Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

México é o convidado que incomoda as seleções sul-americanas


Da AFP

22/06/2007 | 14:03


O México fez sua estréia na Copa América em 1993, no Equador. E logo na sua primeira participação alcançou o vice-campeonato, numa época em que o atacante Hugo Sánchez, atual técnico da equipe, ainda atuava na seleção de seu país.

A equipe mexicana voltou a ser vice-campeã da Copa América em 2001, na Colômbia, ao perder a decisão para os donos da casa.

Agora, essa história dá a impressão que o título é uma possibilidade real para os mexicanos e, até certo ponto, uma obrigação, após duas decisões perdidas.

Hoje no comando técnico da seleção, Sánchez planeja unir a experiência adquirida como jogador na Copa América do Equador à mentalidade de entrega e triunfo que espera ter passado para seus jogadores, apesar do pouco tempo de preparação para o torneio.

Para alguns jogadores mexicanos, como o goleiro Oswaldo Sánchez e o atacante Cuauhtémoc Blanco, o Campeonato Sul-americano pode ser o último grande torneio com a camisa da seleção.

Chave - O México está no Grupo B da Copa América, ao lado de Brasil, Chile e Equador. No que depender do retrospecto, a classificação pode sair facilmente, mas com a equipe em segundo lugar.

Contra o Brasil, os mexicanos jogaram cinco vezes no Campeonato Sul-americano, com quatro vitórias para os brasileiros. Trata-se de uma rivalidade aparentemente definida, em que os mexicanos costumam demonstrar um respeito excessivo pela camisa amarela.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

México é o convidado que incomoda as seleções sul-americanas

Da AFP

22/06/2007 | 14:03


O México fez sua estréia na Copa América em 1993, no Equador. E logo na sua primeira participação alcançou o vice-campeonato, numa época em que o atacante Hugo Sánchez, atual técnico da equipe, ainda atuava na seleção de seu país.

A equipe mexicana voltou a ser vice-campeã da Copa América em 2001, na Colômbia, ao perder a decisão para os donos da casa.

Agora, essa história dá a impressão que o título é uma possibilidade real para os mexicanos e, até certo ponto, uma obrigação, após duas decisões perdidas.

Hoje no comando técnico da seleção, Sánchez planeja unir a experiência adquirida como jogador na Copa América do Equador à mentalidade de entrega e triunfo que espera ter passado para seus jogadores, apesar do pouco tempo de preparação para o torneio.

Para alguns jogadores mexicanos, como o goleiro Oswaldo Sánchez e o atacante Cuauhtémoc Blanco, o Campeonato Sul-americano pode ser o último grande torneio com a camisa da seleção.

Chave - O México está no Grupo B da Copa América, ao lado de Brasil, Chile e Equador. No que depender do retrospecto, a classificação pode sair facilmente, mas com a equipe em segundo lugar.

Contra o Brasil, os mexicanos jogaram cinco vezes no Campeonato Sul-americano, com quatro vitórias para os brasileiros. Trata-se de uma rivalidade aparentemente definida, em que os mexicanos costumam demonstrar um respeito excessivo pela camisa amarela.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;