Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Tudo vira arte

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Exposição ‘Mutações’ leva a São Caetano reflexão por meio de obras de nove artistas


Daniela Pegoraro

25/07/2018 | 07:00


 Esculturas, instalações artísticas, fotografias, pinturas e aquarelas. Das mais variadas formas e materiais para se fazer arte foi criada a exposição Mutações, que será apresentada ao público de São Caetano, na Pinacoteca Municipal da Fundação Pró-Memória. A mostra exibe obras de nove artistas que utilizam técnicas diversas, e terá abertura amanhã, às 19h30, seguindo disponível gratuitamente para visitação até 11 de setembro.

O objetivo principal das exposições da Pinacoteca, de acordo com a curadora Nair Duarte, é o de sempre oferecer repertório ao público que passa por ali, despertar curiosidade e desmistificar o senso comum de que arte é para poucos. “O principal é trazer uma linguagem acadêmica e contemporânea. Nos preocupamos na formação de público, buscando aquelas pessoas que não eram acostumadas a visitar museus”, explica a curadora. Ela ainda acrescenta que o nome Mutações representa a transformação de diferentes materiais em obras artísticas.

Observando as 14 esculturas expostas de Álvaro Franklin é possível ter ideia dessa diversificação. Mármore, granito e pedras especiais são os seus elementos preferidos para esculpir, mas na exposição ainda utilizou bronze. A maior parte das obras que serão exibidas na Pinacoteca foi criada exclusivamente para a mostra. Foram cerca de sete meses as preparando. “Todas as minhas esculturas estão relacionadas com a natureza. São peças sérias, mas simples, pelas quais tento sensibilizar as pessoas”, conta o artista em entrevista ao Diário. Para ele, o principal em Mutações é conseguir levar a arte para toda a população. “O País precisa ver as obras que são produzidas, enxergar os artistas que existem aqui”, comenta.

Para além do tradicional, Antônio Valentim Lino traz ao espaço duas mini-instalações. Instalação artística é, a grosso modo, uma manifestação onde a obra se compõe por elementos organizados e distribuídos em um ambiente, como uma ‘cena’. Toda obra de Lino carrega a temática da religiosidade. “Cresci em Aparecida, no Interior de São Paulo. Faço meu trabalho voltado a tudo aquilo que vi e vivenciei na cidade”, conta o artista. Quanto à exposição, tem suas expectativas com o públicos: “A obra sempre quer dizer alguma coisa. As pessoas precisam parar, prestar atenção, analisar o trabalho, o material com que foi feito. Podemos gostar ou não, mas temos de refletir”.

Além de Franklin e Lino, também foram convidados para o projeto Edilaine Brum, Gladys Maldaun, Yasushi Kojima, Leonor Décourt, Marcia Kikuchi, Sheila Kracoshansky e Nario Barbosa, fotógrafo do Diário. A exposição faz parte da programação de aniversário de 141 anos de São Caetano, cujo dia é no sábado.

Mutações – Exposição. Na Pinacoteca Municipal – Av. Dr. Augusto de Toledo, 255, em São Caetano. A partir de amanhã até 11 de setembro. De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e sábado, das 9h às 13h. Entrada franca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tudo vira arte

Exposição ‘Mutações’ leva a São Caetano reflexão por meio de obras de nove artistas

Daniela Pegoraro

25/07/2018 | 07:00


 Esculturas, instalações artísticas, fotografias, pinturas e aquarelas. Das mais variadas formas e materiais para se fazer arte foi criada a exposição Mutações, que será apresentada ao público de São Caetano, na Pinacoteca Municipal da Fundação Pró-Memória. A mostra exibe obras de nove artistas que utilizam técnicas diversas, e terá abertura amanhã, às 19h30, seguindo disponível gratuitamente para visitação até 11 de setembro.

O objetivo principal das exposições da Pinacoteca, de acordo com a curadora Nair Duarte, é o de sempre oferecer repertório ao público que passa por ali, despertar curiosidade e desmistificar o senso comum de que arte é para poucos. “O principal é trazer uma linguagem acadêmica e contemporânea. Nos preocupamos na formação de público, buscando aquelas pessoas que não eram acostumadas a visitar museus”, explica a curadora. Ela ainda acrescenta que o nome Mutações representa a transformação de diferentes materiais em obras artísticas.

Observando as 14 esculturas expostas de Álvaro Franklin é possível ter ideia dessa diversificação. Mármore, granito e pedras especiais são os seus elementos preferidos para esculpir, mas na exposição ainda utilizou bronze. A maior parte das obras que serão exibidas na Pinacoteca foi criada exclusivamente para a mostra. Foram cerca de sete meses as preparando. “Todas as minhas esculturas estão relacionadas com a natureza. São peças sérias, mas simples, pelas quais tento sensibilizar as pessoas”, conta o artista em entrevista ao Diário. Para ele, o principal em Mutações é conseguir levar a arte para toda a população. “O País precisa ver as obras que são produzidas, enxergar os artistas que existem aqui”, comenta.

Para além do tradicional, Antônio Valentim Lino traz ao espaço duas mini-instalações. Instalação artística é, a grosso modo, uma manifestação onde a obra se compõe por elementos organizados e distribuídos em um ambiente, como uma ‘cena’. Toda obra de Lino carrega a temática da religiosidade. “Cresci em Aparecida, no Interior de São Paulo. Faço meu trabalho voltado a tudo aquilo que vi e vivenciei na cidade”, conta o artista. Quanto à exposição, tem suas expectativas com o públicos: “A obra sempre quer dizer alguma coisa. As pessoas precisam parar, prestar atenção, analisar o trabalho, o material com que foi feito. Podemos gostar ou não, mas temos de refletir”.

Além de Franklin e Lino, também foram convidados para o projeto Edilaine Brum, Gladys Maldaun, Yasushi Kojima, Leonor Décourt, Marcia Kikuchi, Sheila Kracoshansky e Nario Barbosa, fotógrafo do Diário. A exposição faz parte da programação de aniversário de 141 anos de São Caetano, cujo dia é no sábado.

Mutações – Exposição. Na Pinacoteca Municipal – Av. Dr. Augusto de Toledo, 255, em São Caetano. A partir de amanhã até 11 de setembro. De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e sábado, das 9h às 13h. Entrada franca.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;