Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Diário lança série em homenagens às mães do Grande ABC

Reportagens vão contar, até domingo, histórias, dores e alegrias da maternidade


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

02/05/2021 | 07:00


 O Diário publica a partir de amanhã a série Mãe Nossa de Cada Dia. Até domingo, dia 9, Dia das Mães, o jornal mostra histórias de mulheres normais, que são profissionais, amigas, esposas, namoradas, mas que, acima de tudo, com todo amor e dedicação do mundo, são mães. Não são super-heroínas. Muitas também rejeitam o rótulo de guerreiras. Preferem a palavra sobrecarregada. Falam dos desafios, sonhos e medos que cultivam com relação aos filhos.

Rotinas de mães que lidam com os desafios de ter filhos com alguma necessidade especial; mães de pessoas LGBT+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, entre outras identidades e expressões de sexualidade e gênero), que lutam contra o preconceito em apoio às suas crias; mães que viram a sua experiência na maternidade mudar suas vidas e seus rumos profissionais. Que sonham com a liberdade dos filhos. Mães de todo dia.

Ao publicar a série, o Diário lembra a necessidade de cada mãe – e cada mulher – praticar o autocuidado e se livrar da culpa materna. Mestre em psicologia positiva, Adriana Drulla é autora do estudo Transmissão Intergeracional da Autocompaixão e apontou que o problema da culpa materna é a forma como ela é prevalente e crônica. “Sabemos que a culpa acontece para motivar uma maior coerência entre nossas ações, expectativas e valores. Mas, no caso da culpa materna, as expectativas são inatingíveis e os valores incoerentes, logo, é impossível se adequar”, citou.

Adriana lembra a importância de se praticar a autocompaixão. “Isso envolve a capacidade de fornecer suporte emocional a si mesmo, enfrentando desafios e adversidades com maior perspectiva e com a compreensão de que as dificuldades são comuns a todas as pessoas”, explicou. “Significa olharmos para as dificuldades com realismo e não com lentes de aumento. É sobre adotar uma postura gentil com relação a si mesma, dando para si o que você precisa em um momento difícil, seja um banho demorado, seja pedir ajuda para alguém porque você precisa relaxar”, concluiu a especialista.

Para ler todas as matérias da série clique aqui.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;