Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Maricá, no Rio, usa royalty do pré-sal para financiar empregos na crise

Tania Regô/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


28/05/2020 | 14:02


Líder na arrecadação de royalties do petróleo, o município de Maricá, no Rio de Janeiro, está usando a poupança acumulada com a compensação financeira para sustentar empregos em micro e pequenas empresas neste período de crise. Um grupo de mais de 8,5 mil delas vai receber R$ 30 milhões no total para garantir o pagamento de um salário mínimo (R$ 1.045), por três meses, aos seus funcionários em isolamento social.

Como contrapartida, as empresas garantem que vão manter os empregos. A distribuição do dinheiro do royalty faz parte do Programa de Amparo ao Emprego (PAE), criado exclusivamente para a fase atual.

"Poupamos os recursos e otimizamos investimentos. Construímos uma política de geração de emprego e renda, apoiamos a economia local e fortalecemos os empregos em nossa cidade. Os dados mostram que Maricá está reagindo diferentemente nessa crise", destacou o prefeito, Fabiano Horta.

A 50 km da capital fluminense, Maricá é o município que mais se beneficia com o crescimento do pré-sal. O supercampo de Lula, principal produtor do País, está localizado no litoral da cidade.

A projeção de arrecadação de royalty pela prefeitura neste ano é de R$ 563 mil, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maricá, no Rio, usa royalty do pré-sal para financiar empregos na crise


28/05/2020 | 14:02


Líder na arrecadação de royalties do petróleo, o município de Maricá, no Rio de Janeiro, está usando a poupança acumulada com a compensação financeira para sustentar empregos em micro e pequenas empresas neste período de crise. Um grupo de mais de 8,5 mil delas vai receber R$ 30 milhões no total para garantir o pagamento de um salário mínimo (R$ 1.045), por três meses, aos seus funcionários em isolamento social.

Como contrapartida, as empresas garantem que vão manter os empregos. A distribuição do dinheiro do royalty faz parte do Programa de Amparo ao Emprego (PAE), criado exclusivamente para a fase atual.

"Poupamos os recursos e otimizamos investimentos. Construímos uma política de geração de emprego e renda, apoiamos a economia local e fortalecemos os empregos em nossa cidade. Os dados mostram que Maricá está reagindo diferentemente nessa crise", destacou o prefeito, Fabiano Horta.

A 50 km da capital fluminense, Maricá é o município que mais se beneficia com o crescimento do pré-sal. O supercampo de Lula, principal produtor do País, está localizado no litoral da cidade.

A projeção de arrecadação de royalty pela prefeitura neste ano é de R$ 563 mil, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;