Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

dmais@dgabc.com.br | 4435-8396

Desafios para conquistar o mercado de trabalho

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pesquisa mostra o que os jovens fazem para driblar a ansiedade em processos eletivo


Tauana Marin
Diário do Grande ABC

11/10/2020 | 06:59


Conquistar uma vaga no mercado é um desafio. Muitas pessoas, especialmente aquelas com menos experiência, podem enfrentar episódios de ansiedade. E todo esse nervosismo atrapalha o momento da seleção, afetando o desempenho do candidato. Diante do cenário a pergunta que fica é: o que fazer para controlar essa tensão? Para a maioria dos jovens (40,49%, ou 11.861) estudar bastante sobre a empresa e a vaga garante um pouco mais de tranquilidade.

O levantamento foi feito pelo Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios) com 29.295 participantes, de 15 a 29 anos, entre os dias 31 de agosto e 11 de setembro, justamente para saber quais as ferramentas utilizadas pelos jovens no autocontrole da ansiedade.

Leonardo Jesuino Ribas, 17 anos, de Santo André, já sentiu o impacto do nervosismo na pele. O jovem passou por dois empregos. “No primeiro processo seletivo senti clima tenso, o que me deixou bastante nervoso e que atrapalhou meu desempenho. Mas no segundo foi bem descontraído e me senti um pouco mais confortável, com isso eu tive mais facilidade para realizar o processo.”

Para ele, quanto mais a pessoa passa por entrevista e seletivas, mais tranquila vai ficando, porque deixa de ser algo desconhecido. “No momento a ansiedade domina, mas controlar a respiração e segurar uma caneta me ajudaram a me tranquilizar.”

Ainda segundo a pesquisa, outra parcela significativa dos jovens (30,40%, ou 8.906 dos respondentes) procuram relaxar ou meditar.

Em outra perspectiva, 10,92% (ou 3.200) afirmaram que “geralmente não fico ansioso, confio no meu talento”.

Já a tática de 9,19% (ou 2.691) dos pesquisados é beber muita água. Por fim, 9% (ou 2.637) costumam ler notícias e ver vídeos com dicas.

Mesmo passando por algumas seleções e já ter trabalhado em duas empresas, a estudante universitária de farmácia Caroline Cristina Feriani, 17 anos, também de Santo André, acredita que é muito difícil, até para os mais experientes não ficarem nervosos. Por isso, o segredo é saber controlá-lo. “A forma que tenho de me acalmar é pensar no que a aprovação me proporcionaria futuramente.” Tanto para Leonardo como para Caroline, mesmo o processo seletivo sendo desafiador, o vestibular ainda provoca mais frio na barriga, já que faz parte do sonho profissional de cada um.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Desafios para conquistar o mercado de trabalho

Pesquisa mostra o que os jovens fazem para driblar a ansiedade em processos eletivo

Tauana Marin
Diário do Grande ABC

11/10/2020 | 06:59


Conquistar uma vaga no mercado é um desafio. Muitas pessoas, especialmente aquelas com menos experiência, podem enfrentar episódios de ansiedade. E todo esse nervosismo atrapalha o momento da seleção, afetando o desempenho do candidato. Diante do cenário a pergunta que fica é: o que fazer para controlar essa tensão? Para a maioria dos jovens (40,49%, ou 11.861) estudar bastante sobre a empresa e a vaga garante um pouco mais de tranquilidade.

O levantamento foi feito pelo Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios) com 29.295 participantes, de 15 a 29 anos, entre os dias 31 de agosto e 11 de setembro, justamente para saber quais as ferramentas utilizadas pelos jovens no autocontrole da ansiedade.

Leonardo Jesuino Ribas, 17 anos, de Santo André, já sentiu o impacto do nervosismo na pele. O jovem passou por dois empregos. “No primeiro processo seletivo senti clima tenso, o que me deixou bastante nervoso e que atrapalhou meu desempenho. Mas no segundo foi bem descontraído e me senti um pouco mais confortável, com isso eu tive mais facilidade para realizar o processo.”

Para ele, quanto mais a pessoa passa por entrevista e seletivas, mais tranquila vai ficando, porque deixa de ser algo desconhecido. “No momento a ansiedade domina, mas controlar a respiração e segurar uma caneta me ajudaram a me tranquilizar.”

Ainda segundo a pesquisa, outra parcela significativa dos jovens (30,40%, ou 8.906 dos respondentes) procuram relaxar ou meditar.

Em outra perspectiva, 10,92% (ou 3.200) afirmaram que “geralmente não fico ansioso, confio no meu talento”.

Já a tática de 9,19% (ou 2.691) dos pesquisados é beber muita água. Por fim, 9% (ou 2.637) costumam ler notícias e ver vídeos com dicas.

Mesmo passando por algumas seleções e já ter trabalhado em duas empresas, a estudante universitária de farmácia Caroline Cristina Feriani, 17 anos, também de Santo André, acredita que é muito difícil, até para os mais experientes não ficarem nervosos. Por isso, o segredo é saber controlá-lo. “A forma que tenho de me acalmar é pensar no que a aprovação me proporcionaria futuramente.” Tanto para Leonardo como para Caroline, mesmo o processo seletivo sendo desafiador, o vestibular ainda provoca mais frio na barriga, já que faz parte do sonho profissional de cada um.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;