Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Bancos de sangue da região contam com estoque para apenas 12 dias

Andre Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Festas e férias de fim de ano reduzem número de doações em até 15%


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

29/12/2019 | 07:00


Os bancos de sangue da região contam com estoque para apenas 12 dias, já que somente 70% da meta de coleta foram atingidas até quinta-feira. O ideal era que as doações fossem suficientes para os próximos 20 dias, índice possível caso 80% da capacidade fosse atingida. Conforme a Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue), responsável por quatro postos de coleta no Grande ABC (dois em Santo André, um em São Bernardo e um em São Caetano), isso ocorre em razão das festas e férias de fim de ano.

“Achávamos que até o fim deste mês seria possível atingir a meta, mas as doações caíram desde segunda-feira”, afirma Solange Rios, gerente administrativa da regional da Colsan no Grande ABC. Segundo ela, o número de doadores chega a diminuir em até 15% nesta época do ano. “As pessoas viajam e, além disso, as empresas e escolas que costumam nos ajudar por meio de campanhas de doação acabam não as fazendo por causa das férias”, completa.

Outro agravante é que a lista de doadores fidelizados, ou seja, aqueles que doam frequentemente, diminuiu nos últimos anos. “Não sabemos o que aconteceu, porém, antes conseguíamos média de 6.300 doações por mês e, atualmente, não chegamos nem a 5.100”, observa Solange. Vale lembrar que homens podem doar até quatro vezes no ano, enquanto que mulheres têm limite de três coletas. Contudo, caso os doadores cadastrados doassem apenas duas vezes ao ano, já seria suficiente para reverter o cenário.

Doando pela segunda vez, a autônoma de São Bernardo Ana Cristina de Melo, 44 anos, pretende se tornar uma doadora fidelizada. “É sempre bom poder ajudar o próximo e já estou incentivando pessoas a fazerem o mesmo”, conta. Ela doou pela primeira vez no início de 2019, quando o tio precisou de bolsas de sangue. Em agosto, quando recebeu a notificação de que poderia doar novamente, ela teve um problema de saúde, mas não deixou de comparecer ao hemocentro da cidade na primeira oportunidade que surgiu.

A pior situação é a das bolsas de sangue de fator RH negativo e as de plaquetas, cuja validade é de apenas cinco dias e uma pessoa em tratamento de leucemia, por exemplo, pode demandar até seis unidades em uma transfusão. “Estamos fazendo um trabalho de formiguinha, porque coletamos em um dia e, no dia seguinte, já fazemos as transfusões”, assinala a gerente administrativa da regional da Colsan, que abastece nove hospitais da região.

Podem doar pessoas entre 16 e 69 anos (desde que a primeira doação seja até os 60 anos), com mais de 50 quilos e que estejam em boas condições de saúde. Basta comparecer às unidades de coleta munido de documento original com foto e estar alimentado. Além de fazer a doação antes de pegar a estrada, Solange sugere que quem irá ao Litoral procure o Hemonúcleo de Santos (Rua Oswaldo Cruz, 197), que também ajuda no abastecimento dos estoques do Grande ABC. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;