Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Governo de Goiás suspende leilão da Celg


Do Diário OnLine

20/11/2001 | 00:03


O governo de Goiás suspendeu nesta segunda-feira o leilão da Companhia Energética do Estado (Celg), que estava marcado para o dia 22, na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. O motivo da suspensão da venda é uma liminar confirmada pelo presidente do Tribunal Regional Federal de Brasília, Tourinho Neto, que impede o leilão.

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Goiás, que tenta impedir a operação, alega que há irregularidades no edital do leilão.

O governo de Goiás é dono de 100% do controle da Celg e pretende vender o ativo pelo preço mínimo de R$ 1,4 bilhão. Três empresas se interessaram pela compra da estatal, mas apenas uma delas se dispõe a adquirir a empresa. A americana AES e o grupo PSEG desistiram do leilão culpando as indefinições regulatórias do setor elétrico no Brasil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governo de Goiás suspende leilão da Celg

Do Diário OnLine

20/11/2001 | 00:03


O governo de Goiás suspendeu nesta segunda-feira o leilão da Companhia Energética do Estado (Celg), que estava marcado para o dia 22, na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. O motivo da suspensão da venda é uma liminar confirmada pelo presidente do Tribunal Regional Federal de Brasília, Tourinho Neto, que impede o leilão.

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Goiás, que tenta impedir a operação, alega que há irregularidades no edital do leilão.

O governo de Goiás é dono de 100% do controle da Celg e pretende vender o ativo pelo preço mínimo de R$ 1,4 bilhão. Três empresas se interessaram pela compra da estatal, mas apenas uma delas se dispõe a adquirir a empresa. A americana AES e o grupo PSEG desistiram do leilão culpando as indefinições regulatórias do setor elétrico no Brasil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;