Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Número de abortos sobe em Portugal


Da AFP

08/02/2007 | 17:51


Em 2005, 18.000 mulheres fizeram abortos ilegais em Portugal que, no próximo domingo, realizará um novo referendo sobre a descriminação da interrupção voluntária da gravidez ou IVE.

Segundo um estudo da Associação para o Planejamento Familiar, 350.000 portuguesas abortaram uma vez na vida.

A seguir, outros dados sobre o aborto em Portugal:

- trinta mulheres foram julgadas e 14 condenadas a penas de prisão por terem abortado desde 1998, data de um primeiro referendo que resultou no repúdio à descriminação;

- cerca de mil interrupções voluntárias da gravidez são praticadas, em média, todos os anos nos hospitais públicos, segundo números do Ministério da Saúde;

- A IVE só é autorizada em Portugal em caso de risco de vida para a mãe, ou em certos prazos, devido a riscos para sua saúde física ou psíquica, má-formação congênita do feto ou violências sexuais;

Segundo um estudo da APF, 64,1% das mulheres que abortaram em 2005 o fizeram sem cuidados médicos, 39,4% em casa e 32,2% em clínicas privadas.

- 72,5% foram informadas sobre práticas abortivas por amigas e 22,7% por um profissional da saúde. Destas, 46,1% não usavam métodos anticoncepcionais;

- mais da metade destas mulheres tinha entre 17 e 24 anos e 25% tomaram sozinhas a decisão, considerada por 40,8% como "extremamente difícil";

- interrogadas sobre o método utilizado, 35% declararam ter se submetido a curetagem, 25% com ingestão de comprimidos e 23% por aspiração. Dezesseis por cento disseram que "não sabiam" qual método foi empregado;

- resultados do referendo anterior de 28 de junho de 1998:

Não: 50,07%

Sim: 48,28%

Abstenção: 68,11%;

- 8,4 milhões de eleitores (de uma população de 10,5 milhões de habitantes) estão inscritos nas listas eleitorais e foram convocados a votar no domingo.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Número de abortos sobe em Portugal

Da AFP

08/02/2007 | 17:51


Em 2005, 18.000 mulheres fizeram abortos ilegais em Portugal que, no próximo domingo, realizará um novo referendo sobre a descriminação da interrupção voluntária da gravidez ou IVE.

Segundo um estudo da Associação para o Planejamento Familiar, 350.000 portuguesas abortaram uma vez na vida.

A seguir, outros dados sobre o aborto em Portugal:

- trinta mulheres foram julgadas e 14 condenadas a penas de prisão por terem abortado desde 1998, data de um primeiro referendo que resultou no repúdio à descriminação;

- cerca de mil interrupções voluntárias da gravidez são praticadas, em média, todos os anos nos hospitais públicos, segundo números do Ministério da Saúde;

- A IVE só é autorizada em Portugal em caso de risco de vida para a mãe, ou em certos prazos, devido a riscos para sua saúde física ou psíquica, má-formação congênita do feto ou violências sexuais;

Segundo um estudo da APF, 64,1% das mulheres que abortaram em 2005 o fizeram sem cuidados médicos, 39,4% em casa e 32,2% em clínicas privadas.

- 72,5% foram informadas sobre práticas abortivas por amigas e 22,7% por um profissional da saúde. Destas, 46,1% não usavam métodos anticoncepcionais;

- mais da metade destas mulheres tinha entre 17 e 24 anos e 25% tomaram sozinhas a decisão, considerada por 40,8% como "extremamente difícil";

- interrogadas sobre o método utilizado, 35% declararam ter se submetido a curetagem, 25% com ingestão de comprimidos e 23% por aspiração. Dezesseis por cento disseram que "não sabiam" qual método foi empregado;

- resultados do referendo anterior de 28 de junho de 1998:

Não: 50,07%

Sim: 48,28%

Abstenção: 68,11%;

- 8,4 milhões de eleitores (de uma população de 10,5 milhões de habitantes) estão inscritos nas listas eleitorais e foram convocados a votar no domingo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;