérea, que fazia a rota Macaé-Rio de Janeiro. A aeronave desapareceu dos radares do Departamento de Aviação Civil às 17h40 de sexta-feira, 20 minutos depois de decolar. Na madrugada desta sexta-feira, bombeiros encontraram os destroços do avião na mata do Pico da Serra Bonita, em Boa Esperança, distrito de Rio Bonito, na Região Metropolitana. Os 17 passageiros e dois tripulantes morreram carbonizados no momento da explosão. No início da tarde deste sábado, todos corpos já haviam sido resgatados.

O secretário de Estado de Defesa Civil, coronel Carlos Alberto de Carvalho, informou que chovia no momento em que o avião se chocou contra a montanha e havia forte neblina na região. "A suposição é de que ele estivesse tentando seguir para o litoral para fazer um vôo visual, em vez de passar por cima da tempestade", informou. Na manhã deste sábado, peritos do DAC recolheram duas caixas-pretas da aeronave – uma com os diálogos entre piloto e co-piloto e os contatos com a torre de comunicação e outra com os últimos registros dos instrumentos do turboélice. O laudo da perícia fica pronto em 30 dias.

Daniel Pereira dos Santos, que tem uma fazenda próxima ao local do acidente, viu o momento em que ocorreu o choque. "O avião seguia firme, não parecia que estava caindo. De repente, ultrapassou a neblina e eu só ouvi um estrondo forte. Tive vontade de gritar, mas não podia fazer mais nada. Foi a coisa mais estranha que me aconteceu", disse, emocionado. Ele e outros moradores ligaram para os números de emergência, pedindo socorro.

Equipes de três quartéis do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil passaram a noite e a madrugada fazendo buscas pela mata. Participaram da operação 120 homens. Guiados por dois moradores da região, eles tiveram de percorrer uma trilha por cerca de 4 horas até chegar ao local do acidente. O turboélice estava destroçado, pedaços do avião espalhados na mata.

Os 19 corpos foram localizados, mas a identificação das vítimas vai ser difícil. "Os corpos estão muito carbonizados, mutilados, espostejados (destroçados). Seis estão em condições razoáveis e, se as arcadas dentárias estiverem inteiras, o reconhecimento será mais fácil. Os demais só poderão ser identificados após exames de DNA", informou o diretor do Instituto Médico Legal, Roger Ancillotti. Os pertences das vítimas – como alianças , anéis e cordões – foram recolhidos para ajudar na identificação. Os corpos foram levados nesta sábado mesmo para o IML (Instituto Médico Legal) do Rio de Janeiro.

Os corpos das vítimas tiveram de ser içados a fim de que fossem transportados de helicóptero até a área de resgate, onde rabecões aguardavam para fazer o traslado do corpo para o Rio de Janeiro. Dois helicópteros da Defesa Civil e um da Força Aérea Brasileira foram usados no trabalho. O primeiro corpo chegou a Boa Esperança às 11h30 e houve breve interrupção nos resgates por causa do mau tempo.

No vôo desta sexta-feira, viajavam quatro passageiros da Petrobrás, cinco da construtora Hochtief do Brasil, responsável por uma obra no Parque de Tubos da estatal em Macaé, e um da Accenture, empresa de consultoria que também trabalha para a Petrobrás. Não foi possível identificar as empresas em que trabalhavam as demais vítimas.

  

Mortos – A lista completa dos mortos no acidente é a seguinte: Michael Peter Hutten (piloto), Alvaruz Jaime Eloir (co-piloto), Bartolomeu Antunes, Benedito Paladine, Cristian Mangoni, Henrique Carvalho, Hugo Correa, Jaques Berne, Jorge Costa, Leila Abril, Marcelo Oliveira, Márcia Pereira, Marco Galasso, Marco Lattani, Marven Souza, Mauro Neves, Milton Souza, Ribamar Cassemiro e Tahis Santos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Avião cai no Rio e mata 19 pessoas


02/04/2006 | 08:44


Dezenove pessoas morreram no acidente com o avião turboélice LAT-410 da Team Empresa Aérea, que fazia a rota Macaé-Rio de Janeiro. A aeronave desapareceu dos radares do Departamento de Aviação Civil às 17h40 de sexta-feira, 20 minutos depois de decolar. Na madrugada desta sexta-feira, bombeiros encontraram os destroços do avião na mata do Pico da Serra Bonita, em Boa Esperança, distrito de Rio Bonito, na Região Metropolitana. Os 17 passageiros e dois tripulantes morreram carbonizados no momento da explosão. No início da tarde deste sábado, todos corpos já haviam sido resgatados.

O secretário de Estado de Defesa Civil, coronel Carlos Alberto de Carvalho, informou que chovia no momento em que o avião se chocou contra a montanha e havia forte neblina na região. "A suposição é de que ele estivesse tentando seguir para o litoral para fazer um vôo visual, em vez de passar por cima da tempestade", informou. Na manhã deste sábado, peritos do DAC recolheram duas caixas-pretas da aeronave – uma com os diálogos entre piloto e co-piloto e os contatos com a torre de comunicação e outra com os últimos registros dos instrumentos do turboélice. O laudo da perícia fica pronto em 30 dias.

Daniel Pereira dos Santos, que tem uma fazenda próxima ao local do acidente, viu o momento em que ocorreu o choque. "O avião seguia firme, não parecia que estava caindo. De repente, ultrapassou a neblina e eu só ouvi um estrondo forte. Tive vontade de gritar, mas não podia fazer mais nada. Foi a coisa mais estranha que me aconteceu", disse, emocionado. Ele e outros moradores ligaram para os números de emergência, pedindo socorro.

Equipes de três quartéis do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil passaram a noite e a madrugada fazendo buscas pela mata. Participaram da operação 120 homens. Guiados por dois moradores da região, eles tiveram de percorrer uma trilha por cerca de 4 horas até chegar ao local do acidente. O turboélice estava destroçado, pedaços do avião espalhados na mata.

Os 19 corpos foram localizados, mas a identificação das vítimas vai ser difícil. "Os corpos estão muito carbonizados, mutilados, espostejados (destroçados). Seis estão em condições razoáveis e, se as arcadas dentárias estiverem inteiras, o reconhecimento será mais fácil. Os demais só poderão ser identificados após exames de DNA", informou o diretor do Instituto Médico Legal, Roger Ancillotti. Os pertences das vítimas – como alianças , anéis e cordões – foram recolhidos para ajudar na identificação. Os corpos foram levados nesta sábado mesmo para o IML (Instituto Médico Legal) do Rio de Janeiro.

Os corpos das vítimas tiveram de ser içados a fim de que fossem transportados de helicóptero até a área de resgate, onde rabecões aguardavam para fazer o traslado do corpo para o Rio de Janeiro. Dois helicópteros da Defesa Civil e um da Força Aérea Brasileira foram usados no trabalho. O primeiro corpo chegou a Boa Esperança às 11h30 e houve breve interrupção nos resgates por causa do mau tempo.

No vôo desta sexta-feira, viajavam quatro passageiros da Petrobrás, cinco da construtora Hochtief do Brasil, responsável por uma obra no Parque de Tubos da estatal em Macaé, e um da Accenture, empresa de consultoria que também trabalha para a Petrobrás. Não foi possível identificar as empresas em que trabalhavam as demais vítimas.

  

Mortos – A lista completa dos mortos no acidente é a seguinte: Michael Peter Hutten (piloto), Alvaruz Jaime Eloir (co-piloto), Bartolomeu Antunes, Benedito Paladine, Cristian Mangoni, Henrique Carvalho, Hugo Correa, Jaques Berne, Jorge Costa, Leila Abril, Marcelo Oliveira, Márcia Pereira, Marco Galasso, Marco Lattani, Marven Souza, Mauro Neves, Milton Souza, Ribamar Cassemiro e Tahis Santos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;