Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Presidente da ETCD teme paralisaçao no início do ano


Karen Camacho
Do Diário do Grande ABC

29/11/2000 | 00:05


  O presidente da ETCD (Empresa de Transporte Coletivo de Diadema), Silvio Vital, teme uma paralisaçao da empresa no início do ano que vem se o prefeito eleito José de Filippi Jr. (PT) conseguir na Justiça cancelar o concurso que prevê a contrataçao de 147 funcionários. Filippi entrou com açao na última sexta-feira e pediu a suspensao imediata do processo. Nesta terça, o presidente do PT, Mário Reali, reafirmou que o partido vai manter as açoes.

Vital explicou que as vagas que serao preenchidas por concursados estao ocupadas atualmente por funcionários contratados temporariamente. Segundo o presidente da ETCD, 80% desses contratos vencem em 15 de janeiro e os outros 20% podem ser renovados por mais cinco meses.

"Estamos trabalhando para deixar a empresa viável e em condiçoes de prestar o seu serviço, como tem de estar", disse Vital.

O concurso aberto pela ETCD prevê a contrataçao de 82 cobradores, 20 motoristas, 45 motoristas de microônibus e quatro mecânicos. O concurso foi aberto antes de iniciar a campanha eleitoral mas, devido a irregularidades constatadas nas provas, foi cancelado. As inscriçoes, que se encerram no dia 7 de dezembro, foram reabertas em 20 de novembro.

A empresa contratada para realizar as provas é a Cetro Consultoria e Administraçao S/C Ltda, a mesma que venceu a licitaçao para administrar o concurso da Prefeitura de Diadema, que prevê a contrataçao de 303 novos funcionários.

Reali disse nesta terça que o problema da ETCD nao é apenas o risco de ter a frota reduzida em fevereiro por falta de funcionários. "É falta de pneus, carros na garagem, falta de manutençao. Se os serviços forem paralisados será pelo fato de o atual prefeito nao ter aceito o processo de transiçao. Chegamos no limite. Já que nao há um canal de comunicaçao decidimos ir para a Justiça."

O atual prefeito, Gilson Menezes (PSB), nao aceitou colaborar com o processo de transiçao por acreditar que houve fraude nas eleiçoes.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Presidente da ETCD teme paralisaçao no início do ano

Karen Camacho
Do Diário do Grande ABC

29/11/2000 | 00:05


  O presidente da ETCD (Empresa de Transporte Coletivo de Diadema), Silvio Vital, teme uma paralisaçao da empresa no início do ano que vem se o prefeito eleito José de Filippi Jr. (PT) conseguir na Justiça cancelar o concurso que prevê a contrataçao de 147 funcionários. Filippi entrou com açao na última sexta-feira e pediu a suspensao imediata do processo. Nesta terça, o presidente do PT, Mário Reali, reafirmou que o partido vai manter as açoes.

Vital explicou que as vagas que serao preenchidas por concursados estao ocupadas atualmente por funcionários contratados temporariamente. Segundo o presidente da ETCD, 80% desses contratos vencem em 15 de janeiro e os outros 20% podem ser renovados por mais cinco meses.

"Estamos trabalhando para deixar a empresa viável e em condiçoes de prestar o seu serviço, como tem de estar", disse Vital.

O concurso aberto pela ETCD prevê a contrataçao de 82 cobradores, 20 motoristas, 45 motoristas de microônibus e quatro mecânicos. O concurso foi aberto antes de iniciar a campanha eleitoral mas, devido a irregularidades constatadas nas provas, foi cancelado. As inscriçoes, que se encerram no dia 7 de dezembro, foram reabertas em 20 de novembro.

A empresa contratada para realizar as provas é a Cetro Consultoria e Administraçao S/C Ltda, a mesma que venceu a licitaçao para administrar o concurso da Prefeitura de Diadema, que prevê a contrataçao de 303 novos funcionários.

Reali disse nesta terça que o problema da ETCD nao é apenas o risco de ter a frota reduzida em fevereiro por falta de funcionários. "É falta de pneus, carros na garagem, falta de manutençao. Se os serviços forem paralisados será pelo fato de o atual prefeito nao ter aceito o processo de transiçao. Chegamos no limite. Já que nao há um canal de comunicaçao decidimos ir para a Justiça."

O atual prefeito, Gilson Menezes (PSB), nao aceitou colaborar com o processo de transiçao por acreditar que houve fraude nas eleiçoes.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;