Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

S.Caetano e Mauá passam a contar com Detecta a partir de novembro

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Tecnologia, que cruza imagens de trânsito com dados da polícia, existe apenas em Santo André


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

22/10/2017 | 07:00


 Implantado pelo governo do Estado em 2014, o Sistema Detecta ganhou mais duas adesões no Grande ABC. Depois de Santo André, que passou a contar com a tecnologia que permite envio de alertas a viaturas da polícia quando localizados carros roubados ou furtados, em fevereiro, São Caetano e Mauá também firmaram parceria com a SSP (Secretaria de Segurança Pública) para a instalação do software que realiza cruzamento de informações a partir de câmeras de trânsito com o banco de dados da polícia. A expectativa é a de que a ferramenta esteja em vigor nas duas cidades a partir de novembro.

Em São Caetano, serão 68 câmeras integradas ao projeto. Conforme o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), serão monitorados 12 pontos nas áreas de entradas e saídas da cidade. Já a secretária de Segurança do município Elaine Maria Biasoli, destaca que a medida não trará custos para a Pasta, já que as câmeras utilizadas no programa já estão instaladas. “Os locais (escolhidos) são os pontos críticos da cidade, principalmente as entradas, como a Avenida Guido Aliberti. É um local onde já temos uma preocupação, onde fazemos ronda semanalmente e bloqueios.”

O intuito, de acordo com a secretária, é expandir o projeto com a instalação de mais câmeras na cidade. O processo, no entanto, só deverá ocorrer após a entrega da reforma do centro de gerenciamento, prevista para ocorrer em novembro. Com investimento de R$ 122 mil, o espaço concentra todos os serviços de emergência de São Caetano, como Defesa Civil, Saúde, Mobilidade e Serviços Urbanos. Futuramente, a ideia é que a central também integre equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. “Todos os serviços municipais de emergência estarão interligados. Junto ao Detecta, isso só resultará em benefícios para a população”, diz Elaine. Além disso, destaca ela, a Prefeitura retomou o número de telefone 156 para serviços integrados na cidade.

MAUÁ

Mauá pretende espalhar 18 câmeras de monitoramento, todas interligadas com a tecnologia estadual, pelo seu território até o fim do mês. De acordo com o secretário de Segurança Pública e Defesa Civil do município, Paulo Barthasar Júnior, o intuito é, em segunda etapa, compartilhar as imagens obtidas também com a GCM (Guarda Civil Municipal). no entanto, não foram detalhados prazos.

“Quando você une as forças de segurança, quem acaba ganhando é a população. Vamos avaliar se os equipamentos precisam ser remanejados ou não. O que é bastante interessante em termos de estratégia é poder verificar quais são os caminhos para entrar na cidade com estes carros, onde os roubos estão sendo efetuados e quais as rotas para saída”, afirmou.

SANTO ANDRÉ

Em Santo André, são 37 câmeras com a tecnologia do Detecta. De acordo com a Prefeitura, o número representa 19 pontos monitorados. A SSP revelou que pretende ampliar o número de equipamentos na cidade, mas não forneceu detalhes. "O aumento desse número, ou a sua diminuição, também é uma prerrogativa da Prefeitura, pois é dela o investimento. Na área do CPA/M6 (Comando de Policiamento de Área Metropolitana Seis), em dois meses de convênio, o sistema auxiliou na interceptação de 21 veículos, na prisão de 27 pessoas e na apreensão de duas armas de fogo”, informou a Pasta.

Especialista defende integração do serviço

Conforme o especialista em segurança pública e ex-secretário nacional de Segurança Pública José Vicente da Silva Filho, para que o Detecta funcione, o ideal é que ele esteja presente em todos os municípios. Isso se faz ainda mais necessário na região, onde há diversas áreas de divisa entre as sete cidades. ”É uma das tecnologias mais modernas que temos no mundo hoje, porém ela deve funcionar de forma intermunicipal”, disse.

Segundo Filho, um dos entraves para a expansão do projeto em demais cidades são as questões tecnológicas, já que os equipamentos precisam ser compatíveis com o software da SSP (Secretaria de Segurança Pública). “Até mesmo a forma que as câmeras estão instaladas pode influir nisso. Porém, é importante que os municípios deem prioridade para esta questão”, disse.

A Prefeitura de São Bernardo sinalizou que está em tratativas avançadas para incorporar o Detecta no município. A administração já recebeu vistoria técnica no CIM (Centro Integrado de Monitoramento) por integrantes da SSP. A cidade dispõe de 400 câmeras, sendo todas aptas para o projeto.

A Prefeitura de Diadema não respondeu aos questionamentos do Diário em relação ao assunto, porém a SSP sinalizou que a formalização do convênio na cidade está em trâmite.

Ribeirão Pires também afirmou estar em tratativa com o Estado para incorporar o Detecta. “Ao todo, Ribeirão Pires já possui 36 câmeras no sistema de videomonitoramento, todas compatíveis com o projeto Detecta.”

“Cumpre esclarecer que o projeto Detecta ainda não foi implantado neste município, mas encontra-se nos planos da Secretaria de Segurança Urbana, Trânsito e Defesa Civil a adesão da cidade, através da criação da Guarda Civil Municipal”, informou, por meio de nota, a Prefeitura de Rio Grande da Serra.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Caetano e Mauá passam a contar com Detecta a partir de novembro

Tecnologia, que cruza imagens de trânsito com dados da polícia, existe apenas em Santo André

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

22/10/2017 | 07:00


 Implantado pelo governo do Estado em 2014, o Sistema Detecta ganhou mais duas adesões no Grande ABC. Depois de Santo André, que passou a contar com a tecnologia que permite envio de alertas a viaturas da polícia quando localizados carros roubados ou furtados, em fevereiro, São Caetano e Mauá também firmaram parceria com a SSP (Secretaria de Segurança Pública) para a instalação do software que realiza cruzamento de informações a partir de câmeras de trânsito com o banco de dados da polícia. A expectativa é a de que a ferramenta esteja em vigor nas duas cidades a partir de novembro.

Em São Caetano, serão 68 câmeras integradas ao projeto. Conforme o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), serão monitorados 12 pontos nas áreas de entradas e saídas da cidade. Já a secretária de Segurança do município Elaine Maria Biasoli, destaca que a medida não trará custos para a Pasta, já que as câmeras utilizadas no programa já estão instaladas. “Os locais (escolhidos) são os pontos críticos da cidade, principalmente as entradas, como a Avenida Guido Aliberti. É um local onde já temos uma preocupação, onde fazemos ronda semanalmente e bloqueios.”

O intuito, de acordo com a secretária, é expandir o projeto com a instalação de mais câmeras na cidade. O processo, no entanto, só deverá ocorrer após a entrega da reforma do centro de gerenciamento, prevista para ocorrer em novembro. Com investimento de R$ 122 mil, o espaço concentra todos os serviços de emergência de São Caetano, como Defesa Civil, Saúde, Mobilidade e Serviços Urbanos. Futuramente, a ideia é que a central também integre equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. “Todos os serviços municipais de emergência estarão interligados. Junto ao Detecta, isso só resultará em benefícios para a população”, diz Elaine. Além disso, destaca ela, a Prefeitura retomou o número de telefone 156 para serviços integrados na cidade.

MAUÁ

Mauá pretende espalhar 18 câmeras de monitoramento, todas interligadas com a tecnologia estadual, pelo seu território até o fim do mês. De acordo com o secretário de Segurança Pública e Defesa Civil do município, Paulo Barthasar Júnior, o intuito é, em segunda etapa, compartilhar as imagens obtidas também com a GCM (Guarda Civil Municipal). no entanto, não foram detalhados prazos.

“Quando você une as forças de segurança, quem acaba ganhando é a população. Vamos avaliar se os equipamentos precisam ser remanejados ou não. O que é bastante interessante em termos de estratégia é poder verificar quais são os caminhos para entrar na cidade com estes carros, onde os roubos estão sendo efetuados e quais as rotas para saída”, afirmou.

SANTO ANDRÉ

Em Santo André, são 37 câmeras com a tecnologia do Detecta. De acordo com a Prefeitura, o número representa 19 pontos monitorados. A SSP revelou que pretende ampliar o número de equipamentos na cidade, mas não forneceu detalhes. "O aumento desse número, ou a sua diminuição, também é uma prerrogativa da Prefeitura, pois é dela o investimento. Na área do CPA/M6 (Comando de Policiamento de Área Metropolitana Seis), em dois meses de convênio, o sistema auxiliou na interceptação de 21 veículos, na prisão de 27 pessoas e na apreensão de duas armas de fogo”, informou a Pasta.

Especialista defende integração do serviço

Conforme o especialista em segurança pública e ex-secretário nacional de Segurança Pública José Vicente da Silva Filho, para que o Detecta funcione, o ideal é que ele esteja presente em todos os municípios. Isso se faz ainda mais necessário na região, onde há diversas áreas de divisa entre as sete cidades. ”É uma das tecnologias mais modernas que temos no mundo hoje, porém ela deve funcionar de forma intermunicipal”, disse.

Segundo Filho, um dos entraves para a expansão do projeto em demais cidades são as questões tecnológicas, já que os equipamentos precisam ser compatíveis com o software da SSP (Secretaria de Segurança Pública). “Até mesmo a forma que as câmeras estão instaladas pode influir nisso. Porém, é importante que os municípios deem prioridade para esta questão”, disse.

A Prefeitura de São Bernardo sinalizou que está em tratativas avançadas para incorporar o Detecta no município. A administração já recebeu vistoria técnica no CIM (Centro Integrado de Monitoramento) por integrantes da SSP. A cidade dispõe de 400 câmeras, sendo todas aptas para o projeto.

A Prefeitura de Diadema não respondeu aos questionamentos do Diário em relação ao assunto, porém a SSP sinalizou que a formalização do convênio na cidade está em trâmite.

Ribeirão Pires também afirmou estar em tratativa com o Estado para incorporar o Detecta. “Ao todo, Ribeirão Pires já possui 36 câmeras no sistema de videomonitoramento, todas compatíveis com o projeto Detecta.”

“Cumpre esclarecer que o projeto Detecta ainda não foi implantado neste município, mas encontra-se nos planos da Secretaria de Segurança Urbana, Trânsito e Defesa Civil a adesão da cidade, através da criação da Guarda Civil Municipal”, informou, por meio de nota, a Prefeitura de Rio Grande da Serra.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;