Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Confirmada morte por dengue hemorrágica no MT


Do Diário do Grande ABC

26/03/2000 | 16:39


A Secretaria de Estado de Saúde confirmou neste domingo a primeira morte causada por dengue hemorrágica em Mato Grosso. A vítima é uma professora de Barra do Garças, leste do Estado, a 500 quilômetros de Cuiabá, divisa de Goiás. Foi o primeiro diagnóstico positivo desde 1998 no Estado.

A professora - o nome nao foi revelado -, morreu em fevereiro, depois de apresentar os sintomas da doença, mas somente hoje a secretaria resolveu divulgar a causa do óbito. Outras duas pessoas do município também apresentaram sintomas semelhantes ao da professora, porém os exames nao deram positivo para nenhuma doença.

"Felizmente e infelizmente nao houve resultado positivo para nada: felizmente porque sabemos que nao é nenhuma dessas doenças e infelizmente porque ficamos sem diagnóstico", lamentou Euze Carvalho, coordenador da Vigilância Epidemiológica de Mato Grosso.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Confirmada morte por dengue hemorrágica no MT

Do Diário do Grande ABC

26/03/2000 | 16:39


A Secretaria de Estado de Saúde confirmou neste domingo a primeira morte causada por dengue hemorrágica em Mato Grosso. A vítima é uma professora de Barra do Garças, leste do Estado, a 500 quilômetros de Cuiabá, divisa de Goiás. Foi o primeiro diagnóstico positivo desde 1998 no Estado.

A professora - o nome nao foi revelado -, morreu em fevereiro, depois de apresentar os sintomas da doença, mas somente hoje a secretaria resolveu divulgar a causa do óbito. Outras duas pessoas do município também apresentaram sintomas semelhantes ao da professora, porém os exames nao deram positivo para nenhuma doença.

"Felizmente e infelizmente nao houve resultado positivo para nada: felizmente porque sabemos que nao é nenhuma dessas doenças e infelizmente porque ficamos sem diagnóstico", lamentou Euze Carvalho, coordenador da Vigilância Epidemiológica de Mato Grosso.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;