Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Palmeiras perde para Defensa Y Justicia no tempo normal e nos pênaltis



15/04/2021 | 00:41


A disputa de três jogos importantes logo após o período de folgas de dez dias para o elenco, após a conquista da Tríplice Coroa na temporada passada, custou caro ao Palmeiras. Após jogar bem e perder no pênaltis a Supercopa do Brasil para o Flamengo no domingo, nesta quarta-feira, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, o time sentiu demais o cansaço, perdeu por 2 a 1 para o Defensa y Justicia no tempo normal e por 4 a 3 nas penalidades. O time argentino sagrou-se campeão da Recopa sul-americana.

Para piorar, o Palmeiras tem uma série de jogos atrasados pelo Paulistão. Nesta sexta, o time recebe o São Paulo e no domingo viaja até Ribeirão Preto para encarar o Botafogo.

Em Brasília, o começo do jogo foi como se esperava, com o Defensa y Justicia pressionando. A primeira chance de gol surgiu aos 14 minutos. Benítez arriscou de fora da área e Weverton tentou encaixar a bola, mas deu rebote, que sobrou nos pés de Pizzini. O meia bateu de primeira, mas chutou para fora.

Aos 18, foi a vez do Palmeiras ir para o ataque. Raphael Veiga achou Rony livre na área. Na hora do chute, ele foi travado com um carrinho desproporcional de Meza, já dentro da área.

O árbitro uruguaio Leodán Gonzalez só marcou o pênalti após intervenção do VAR (árbitro de vídeo). Veiga bateu firme no canto direito de Unsain e abriu o placar para o Palmeiras.

O time não aproveitou a vantagem e o Defensa cresceu. Aos 30, o time argentino empatou. O meia Pizzini foi acionado dentro da área nas costas de Gómez e cruzou rasteiro para trás. Brian Romero bateu forte de primeira e fez o gol.

O Defensa quase virou aos 36. Brian Romero chutou, mas Weverton espalmou. Na sequência do lance, a zaga afastou mal e a bola sobrou para Benítez arriscar para mais uma defesa do goleiro palmeirense.

O segundo tempo começou com a mesma dinâmica. O Defensa y Justicia perdeu um gol incrível aos 6 minutos - Pizzini tocou para Brian Romero nas costas de Luan, mas Weverton saiu bem e salvou sua equipe.

O Palmeiras se arrastava em campo, mas mesmo assim perdeu ótima chance de gol aos 15, quando Rony, dentro da área, bateu em cima de Unsain.

O jogo ficou ainda mais complicado para o Palmeiras aos 22, após a expulsão de Viña. O Defensa apertava o Palmeiras desde a grande área e ao Palmeiras só sobrava os contra-ataques. Aos 33, Patrick de Paula deu ótimo passe para Veron, que entrou na área em velocidade, mas chutou em cima do goleiro.

De tanto apertar, o time argentino virou. Aos 47, Empereur tentou sair jogando, se atrapalhou com a bola e Benítez chutou de longe para levar a partida para a prorrogação.

Aos cinco minutos do tempo extra, Felipe Melo lançou para Rony, que foi derrubado por Unsain - mais uma vez o árbitro precisou do VAR para confirmar a falta dentro da área.

Após muita confusão com os dois times, Brian Romero foi expulso. Na cobrança, Gustavo Gómez bateu mal e Unsain pegou. Na segunda parte do tempo extra, os times se pouparam para os pênaltis. O Defensa bateu quatro e fez todos. O Palmeiras chutou cinco e fez só três - Luiz Adriano, que entrou no segundo tempo da prorrogação só para isso, e Weverton desperdiçaram as cobranças.

FICHA

PALMEIRAS 1 X 2 DEFENSA Y JUSTICIA

PAALMEIRAS - Weverton; Marcos Rocha (L. Adriano), Luan, Gustavo Gómez e Viña; Danilo, Patrick de Paula (Felipe Melo) Raphael Veiga (Gabriel Menino); Breno Lopes (Mayke), Rony e Wesley (Veron, depois Empereur). Técnico: Abel Ferreira.

DEFENSA Y JUSTICIA - Unsain; M. Rodríguez, Frías, Meza e Benítez (Breitenbruch); Loaiza (Hachen), Fernández, Pizzini (Merentiel) e Rotondi (Isnaldo); Brian Romero e Walter Bou. Técnico: Sebástian Beccacece.

GOLS - Raphael Veiga, aos 22, Brian Romero, aos 30 do primeiro tempo. Benítez, aos 47 do segundo.

ÁRBITRO - Leodán Gonzalez (URU).

CARTÕES AMARELOS - Wesley, Loaiza, P. Paula, Benítez, M. Rocha e Frías.

CARTÃO VERMELHO - Viña.

Local: Mané Garrincha, em Brasília.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;