Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Famílias paulistanas ficam mais endividadas em novembro



19/11/2009 | 07:00


O nível de endividamento das famílias paulistanas registrou forte alta em novembro, revertendo tendência de queda iniciada em julho. Isso é o que aponta a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), apurada mensalmente pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo).

A taxa de endividamento cresceu cinco pontos percentuais, passando dos 41% observados em outubro para 46%. Em valores absolutos, a pesquisa mostra que o total de famílias que têm algum tipo de dívida avançou de 1,471 milhão para 1,656 milhão.

Em contrapartida, na comparação com novembro de 2008, o nível apresentou baixa de três pontos percentuais, de 49% para 46%.

Na avaliação da entidade, o salto no número de endividados é reflexo dos sinais de arrefecimento da recessão mundial no País. O reaquecimento da economia levou os consumidores a contrair mais empréstimos, respondendo a uma demanda reprimida pela crise.

"A atividade econômica, o mercado de trabalho e os indicadores de renda mostram evolução favorável, contribuindo para a elevação do consumo e do endividamento, que tendem a continuar crescendo a taxas mais expressivas com a aproximação das festas de fim de ano", explicou a economista da entidade, Adelaide Reis.

Ela destacou ainda que o consumidor está mais seguro e confiante sobre os rumos da economia brasileira, revelando alta intenção de consumo. "Tudo indica que este será o Natal das compras a crédito", observou.

Apesar da alta no endividamento, o balanço da Fecomercio-SP apontou estabilidade na inadimplência e, de acordo com a entidade, o nível observado nos dois últimos meses está entre os mais baixos desde o início da série histórica da pesquisa, iniciada em 2004.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Famílias paulistanas ficam mais endividadas em novembro


19/11/2009 | 07:00


O nível de endividamento das famílias paulistanas registrou forte alta em novembro, revertendo tendência de queda iniciada em julho. Isso é o que aponta a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), apurada mensalmente pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo).

A taxa de endividamento cresceu cinco pontos percentuais, passando dos 41% observados em outubro para 46%. Em valores absolutos, a pesquisa mostra que o total de famílias que têm algum tipo de dívida avançou de 1,471 milhão para 1,656 milhão.

Em contrapartida, na comparação com novembro de 2008, o nível apresentou baixa de três pontos percentuais, de 49% para 46%.

Na avaliação da entidade, o salto no número de endividados é reflexo dos sinais de arrefecimento da recessão mundial no País. O reaquecimento da economia levou os consumidores a contrair mais empréstimos, respondendo a uma demanda reprimida pela crise.

"A atividade econômica, o mercado de trabalho e os indicadores de renda mostram evolução favorável, contribuindo para a elevação do consumo e do endividamento, que tendem a continuar crescendo a taxas mais expressivas com a aproximação das festas de fim de ano", explicou a economista da entidade, Adelaide Reis.

Ela destacou ainda que o consumidor está mais seguro e confiante sobre os rumos da economia brasileira, revelando alta intenção de consumo. "Tudo indica que este será o Natal das compras a crédito", observou.

Apesar da alta no endividamento, o balanço da Fecomercio-SP apontou estabilidade na inadimplência e, de acordo com a entidade, o nível observado nos dois últimos meses está entre os mais baixos desde o início da série histórica da pesquisa, iniciada em 2004.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;