Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Para Michels, salário atrapalha composição do secretariado


Bruno Coelho
Do Diário do Grande ABC

23/11/2012 | 06:57


 

O prefeito eleito de Diadema, Lauro Michels (PV), afirma ter dificuldades de compor o primeiro escalão em decorrência do "baixo salário" pago aos secretários no município.

A remuneração do secretariado de Diadema é de R$ 9.069,15. O valor bruto é superior em relação aos pagamentos ao primeiro escalão de Mauá, registrados em R$ 7.430,44. Contudo, o secretário diademense ganha menos que os responsáveis pelas Pastas de Santo André (R$ 11.952,86 mensais) e São Bernardo (R$ 16.991,96).

Outro empecilho apontado pelo verde é a concorrência com empresas privadas, onde a gratificação financeira é mais vantajosa. "Uma pessoa que tem currículo ou trabalha em uma multinacional não sairá desse emprego para ser secretário em Diadema", reclamou.

Apesar disso, Michels descarta a hipótese de trabalhar com reajuste salarial para o seu secretariado. "Não falarei de aumento de gastos se neste momento trabalho para contenção de despesas."

Embora negue, o primeiro escalão de Michels, que será anunciado oficialmente até o dia 21, tende a ser composto por, entre outros, Francisco José Rocha (Finanças), Fernando Moreira Machado (Assuntos Jurídicos), David Schimidt (Segurança), os vereadores eleitos Marcos Michels (PV - Governo) e José Augusto (PSDB - Obras), além da candidata derrotada à Prefeitura Maritide Cristóvão (PSDB - Saúde).

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Para Michels, salário atrapalha composição do secretariado

Bruno Coelho
Do Diário do Grande ABC

23/11/2012 | 06:57


 

O prefeito eleito de Diadema, Lauro Michels (PV), afirma ter dificuldades de compor o primeiro escalão em decorrência do "baixo salário" pago aos secretários no município.

A remuneração do secretariado de Diadema é de R$ 9.069,15. O valor bruto é superior em relação aos pagamentos ao primeiro escalão de Mauá, registrados em R$ 7.430,44. Contudo, o secretário diademense ganha menos que os responsáveis pelas Pastas de Santo André (R$ 11.952,86 mensais) e São Bernardo (R$ 16.991,96).

Outro empecilho apontado pelo verde é a concorrência com empresas privadas, onde a gratificação financeira é mais vantajosa. "Uma pessoa que tem currículo ou trabalha em uma multinacional não sairá desse emprego para ser secretário em Diadema", reclamou.

Apesar disso, Michels descarta a hipótese de trabalhar com reajuste salarial para o seu secretariado. "Não falarei de aumento de gastos se neste momento trabalho para contenção de despesas."

Embora negue, o primeiro escalão de Michels, que será anunciado oficialmente até o dia 21, tende a ser composto por, entre outros, Francisco José Rocha (Finanças), Fernando Moreira Machado (Assuntos Jurídicos), David Schimidt (Segurança), os vereadores eleitos Marcos Michels (PV - Governo) e José Augusto (PSDB - Obras), além da candidata derrotada à Prefeitura Maritide Cristóvão (PSDB - Saúde).

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;